Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PSICOBIOLOGIA (33009015033P0)
Relação Entre Sono e Sistema Imune: Uma Abordagem Translacional em Doenças Dermatológicas
RACHEL GIMENES RODRIGUES ALBUQUERQUE
TESE
28/03/2019

ALBUQUERQUE, RGR. Relação entre sono e sistema imune: uma abordagem translacional em doenças dermatológicas. 2019. 121 p. Tese (Doutorado) - Departamento de Psicobiologia. Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, Brasil. Introdução: A pele é um órgão com uma fisiologia complexa, que inclui desde a defesa do organismo contra agentes infecciosos até funções neuroendócrinas. O estudo das doenças dermatológicas também depende da investigação do sistema imune e da comunicação que existe entre esse e o sistema nervoso central. Neste contexto, destaca-se o papel do sono na homeostasia do organismo como um todo, principalmente no que diz respeito ao funcionamento do sistema imune. Recentemente, diversos estudos vêm demonstrando a importância do sono na progressão das doenças dermatológicas e infecciosas. Entretanto, o papel do sono em doenças infectocontagiosas com manifestações dermatológicas, como a hanseníase e a leishmaniose ainda é desconhecido. Objetivos: Investigar os efeitos da fragmentação crônica de sono na infecção por L. major em linhagens de camundongos resistentes e susceptíveis no que diz respeito à progressão da doença e produção de citocinas por células do sistema imune. Avaliar o padrão de sono e a qualidade de sono subjetiva, aspectos psicossomáticos, a concentração de citocinas séricas, em pacientes com hanseníase comparados a indivíduos controles. Métodos: Foram utilizados 84 camundongos machos adultos (52 da linhagem C57BL/6 e 32 da linhagem BALB/c) submetidos à infecção por Leishmania major. Foi realizado um protocolo de fragmentação de sono com duração de 21 dias após a infecção. Foi realizada a medida do peso corporal e do edema da pata dos animais. Foram coletadas amostras de sangue, pata, linfonodos e baço para a quantificação da carga parasitária, concentrações de citocinas séricas e citocinas em co-culturas de células dendríticas e células T CD4+. O estudo clínico envolveu 47 voluntários (15 indivíduos controles e 32 pacientes com hanseníase) que foram submetidos ao exame da polissonografia, coleta de sangue para dosagem de citocinas séricas e avaliações subjetivas da qualidade de sono, sonolência excessiva diurna, fadiga, diagnóstico de síndrome das pernas inquietas, sintomas de ansiedade, depressão, qualidade de vida e dor. Resultados: A fragmentação de sono não teve impacto no peso corporal, edema da pata e carga parasitária nos animais avaliados. A linhagem C57BL/6 apresentou menor produção de IL-17 nas co-culturas de células dendríticas e T CD4+ de animais do grupo fragmentação de sono. Na linhagem BALB/c, verificou-se diminuição da produção de IL-1α e IL-5 nas co-culturas de animais submetidos à fragmentação de sono. Os pacientes com hanseníase apresentam indicadores socioeconômicos diferentes do grupo controle, como menor escolaridade e realização de trabalhos braçais. O consumo de álcool também foi menor nessa população. A maior parte dos pacientes foi classificada como tendo hanseníase multibacilar, principalmente as formas borderline virchowiana e virchowiana, sendo as incapacidades presentes majoritariamente nas mãos. O grupo hanseníase apresentou maior latência para o sono, índice de despertares, índice de apneia hipopneia e índice de dessaturação em relação aos controles. Também foi identificada uma menor saturação mínima neste grupo, bem como pior qualidade de vida, maior associação com sintomas depressivos graves e fadiga. Os pacientes em tratamento com talidomida e prednisona apresentaram maiores concentrações de IFNγ e IL-17A em relação aos que faziam tratamento apenas com prednisona, também demonstraram menor latência de sono e maior eficiência de sono. Conclusões: O protocolo de fragmentação de sono aqui utilizado não foi capaz de promover mudanças no curso da infecção por Leishmania major em camundongos resistentes e susceptíveis à infecção. As alterações verificadas nas concentrações de citocinas podem ter sido resultantes da presença de outliers. É necessária uma readequação do protocolo empregado, bem como de outros parâmetros como o volume do inóculo e carga parasitária inoculada. Os pacientes com hanseníase apresentam alterações no padrão de sono, pior qualidade de vida e prejuízos diurnos, em comparação aos controles. Ainda, o tratamento dos surtos reacionais tem papel importante das mudanças detectadas pelo exame da polissonografia, bem como nas citocinas séricas. Palavras-chaves: Sono; Sistema Imune; Hanseníase; Leishmaniose.

