Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PEDIATRIA E CIÊNCIAS APLICADAS À PEDIATRIA (33009015019P7)
PREVALÊNCIA DE DISTÚRBIOS GASTROINTESTINAIS FUNCIONAIS EM LACTENTES NASCIDOS PREMATUROS
MARCELA MONTENEGRO BRAGA BARROSO GONDIM
DISSERTAÇÃO
02/12/2019

Objetivo: Comparar a prevalência dos distúrbios gastrointestinais funcionais em lactentes nascidos prematuros com a de lactentes nascidos a termo, utilizando os critérios de Roma IV. Adicionalmente, avaliar se procedimentos invasivos no período neonatal se associam com maior chance de desenvolvimento de distúrbios gastrointestinais funcionais em lactentes nascidos prematuros. Métodos: Estudo transversal controlado aninhado em uma coorte retrospectiva de lactentes nascidos prematuros que foram comparados com lactentes nascidos a termo quanto à presença de distúrbios gastrointestinais funcionais. No grupo dos prematuros, lactentes nascidos com idade gestacional < 37 semanas foram incluídos no estudo e, no grupo dos termos, lactentes nascidos com idade gestacional > 37 semanas e peso de nascimento acima de 2500 gramas foram incluídos. Foi realizada consulta médica por uma única pediatra gastroenterologista para obter informações sobre o período gestacional e neonatal e informações sobre manifestações clínicas digestivas. Foram utilizados os critérios de Roma IV para o diagnóstico dos distúrbios gastrointestinais funcionais. Resultados: Foram estudados 197 lactentes (<24 meses), 99 prematuros e 98 nascidos a termo. Regurgitação do lactente foi mais prevalente nos lactentes nascidos a termo (35,1% e 15,6%, p<0,001). A prevalência dos outros distúrbios gastrointestinais funcionais em lactentes nascidos prematuros não foi diferente, de acordo com a análise estatística, em relação aos nascidos a termo, sendo, respectivamente: cólica do lactente (10,7% e 4,3%; p=0,360), constipação intestinal funcional (17,2% e 9,2%; p=0,098), diarreia funcional (4,6% e 0,0%; p=0,274) e disquesia do lactente (9,3% e 7,5%; p=0,735). Não foi encontrada relação entre procedimentos invasivos realizados no período neonatal e maior risco para desenvolvimento de distúrbios gastrointestinais funcionais nos prematuros. Conclusão: Na população estudada, lactentes nascidos prematuros não apresentaram maior prevalência de distúrbios gastrointestinais funcionais e não se encontrou nos nascidos prematuros relação entre procedimentos diagnósticos e terapêuticos invasivos e o desenvolvimento de manifestações gastrointestinais.

Recém-nascido prematuro;Gastroenteropatias;Cólica;Constipação intestinal;Refluxo gastroesofágico;Diarreia infantil
Objective: To compare the prevalence of functional gastrointestinal disorders in preterm infants with those of term infants using the Rome IV criteria. Additionally, to evaluate whether invasive procedures during the neonatal period are associated with a higher chance of developing functional gastrointestinal disorders in preterm infants. Methods: Controlled cross-sectional study nested in a retrospective cohort of preterm infants who were compared with term infants for functional gastrointestinal disorders. In the preterm group, infants born with a gestational age <37 weeks were included in the study, and in the term group, infants born with a gestational age > 37 weeks and with a birth weight above 2500 grams were included. A face-to-face medical consultation was performed by a single pediatric gastroenterologist for information on the gestational and neonatal period and information on clinical digestive manifestations. Rome IV criteria were used for diagnosing functional gastrointestinal disorders.Results: We studied 197 infants (<24 months), 99 preterm infants and 98 term infants. Infant regurgitation was more prevalent in term infants (35.1% and 15.6%, p <0.001). The prevalence of other functional gastrointestinal disorders in preterm infants was not different, according to statistical analysis, compared to term infants, respectively: infant colic (10.7% and 4.3%; p= 0.360), functional constipation (17.2% and 9.2%; p= 0.098), functional diarrhea (4.6% and 0.0%; p= 0.274) and infant dyschezia (9.3% and 7.5%; p= 0.735). No relationship was found between invasive procedures performed in the neonatal period and higher risk for developing functional gastrointestinal disorders in preterm infants. Conclusion: In the studied population, preterm infants had no higher prevalence of functional gastrointestinal disorders. No relation was found in preterm infants with invasive diagnostic and therapeutic procedures and the development of gastrointestinal manifestations.
Infant;Preterm;Functional gastrointestinal disorders;Infantile colic;Constipation;Gastroesophageal reflux;Diarrhea
88
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

PEDIATRIA E CIÊNCIAS APLICADAS À PEDIATRIA
FISIOLOGIA E DISTURBIOS DO APARELHO DIGESTORIO
ANORMALIDADES DIGESTIVO-ABSORTIVAS E DISTÚRBIOS DA MOTILIDADE

Banca Examinadora

MAURO BATISTA DE MORAIS
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
LILIAN DOS SANTOS RODRIGUES SADECK Participante Externo
MAURO BATISTA DE MORAIS Docente - PERMANENTE
MAURO SERGIO TOPOROVSKI Participante Externo
SORAIA TAHAN Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não