Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA (50001019020P2)
Lute como uma gorda: gordofobia, resistências e ativismos.
MARIA LUISA JIMENEZ JIMENEZ
TESE
30/01/2020

Esta pesquisa parte do debate acerca dos corpos gordos femininos, marcado pelo discurso normatizado socialmente, no qual a magreza é o cânone vigente. Quando um corpo não está dentro desse padrão, ou seja, corpo magro, tido como belo e saudável, é estigmatizado, sendo considerado feio, mau, anormal, doente, fraco e triste, e, portanto, excluído socialmente. Esta discriminação é conhecida como gordofobia, preconceito que leva à exclusão social e nega acessibilidade às pessoas gordas. Este estigma é estrutural e cultural, transmitido em muitos e diversos espaços e contextos sociais na sociedade contemporânea. O objetivo desta tese é, assim, desvendar o universo gordo na contemporaneidade, analisar como esses corpos são concebidos institucionalmente e como essas mulheres gordas se autopercebem, aceitam ou resistem à gordofobia. Para atingir esse objetivo, a autora utiliza autoetnografia, sociologia do cotidiano, estudos do consumo, feminismo e a netnografia. Como ponto de partida da pesquisa, os depoimentos de mulheres gordas em coletivos, conversas, internet, memória e vivências em primeira pessoa, como mulher gorda, direcionam as análises e a escrita através de três subtemas: o cotidiano, o consumo e os ativismos, os quais apontam que, apesar da cassação aos corpos gordos, muitas delas têm se posicionado contra a gordofobia, se organizado em coletivos, em ciberespaços e nas ruas, para mostrar que corpos gordos femininos podem superar essa recriminação, resistindo à concepção atual de único corpo possível em nossa sociedade, o magro. Construímos uma episteme diferenciada sobre os corpos gordos e propomos, a partir da resistência, um corpo político que quebre padrões e se coloque no mundo de forma criativa e alegre.

Gordofobia;Mulheres Gordas;Autoetnografia;Feminismo;Ativismo Gordo
Taking into account the debate about female fat bodies, marked by the socially standardized discourse, in which thinness is the prevailing canon. When a body is not within this standard, that is, a thin body that is considered as beautiful and healthy, is stigmatized, being considered ugly, bad, abnormal, sick, weak and sad, and therefore socially excluded. This discrimination is known as fatphobia, a prejudice that leads to social exclusion and denies accessibility to fat people. This stigma is structural and cultural, broadcast in many diverse areas and social contexts in contemporary society. The aim of this thesis is thus unravel the fat in the contemporary world, to analyze how these bodies are designed institutionally, and how those fat women themselves perceive, accept or resist gordofobia. To achieve this goal, the author uses self-ethnography, everyday sociology, consumer studies, feminism, and netnography. As a starting point of the research, the testimonies of fat women in collectives, conversations, the internet, memory and her own experiences as a fat woman, direct analysis and writing through three subthemes: daily life, consumption and activism, which point out that despite being fattened to fat bodies, many of them have positioned themselves against gordophobia, organized into collectives, cyberspace and on the streets to show that female fat bodies can overcome this recrimination, resisting the current conception of the only possible body, which in our society is being skinny. We build a different episteme on fat bodies and propose the resistance, in which a political body breaks patterns and puts itself in the world in a creative and joyful way.
Fatphobia;Fat women;Auto-ethnography;Feminism;Fat Activism.
01
237
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

ESTUDOS INTERDISCIPLINARES DE CULTURA
COMUNICAÇÃO E MEDIAÇÕES CULTURAIS
As múltiplas orientações do consumo contemporâneo: a ética, o ativismo, o prazer e a saúde

Banca Examinadora

JULIANA ABONIZIO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MARCIA DA SILVA MAZON Participante Externo
JANINE HELFST LEICHT COLLACO Participante Externo
LUDMILA DE LIMA BRANDAO Docente - PERMANENTE
JULIANA ABONIZIO Docente - PERMANENTE
GIORDANNA LAURA DA SILVA SANTOS Docente - COLABORADOR
PATRICIA SILVA OSORIO Docente - PERMANENTE

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim