Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
CIÊNCIAS SOCIAIS EM DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE (31002013007P9)
Por um Brasil agroecológico: análise da construção política do discurso
THAIS PONCIANO BITTENCOURT
DISSERTAÇÃO
18/03/2019

A pesquisa tem como propósito investigar a construção discursiva do campo agroecológico como projeto contra hegemônico para o desenvolvimento rural no Brasil, a partir da análise de discurso de seus principais atores e dos principais marcos da trajetória de sua articulação. Para tal, é importante localizar o discurso agroecológico dentro da trajetória da coalizão da agricultura familiar, e identificar alguns de seus principais marcos, tais como a realização dos Encontros Nacionais de Agroecologia (ENA) e a instituição da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PNAPO). Torna-se imprescindível também identificar alguns dos marcos da construção do discurso do agronegócio, entendido como projeto hegemônico, a partir de alguns de seus principais atores, tal como a bancada ruralista, identificada como principal braço político desta coalizão. Partimos do que consideramos uma tentativa agonística, de conciliação entre ambos os projetos durante os governos petistas (Lula e Dilma, de 2003 à 2016), momento em que há uma expansão do Brasil no mercado agropecuário internacional, impulsionada principalmente através da produção de commodities orientada para a exportação. Corresponde também ao período de consolidação e ampliação do setor da agricultura familiar, com a implementação e a orientação de diversas políticas públicas, considerando sua importância para, além da promoção e garantia da soberania alimentar, a ampliação de direitos com o reconhecimento de sua diversidade (agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais, produtores agroextrativistas, assentados da reforma agrária, por exemplo) e a própria superação da pobreza e miséria rural. No entanto, a partir de 2016, com a ruptura democrática no país, o antagonismo latente entre os projetos do agronegócio e da agricultura familiar é exacerbado e se demonstra numa série de ofensivas da coalizão do agronegócio, que reafirmam o poder das elites econômicas e políticas rurais. Neste processo, utilizaremos a Teoria do Discurso (Discourse Theory) de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe, passando por alguns de seus principais conceitos e noções, tais como: agonismo, antagonismo e hegemonia. Como resultados desta análise, espera-se identificar caminhos e possibilidades de resiliência política e de construção contra hegemônica para a continuidade e fortalecimento da articulação da agroecologia e de seu projeto participativo frente aos desafios que se colocam no atual contexto de desconstrução institucional e simbólica em curso no Brasil.

Teoria do discurso;Agroecologia;articulação;marcos interpretativos;discurso político
The research aims to investigate the discursive construction of the agroecological field as an anti - hegemonic project for rural development in Brazil, based on the discourse analysis of its main actors and the main landmarks of the path of its articulation. To do this, it is important to locate the agroecological discourse within the family farm agriculture coalition's trajectory, and to identify some of its main landmarks, such as the National Meetings of Agroecology (ENA) and the National Policy on Agroecology and Organic Production ( PNAPO). It is also essential to identify some of the milestones in the construction of agribusiness discourse, understood as a hegemonic project, based on some of its main actors, such as the landlord coalition, identified as the main political arm of this coalition. We start with what we consider as an agonistic attempt to reconcile the two projects during the PTs (Lula and Dilma, from 2003 to 2016), when Brazil is expanding in the international agricultural market, mainly driven by the production of commodities oriented for export. It also corresponds to the period of consolidation and expansion of the family farm agriculture sector, with the implementation and orientation of several public policies, considering its importance, in addition to promoting and guaranteeing food sovereignty, the expansion of rights with the recognition of its diversity ( family farmers, traditional peoples and communities, agro-extractive producers, settlers of agrarian reform, for example) and the overcoming of poverty and rural poverty itself. However, as of 2016, with the democratic breakdown in the country, the latent antagonism between agribusiness and family farm agriculture projects is exacerbated and demonstrated in a series of agribusiness coalitions offensive that reaffirm the power of economic and political elites rural areas. In this process, we will use the Discourse Theory of Ernesto Laclau and Chantal Mouffe, going through some of its main concepts and notions, such as: agonism, antagonism and hegemony. As a result of this analysis, it is hoped to identify ways and possibilities of political resilience and counter-hegemonic construction for the continuity and strengthening of the articulation of agroecology and its participatory project in face of the challenges that are posed in the current context of ongoing institutional and symbolic deconstruction in Brazil.
Discourse theory;Agroecology;articulation;interpretative frameworks;political speech
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE
POLÍTICAS PÚBLICAS, ESTADO E ATORES SOCIAIS
ESTADO DA POBREZA, DAS DESIGUALDADES, DAS INJUSTIÇAS SOCIAIS: NARRATIVAS E ALTERNATIVAS

Banca Examinadora

JORGE OSVALDO ROMANO
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
CLAUDIA JOB SCHMITT Docente - PERMANENTE
PAULO FREDERICO PETERSEN Participante Externo
JORGE OSVALDO ROMANO Docente - COLABORADOR

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Apoio à Pós-Graduação 24
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO - UFRRJ 24

Vínculo

Servidor Público
Empresa Pública ou Estatal
Outros
Sim