Sono;Sistema Imune;Hanseníase;Leishmaniose.
ALBUQUERQUE, RGR. The relationship between sleep and the immune system: a translational approach by dermatological diseases. 2019. 121 p. PhD Thesis (Doutorado) - Department of Psychobiology. Universidade Federal de Sao Paulo, Sao Paulo, Brazil. Introduction: The skin is an organ with complex physiology, which includes from the defense against infectious agents to neuroendocrine functions. The study of dermatological diseases also depends on the investigation of the immune system communication within the central nervous system. In this context, we highlight the importance of sleep in the body homeostasis, including its participation on the imune function. Recently it has been demonstrated the importance of sleep in several autoimmune dermatological diseases. However, the sleep role in infectocontagious disease, which has dermatological manifestations, it is still nuclear. Objectives: To investigate the effects of chronic sleep fragmentation on L. major infection in resistante and suceptible strains of mice on the progression of leishmaniasis and cytokines production. To evaluate sleep pattern and subjective sleep quality, psychosomatic aspects and cytokines concentration in leprosy patients and controls. Methods: We used 84 mice (52 from C56BL/6 strain and 32 from BALB/c strain) submitted to L. major infection. Mice underwent a protocol of sleep fragmentation for 21 days after infection. Body weight and foot sweeling were measured from all mice. Blood samples, feet, spleen and lymphnodes were collected to assess parasite load, serum cytokines concentration and cytokines production in cultures of dendritic cells with T CD4+ cells. The clinical study enrolled 47 volunteers (15 controls and 32 leprosy patients) that underwent polysomnography, blood puncture to assess serum cytokines concentrations, subjective evaluations of sleep quality, excessive daytime sleepiness, fatigue, restless leg syndrome diagnosis, symptoms of anxiety and depression, quality of life and pain. Results: Sleep fragmentation did not affect body weight, foot swelling and parasite load. Sleep fragmented infected C57BL/6 mice presented lower concentrations of IL-17 in the co-cultures of dendritic cells and T CD4+ cells. Sleep fragmented infected BALB/c had lower concentrations of IL-1α e IL-5. Patients with leprosy had lower socioeconomic status, demonstrated by lower educational level and manual labor. Alcohol comsumption were lower in this group when compared to controls. Most of patients were classified as multibacilar, with more patients from the forms borderline lepromatous and lepromatous. Incapacities were mostly observed in hands. Leprosy group had a higher sleep latency, awake index, apnea hypopnea index and dessaturation index when compared to controls. Also, a lower mininal saturation, worse quality of life, higher association to severe depressive symptoms and fatigue. Patients enrolled in leprosy reactions treatment with prednisone and thalidomide had higher concentrations of IFNγ and IL-17A, lower sleep latency and higher sleep efficiency when compared to those taking only prednisone. Conclusions: Sleep fragmentation protocol was not capable to affect the progression of leishmaniasis in resistant and susceptible mice strains. The differences found in cytokines concentrations are probably mainly due the presence of outliers. It is necessary to readequate our protocol, especially considering the amount of volume and number of parasites inoculated. Leprosy patients have alterations on sleep pattern, worse quality of life and daytime impairment. Also, reactions treatment may have an importante role on changes demonstrated by polysomnography and serum cytokines. Key words: Sleep; Immune system; Leprosy; Leishmanisis.
Sleep;Immune system;Leprosy;Leishmanisis.
1
121
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

MEDICINA E BIOLOGIA DO SONO
PRIVAÇÃO DE SONO EM SERES HUMANOS E MODELOS ANIMAIS
ESTUDO DAS ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS, NEUROQUÍMICAS E COMPORTAMENTAIS INDUZIDAS PELA PRIVAÇÃO DE SONO EM SERES HUMANOS E MODELOS ANIMAIS.

Banca Examinadora

MONICA LEVY ANDERSEN
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
GIL BENARD Participante Externo
ANDERSON DE SA NUNES Participante Externo
DALVA LUCIA ROLLEMBERG POYARES Docente - PERMANENTE
DANIELA SANTORO ROSA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUNDACAO DE AMPARO A PESQUISA DO ESTADO DE SAO PAULO - Bolsa de Doutorado 48

Vínculo

Bolsa de Fixação
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim