Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
CIÊNCIAS SOCIAIS EM DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE (31002013007P9)
"Comer é um ato político": O Movimento de Pequenos Agricultores (MPA) e a politização do consumo
JENNIFER HARUMI TANAKA
DISSERTAÇÃO
15/03/2019

A partir dos anos 2000, observa-se uma profusão de lemas como “alimentação saudável como parte da garantia à soberania alimentar”, “comida de verdade no campo e na cidade” e “comer é um ato político” nas bandeiras de luta de diversos movimentos sociais do campo, entre eles o Movimento de Pequenos Agricultores (MPA). As temáticas da alimentação, da comida e do comer passam a ocupar o núcleo da estratégia de ação do MPA, que se reposiciona na defesa de uma agricultura camponesa que produz alimentos saudáveis e na construção de sistemas de comercialização direta, politizando o consumo. Esta dissertação procura problematizar essas questões e tem como principal objetivo analisar como tem se dado a incorporação da estratégia de politização do consumo pelo MPA, tendo como objeto de pesquisa os posicionamentos, os discursos e as ações desenvolvidos no Raízes do Brasil, um espaço voltado principalmente para a comercialização de alimentos da agricultura camponesa inaugurado em 2017 pelo MPA na cidade do Rio de Janeiro/RJ. A principal justificativa para o desenvolvimento desta pesquisa é somar esforços ao quadro teórico descrito como consumption turn, ou seja, um redirecionamento do interesse da teoria social para a esfera do consumo, inclusive nos Estudos Rurais, buscando problematizar um tema relativamente pouco debatido: a atuação de movimentos sociais do campo no meio urbano e, em particular, na esfera do consumo. A estratégia metodológica utilizada baseou-se em uma abordagem qualitativa de coleta e análise de dados, a partir da observação participante no Raízes do Brasil e de entrevistas semiestruturadas com lideranças do , somadas a análise de conteúdo de documentos e posicionamentos oficiais do movimento. Verificamos indícios que apontam para a incorporação da estratégia de politização do consumo pelo MPA, relacionados a um projeto político de formar e fortalecer alianças, compromissos e solidariedades entre o movimento e os consumidores urbanos. Destacamos ações de fomento ao buycott, esforços de desfetichização da mercadoria e a promoção de cadeias alimentares curtas. A análise de tais processos sugere que a incorporação de estratégias de politização do consumo pelo MPA tem se desdobrado de forma complementar ao seu repertório tradicional de ações políticas. Contudo, ficou evidente que tais alianças com consumidores urbanos se constituem tanto como oportunidades quanto um desafio para o MPA. Identificamos, assim, que esse um processo permeado por ambiguidades, desconfortos e tensões na aliança com os “consumidores”, relacionados principalmente a dificuldades em reconhecer tal categoria.

Politização do consumo. Movimento de Pequenos Agricultores (MPA). Politização da alimentação. Raízes do Brasil
As transformações do sistema agroalimentar a partir de meados do século XX causaram grandes impactos nas relações entre a produção e o consumo de alimentos levando a um distanciamento entre estas esferas. Esta desconexão ficou evidente tanto nos discursos e práticas dos movimentos sociais quanto nas análises sociológicas. Contudo, a partir da década de 80, observa-se o que tem sido chamado de consumption turn, ou seja, um redirecionamento do interesse da teoria social para a esfera do consumo, inclusive nos Estudos Rurais, contestando a visão produtivista dominante nas Ciências Sociais. Entretanto, os esforços teóricos de analisar estes dois campos de forma simétrica ainda são limitados, apesar das inúmeras experiências de construção de redes entre agricultores e consumidores, que buscam conectar produção e consumo alimentar através da construção de mercados alternativos e cadeias curtas. Diversos movimentos de consumidores politizados vêm aderindo à causa rural e da agricultura familiar, como parte dos processos de politização do consumo, da alimentação e da comida. Paralelamente, movimentos sociais do campo, em resistência ao agronegócio e visando a construção de mercados, passam a reconhecer os consumidores como seus aliados. Nesse sentido, o objetivo central do presente projeto de pesquisa é analisar como se dão as (re)conexões produtores e consumidores dentro da experiência da agricultura familiar e seus produtos, tendo como base o estudo em particular das perspectivas dos movimentos sociais do campo associados à agricultura de base familiar sobre o consumidor politizado. Dessa forma, os processos de (re)conexões desencadeados por esses movimentos sociais no campo que através da mediação da alimentação e da comida vêm buscando se (re)conectar com os consumidores configuram o objeto de pesquisa. Dentre as justificativas para seu desenvolvimento, está o interesse em discutir a virada para o consumo dos movimentos sociais do campo com vistas ao atual cenário político brasileiro de fragilidade e insegurança em relação à continuidade das políticas públicas para a agricultura familiar. Busca-se com esta pesquisa investigar os processos de consolidação de alianças, compromissos e solidariedades entre agricultores familiares e consumidores politizados, bem como as tensões e negociações inerentes a esses processos. Para tanto, propõe-se uma pesquisa qualitativa baseada em observação participante e entrevistas em profundidade com lideranças de movimentos sociais do campo associados à agricultura de base familiar. Com isso, pretende-se refletir sobre as estratégias e os arranjos utilizados por eles quando o consumidor passa a ser reconhecido enquanto aliado e ator político. Espera-se, com esta pesquisa, contribuir para o debate sobre os desafios e as potencialidades das (re)conexões dos processos que acontecem desde “dentro da porteira” até “fora do armazém” e trazer contribuições dos Estudos do Consumo e da Sociologia da Alimentação para a Sociologia Rural, ampliando o diálogo interdisciplinar.
Politicization of consumption. Small Farmers Movement (MPA). Politicization of food. Roots of Brazil
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE
INSTITUIÇÕES, MERCADO E REGULAÇÃO
CONSUMO ALIMENTAR

Banca Examinadora

MARIA DE FÁTIMA FERREIRA PORTILHO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MARIA DE FÁTIMA FERREIRA PORTILHO Docente - PERMANENTE
PAULO ANDRE NIEDERLE Participante Externo
CLAUDIA JOB SCHMITT Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - Bolsa de Mestrado no País GM 24

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim