Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE PAULISTA
Patologia Ambiental e Experimental (33063010005P2)
ANFOTERICINA B OU ITRACONAZOL ALTERAM A RESPOSTA DE MACRÓFAGOS DESAFIADOS COM Malassezia pachydermatis
SUENIA FELIX RODRIGUES MANZON
DISSERTAÇÃO
16/12/2019

Malassezia sp é o residente eucariótico predominante do microbioma cutâneo do homem e animais homeotermos. Entretanto, M. pachydermatis, que é zoofílica, tem sido implicada em surtos de infecção invasiva, com alta taxa de mortalidade em neonatos em unidades de terapia intensiva, evidenciando a necessidade de estudos mais aprofundados com esta espécie em sua relação com o hospedeiro. Pesquisadores também observaram que a capacidade fagocítica e a produção de citocinas podem ser alteradas pelo uso de antimicóticos habitualmente empregados na clínica. Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do itraconazol ou anfotericina B na atividade de macrófagos desafiados com M. pachydermatis. Macrófagos murinos da linhagem RAW-264.7 foram previamente tratados com anfotericina B (4 µg/ml) ou itraconazol (2 µg/ml) e então infectados com M. pachydermartis na concentração de 5:1 (leveduras:macrófagos), calculando-se os índices fagocíticos 1h e 24h após os desafios. Avaliação dos níveis de citocinas pró e anti-inflamatórias (IL-2, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17A, IFN-γ e TNF-α) e a viabilidade celular foram determinados por citometria de fluxo. Os resultados indicaram que em 1h o índice fagocítico foi menor para o grupo infectado tratado com o itraconazol e em 24h as células foram mais suscetíveis à proliferação de M. pachydermatis; o índice fagocítico não foi influenciado pelo tratamento com a anfotericina B. A viabilidade celular foi menor nos grupos infectados em 24h e a morte dos macrófagos ocorreu principalmente por necrose, quando empregou-se o itraconazol. A anfotericina B induziu maior número de mortes por apoptose. O itraconazol induziu nos macrófagos produção menor de TNF-α do que a anfotericina B. O itraconazol atuou interferindo com a capacidade fagocítica e a viabilidade celular, e a anfotericina B estimulou a resposta inflamatória dos macrófagos, não interferindo na capacidade fagocítica. Os resultados obtidos indicam que a ação dos antifúngicos pode interferir na capacidade fagocítica e inflamatória, tendo impacto na função dos macrófagos murinos.

Macrófagos RAW-264.7;Fagocitose;Malassezia pachydermatis;Antifúngicos;Citocinas.
Malassezia sp is the predominant eukaryotic resident in the cutaneous microbiome of humans and other homeotherms. However, zoophilic M. pachydermatis has been implicated in outbreaks of invasive infection, with high mortality rates in neonates in intensive care units, highlighting the need for further studies with the relation of this species with the host. Researchers also noted that phagocytic capacity and cytokine production may be altered by the use of antimycotics commonly employed in the clinic. Therefore, the objective of this work was to evaluate the influence of itraconazole or amphotericin B on the activity of macrophages challenged with M. pachydermatis. Murine macrophages RAW-264.7 were previously treated with amphotericin B (4 µg/ml) or itraconazole (2 µg/ml) and then infected with M. pachydermartis at a 5:1 concentration (yeasts:macrophages), phagocytic indexes were calculated at 1h and 24h after the challenges. Evaluation of pro-and anti-inflammatory cytokines levels (IL-2, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17A, IFN-γ and TNF-α) and cell viability were determined by flow cytometry. The results indicated that at 1h the phagocytic index was lower for the infected group treated with itraconazole and at 24h the cells were more susceptible to M. pachydermatis proliferation; phagocytic index was not influenced by amphotericin B treatment. Cell viability was lower in the infected groups at 24h and macrophage death occurred mainly by necrosis when itraconazole was used. Amphotericin B induced a higher number of apoptosis. Itraconazole induced lower TNF-α production in macrophages than amphotericin B. Itraconazole interfered with phagocytic activity and cell viability, and amphotericin B stimulated inflammatory response, not interfering with phagocytic capacity. The results indicate that the action of antifungals may interfere with phagocytic and inflammatory capacity, impacting the function of murine macrophages.
RAW-264.7 macrophages;phagocytosis;Malassezia pachydermatis;antifungals;cytokines.
1
40
PORTUGUES
UNIVERSIDADE PAULISTA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

PATOLOGIA AMBIENTAL E EXPERIMENTAL
PATOGENIA DAS ENFERMIDADES INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS
SENSIBILIDADE DE Malassezia pachydermatis E Malassezia furfur A EXTRATOS DE PLANTAS DA AMAZÔNIA

Banca Examinadora

SELENE DALLACQUA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
SELENE DALLACQUA Docente - PERMANENTE
PAULA ANDREA DE SANTIS BASTOS Participante Externo
ELIZABETH CRISTINA PEREZ HURTADO Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
ASSUPERO ENSINO SUPERIOR LTDA - Bolsa de Mestrado 24

Vínculo

-
-
-
Não