Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
LETRAS (40002012012P8)
Sendas fantásticas: narrativas esquecidas de um Brasil oitocentista
ABILIO APARECIDO FRANCISCO JUNIOR
DISSERTAÇÃO
09/01/2019

Este trabalho tem como objetivo investigar a presença da literatura fantástica brasileira no século XIX a partir da análise de três contos ignorados pela crítica, são eles “A fada do mysterio” (1853), de Félix Xavier da Cunha, “O estudante e os monges” (1859), de Couto de Magalhães e “Conto fantástico” (1861), de Américo Lobo. Para tanto, esta pesquisa se divide em três partes. Na primeira, buscou-se levantar um breve contexto histórico da consolidação cultural ocorrida após a chegada da Família Real portuguesa ao Brasil, em 1808 e seus reflexos na produção literária brasileira. Desse ponto, passou-se a averiguar como se desenvolveu a literatura de estudantes em associações literárias, por meio das publicações em periódicos, principalmente a partir da década de 1830. Procurou-se destacar, também, uma possível produção primeva da literatura fantástica de acordo com os levantamentos realizados, a fim de refletir sobre o início dessa vertente literária no Brasil. Em um segundo momento, foi necessário promover um levantamento teórico sobre as diversas manifestações da teoria relacionada ao fantástico. Foram evidenciados os primeiros estudos registrados de autores como Walter Scott, com seu “On the supernatural in fictitious composition” (1827), Charles Nodier, em “Du fantastique en littérature” (1830) e Théophile Gautier, com “Les contes d’Hoffmann” (1836), além de obras como O horror sobrenatural na literatura (1927), de H.P. Lovecraft, “Aminadab, ou do fantástico considerado como uma linguagem” (1943), de Jean-Paul Sartre, e A arte e a literatura fantásticas (1963), de Louis Vax. No momento demarcado como o de delimitação, evidenciou-se a obra Introdução à literatura fantástica (1970), de Tzvetan Todorov, Le récit fantastique (1974), de Irène Bessière, e O Realismo maravilhoso: forma e ideologia no romance hispano-americano (1980), de Irlemar Chiampi. Na divisão dedicada aos “Contemporâneos”, houve enfoque no ensaio “¿Qué es lo neofantástico?” (1990), de Jaime Alazraki, O fantástico (1996), de Remo Ceserani, e “A ameaça do fantástico” (2001), de David Roas. Esse passeio pelas teorias do fantástico proporcionou um melhor entendimento de como tanto teoria quanto literatura evoluíram e continuam evoluindo, apresentando novas possibilidades de entendimento. Na terceira e última parte foi contemplada uma análise das narrativas esquecidas, nas quais encontramos elementos fantásticos diferenciados entre si, como a ampla presença de elementos românticos que se coadunam com o fantástico na narrativa do gaúcho Félix Xavier da Cunha, o caminho erotizado dos pecados terrenos cometidos por dois demônios em um prostíbulo, na narrativa de Couto de Magalhães e, por fim, a mescla entre o folclore popular, oralizado, e a cultura europeia na construção de um fantástico com objetivo de crítica social à escravatura no conto de Américo Lobo. A pluralidade presente na análise comparativa dos contos selecionados demonstrou não apenas a presença da literatura fantástica a partir de uma ótica desviante do cânone, como também ressaltou a diversidade temática e formal presente nessas narrativas.

Teorias do fantástico;Fantástico brasileiro;Félix da Cunha;Couto de Magalhães;Américo Lobo
This study aims to investigate the presence of fantastic Brazilian literature in the nineteenth century from the analysis of three short stories ignored by critics: “A fada do mysterio” (1853), by Félix Xavier da Cunha; “O estudante e os monges” (1859), by Couto de Magalhães; “Conto fantástico” (1861), by Américo Lobo. To do so, we divide this research into three parts. In the first one, we seek to give a brief historical context of the cultural consolidation that occurred after the arrival of the Portuguese Royal Family in Brazil in 1808 and its repercussions on Brazilian literary production. From this point on, we began to find out how the literature of students in literary associations was developed through publications in newspapers, especially since the 1830s. We also wanted to highlight the primeval production of fantastic literature according to the surveys carried out, in order to demarcate the beginning of this literary strand in Brazil. In a second moment, it was necessary to promote a theoretical survey on the diverse manifestations of the theory related to the fantastic. The first recorded studies of authors such as Walter Scott, with his "On the supernatural in fictitious composition" (1827), Charles Nodier, in "Du fantastique en littérature" (1830) and Théophile Gautier, with "Les contes d'Hoffmann" (1836), in addition to works such as HP Lovecraft's O horror sobrenatural na literatura (1927), by H.P. Lovecraft, “Aminadab, ou do fantástico considerado como uma linguagem” (1943), by Jean-Paul Sartre, and A arte e a literatura fantásticas (1963), de Louis Vax. At the moment marked as the delimitation, we highlight Tzvetan Todorov's Introdução à literatura fantástica (1970), Irène Bessière's Le récit fantastique (1974), and O Realismo maravilhoso: forma e ideologia no romance hispano-americano (1980), by Irlemar Chiampi. In the division dedicated to the "Contemporary", we highlight the essay “¿Qué es lo neofantástico?” (1990), by Jaime Alazraki, O fantástico (1996), by Remo Ceserani and “A ameaça do fantástico” (2001), by David Roas. This tour of theories of fantasy has provided us with a better understanding of how both theory and literature have evolved over time and continue to evolve and present new possibilities for understanding. In the third and last part, we contemplate an analysis of the forgotten narratives, in which we find fantastic elements differentiated from each other, such as the wide presence of romantic elements that fit the fantastic in the narrative of Gaúcho Felix Xavier da Cunha, the eroticized path of earthly sins committed by two demons in a brothel, in the narrative of Couto de Magalhães and, finally, the mixture between folklore, oralized, and European culture in the construction of a fantastic for the purpose of social criticism of slavery in the tale of Américo Lobo. The plurality present in the comparative analysis of the selected short stories demonstrated not only the presence of the fantastic literature from a deviant viewpoint of the canon, but also emphasized the thematic and formal diversity present in these narratives.
Theories of the fantastic;Brazilian Fantastic;Félix da Cunha;Couto de Magalhães;Américo Lobo
222
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

LITERATURA COMPARADA
CONSTRUÇÕES E PROCESSOS IDENTITÁRIOS 2
-

Banca Examinadora

ADILSON DOS SANTOS
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
ADILSON DOS SANTOS Docente - COLABORADOR
MARTA DANTAS DA SILVA Docente - PERMANENTE
CLAUDIA CRISTINA FERREIRA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Pesquisa
Sim