Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
CIRURGIA TRANSLACIONAL (33009015038P1)
PADRÃO DE DRENAGEM LINFÁTICA SUPERFICIAL DO ABDOME INFRA- UMBILICAL APÓS ABDOMINOPLASTIA
MILENA BASSALOBRE SCHLOSSER
DISSERTAÇÃO
31/01/2014

Introdução: Ainda não foi mapeado o padrão de drenagem linfática superficial do abdome após a realização de abdominoplastia. O sentido do fluxo linfático em direção aos linfonodos irá orientar a prática da drenagem linfática manual. Objetivo: Mapear o padrão de drenagem linfática superficial do abdome. Material e Métodos: Foram avaliadas 20 mulheres provenientes do ambulatório de parede abdominal do Departamento de Cirurgia Plástica da UNIFESP/EPM. Para avaliar os linfonodos responsáveis pela drenagem linfática superficial do abdome utilizou-se a linfocintilografia com injeção intradérmica de Dextram500 com Tecnécio 99 metaestável em 0,1 ml de soro fisiológico. Os exames foram realizados no pré-operatório, após 30 dias e 06 meses da cirurgia. Resultados: No pré-operatório 100% das pacientes apresentavam o sentido para os linfonodos inguinais como padrão de drenagem linfática superficial do abdome. Após 30 dias e 06 meses, esse resultado foi observado em três pacientes (15%). Duas pacientes (10%) não apresentaram drenagem linfática visualizada e outras duas pacientes (10%) apresentaram dupla drenagem sendo observado os linfonodos inguinais e axilares simultaneamente. O sentido do fluxo linfático para os linfonodos axilares foi observado em 13 pacientes (65%). Conclusão: houve uma alteração no padrão de drenagem linfática superficial do abdome após a abdominoplastia. O padrão predominante foi sentido dos linfonodos axilares.

DRENAGEM LINFÁTICA; INFRA- UMBILICAL; ABDOMINOPLASTIA
Introdução: Ainda não foi mapeado o padrão de drenagem linfática superficial do abdome após a realização de abdominoplastia. O sentido do fluxo linfático em direção aos linfonodos irá orientar a prática da drenagem linfática manual. Objetivo: Mapear o padrão de drenagem linfática superficial do abdome. Material e Métodos: Foram avaliadas 20 mulheres provenientes do ambulatório de parede abdominal do Departamento de Cirurgia Plástica da UNIFESP/EPM. Para avaliar os linfonodos responsáveis pela drenagem linfática superficial do abdome utilizou-se a linfocintilografia com injeção intradérmica de Dextram500 com Tecnécio 99 metaestável em 0,1 ml de soro fisiológico. Os exames foram realizados no pré-operatório, após 30 dias e 06 meses da cirurgia. Resultados: No pré-operatório 100% das pacientes apresentavam o sentido para os linfonodos inguinais como padrão de drenagem linfática superficial do abdome. Após 30 dias e 06 meses, esse resultado foi observado em três pacientes (15%). Duas pacientes (10%) não apresentaram drenagem linfática visualizada e outras duas pacientes (10%) apresentaram dupla drenagem sendo observado os linfonodos inguinais e axilares simultaneamente. O sentido do fluxo linfático para os linfonodos axilares foi observado em 13 pacientes (65%). Conclusão: houve uma alteração no padrão de drenagem linfática superficial do abdome após a abdominoplastia. O padrão predominante foi sentido dos linfonodos axilares.
-
1
93
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

REGENERAÇÃO TECIDUAL ECTO E MESODÉRMICA
INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO DA REGENERAÇÃO TECIDUAL E NERVOSA
DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL EM MULHERES SUBMETIDAS A DERMOLIPECTOMIA CRURAL APÓS CIRURGIA BARIÁTRICA

Banca Examinadora

FABIO XERFAN NAHAS
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MARCUS VINICIUS JARDINI BARBOSA Participante Externo
HEITOR FRANCISCO DE CARVALHO GOMES Participante Externo
MARIA JOSE AZEVEDO DE BRITO ROCHA Participante Externo

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim