Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
Interdisciplinar em Ciências da Saúde (33009015070P2)
Fotogrametria: um método objetivo para avaliar alterações da caixa torácica em pacientes com escoliose idiopática do adolescente.
ANDERSON SALES ALEXANDRE
DISSERTAÇÃO
27/02/2013

Introdução: A escoliose idiopática do adolescente (EIA) é uma deformidade tridimensional da coluna vertebral que gera alterações na biomecânica da caixa torácica. Objetivos: Estudar o método de fotogrametria, utilizando o programa SAPO, na avaliação de alterações da caixa torácica em pacientes com EIA comparando com indivíduos saudáveis e correlacionar o método de fotogrametria com o método de Cobb. Material e Métodos: Estudo transversal no qual foram avaliados indivíduos de ambos os sexos com idade entre 11 e 18 anos, sendo 30 pacientes com EIA e 20 indivíduos saudáveis sem alterações posturais. Para a realização da fotogrametria foi utilizado o Software SAPO e foram criados marcadores torácicos em forma de ângulos (A) e distâncias (D): A1(acrômio direito /manúbrio/acrômio esquerdo), A2 (acrômio direito/processo xifóide/acrômio esquerdo), A3 (última costela falsa direita/processo xifóide/última costela falsa esquerda), A4 (desvio lateral do tronco), A5 (acrômio/ ângulo inferior da escápula/inframamilar), A6 (C7/acrômio/T3), A7 (intersecção dos segmentos tangentes aos ângulos superiores e inferiores das escápulas), D1 (processo xifóide-última costela falsa), D2 (manúbrio-última costela falsa) e D3 (processo xifóideespinha ilíaca ântero-superior). Foram avaliados os ângulos de Cobb torácico proximal e principal e Cobb lombar. Para comparar os marcadores torácicos entre os grupos foi utilizado o teste T de student não pareado e para correlacionar os marcadores torácicos com os ângulos de Cobb, foram calculados o coeficiente de correlação de Pearson. Para todas as análises foram considerados significantes os valores de p ≤ 0,05. Resultados: Foi encontrado aumento significante nos marcadores torácicos A2, A5E, A7 ediminuição significante no A4E e relação D1D/D1E no grupo EIA quando comparado com o controle. Foram encontradas correlações moderadas do A2 com os ângulos de Cobb torácico principal e proximal (r= 0,5 e r=0,47, respectivamente) e da relação D1D/D1E com a medida do Cobb torácico principal (r= 0,45). Conclusões: Observamos que os marcadores torácicos criados pelo método de fotogrametria foram capazes de detectar alterações na caixa torácica de pacientes com EIA, além de apresentarem correlação com os ângulos da coluna vertebral, avaliados pelo método de Cobb.

Escoliose;Tórax; Fotogrametria; Capacidades pulmonares; Mecânica respiratória
Introdução: A escoliose idiopática do adolescente (EIA) é uma deformidade tridimensional da coluna vertebral que gera alterações na biomecânica da caixa torácica. Objetivos: Estudar o método de fotogrametria, utilizando o programa SAPO, na avaliação de alterações da caixa torácica em pacientes com EIA comparando com indivíduos saudáveis e correlacionar o método de fotogrametria com o método de Cobb. Material e Métodos: Estudo transversal no qual foram avaliados indivíduos de ambos os sexos com idade entre 11 e 18 anos, sendo 30 pacientes com EIA e 20 indivíduos saudáveis sem alterações posturais. Para a realização da fotogrametria foi utilizado o Software SAPO e foram criados marcadores torácicos em forma de ângulos (A) e distâncias (D): A1(acrômio direito /manúbrio/acrômio esquerdo), A2 (acrômio direito/processo xifóide/acrômio esquerdo), A3 (última costela falsa direita/processo xifóide/última costela falsa esquerda), A4 (desvio lateral do tronco), A5 (acrômio/ ângulo inferior da escápula/inframamilar), A6 (C7/acrômio/T3), A7 (intersecção dos segmentos tangentes aos ângulos superiores e inferiores das escápulas), D1 (processo xifóide-última costela falsa), D2 (manúbrio-última costela falsa) e D3 (processo xifóideespinha ilíaca ântero-superior). Foram avaliados os ângulos de Cobb torácico proximal e principal e Cobb lombar. Para comparar os marcadores torácicos entre os grupos foi utilizado o teste T de student não pareado e para correlacionar os marcadores torácicos com os ângulos de Cobb, foram calculados o coeficiente de correlação de Pearson. Para todas as análises foram considerados significantes os valores de p ≤ 0,05. Resultados: Foi encontrado aumento significante nos marcadores torácicos A2, A5E, A7 ediminuição significante no A4E e relação D1D/D1E no grupo EIA quando comparado com o controle. Foram encontradas correlações moderadas do A2 com os ângulos de Cobb torácico principal e proximal (r= 0,5 e r=0,47, respectivamente) e da relação D1D/D1E com a medida do Cobb torácico principal (r= 0,45). Conclusões: Observamos que os marcadores torácicos criados pelo método de fotogrametria foram capazes de detectar alterações na caixa torácica de pacientes com EIA, além de apresentarem correlação com os ângulos da coluna vertebral, avaliados pelo método de Cobb.
Escoliose;Tórax; Fotogrametria; Capacidades pulmonares; Mecânica respiratória
1
57
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

PROMOÇÃO, PREVENÇÃO E REABILITAÇÃO EM SAÚDE
SAÚDE DE GRUPOS POPULACIONAIS
FISIOTERAPIA CARDIORRESPIRATÓRIA EM PACIENTES COM ESCOLIOSE IDIOPÁTICA DO ADOLESCENTE

Banca Examinadora

MILENA CARLOS VIDOTTO
DOCENTE - PERMANENTE
Não
Nome Categoria
LIRIA YURI YAMAUCHI Participante Externo
LIU CHIAO YI INOUE Docente - PERMANENTE
MARIANA RODRIGUES GAZZOTTI Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não