Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PSICOBIOLOGIA (33009015033P0)
ESTUDO CONTROLADO SOBRE A PRODUÇÃO DA VOZ CANTADA EM PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON.
MICHELLE DE MELO FERREIRA
DISSERTAÇÃO
28/11/2019

Introdução: A Doença de Parkinson (DP) é caracterizada não apenas pela bradicinesia, rigidez e tremor, mas também por comprometimentos na voz e na fala em diferentes níveis processuais. Estudos recentes tem mostrado que a música pode não só auxiliar na marcha como pode ter um efeito semelhante no comportamento vocal. No entanto, ainda não está claro até que ponto a memória poderia interferir na acuidade do canto enviesando assim tais resultados. Também não se sabe se o canto pode estar afetado pela doença visto que a fala e o canto possuem algumas redes neurais independentes. Objetivo: Comparar a produção vocal entre fala e canto e investigar se há diferença nas diferentes habilidades cognitivas envolvidas no canto entre indivíduos com Doença de Parkinson e pessoas saudáveis. Método: No presente estudo, vinte pacientes com Doença de Parkinson foram comparados com vinte controles saudáveis pareados por sexo, idade e escolaridade com experiência musical o mais semelhante possível. Foi aplicado uma série de testes para avaliar as habilidades vocais na fala e no canto, percepção sonora-musical e memória musical de curto e de longo prazo. Resultado: Nas tarefas de fala não houve diferença na direção da entonação prosódica mas a magnitude dessa variação foi significativamente menor no grupo DP em relação ao grupo controle. A tessitura vocal também se mostrou reduzida na voz falada e no glissando devido à dificuldade de emitir frequências mais agudas. Quando foi avaliada a performance vocal na canção “Parabéns a você” sem acompanhamento foi possível observar uma dificuldade direção melódica ao passo que na condição com acompanhamento isso não aconteceu. A acuidade dos intervalos foi semelhante entre os grupos e o Teste de Imitação Vocal não apresentou diferenças de grupo. Discussão: Os comprometimentos na voz falada pode também refletir na voz cantada. No entanto, cantar com acompanhamento de um instrumento musical ou com outra voz pode auxiliar na acuidade vocal das notas, intervalar e de contorno melódico. Conclusão: Os resultados encontrados no presente estudo sugere que o canto com acompanhamento pode ser utilizada como ferramenta de intervenção para melhorar os prejuízos de voz e fala nessa população.

..;Doença de Parkinson, Disartria hipocinética, música, canto, cognição musical.
Introduction: Parkinson's disease (PD) is characterized not only by bradykinesia, stiffness and tremor, but also by impairments in voice and speech at different procedural levels. Recent studies have shown that music may not only aid gait but may have a similar effect on vocal behavior. However, it is not yet clear to what extent memory could interfere with the sharpness of the chanting by biasing such results. It is also unknown whether singing can be affected by the disease since speech and singing have some independent neural networks. Objective: To compare vocal production between speech and singing and to investigate if there is difference in the different cognitive abilities involved in singing between individuals with Parkinson's disease and healthy people. Method: In the present study, twenty patients with Parkinson's disease were compared with twenty healthy controls matched by sex, age and schooling with musical experience as closely as possible. A series of tests was applied to evaluate vocal abilities in speech and singing, sound-musical perception and short and long-term musical memory. Results: Speech tasks did not differ in the direction of prosodic intonation, but the magnitude of this variation was significantly lower in the DP group than in the control group. The vocal range was also reduced in the spoken voice and in the glissando due to the difficulty of emitting higher frequencies. When it was evaluated the vocal performance in the song "Happy Birthday" without accompaniment it was possible to observe a difficult melodic direction whereas in the condition with accompaniment this did not happen. The acuity of the intervals was similar between the groups and the Vocal Imitation Test showed no group differences. Discussion: The impairments on spoken voice may also reflect on sung voice. However, singing with accompaniment of a musical instrument or with another voice can aid in the vocal acuity of notes, intervals and melodic outlines. Conclusion: The results found in the present study suggest that the accompanying singing can be used as an intervention tool to improve voice and speech impairments in this population.
..;Parkinson's disease, Hypokinetic dysarthria, music, singing, musical cognition.
1
111
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

NEUROBIOLOGIA DA EMOÇÃO, COGNIÇÃO E MOTIVAÇÃO
COGNIÇÃO
NEUROPSICOLOGIA

Banca Examinadora

MARIA GABRIELA MENEZES DE OLIVEIRA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MARIA GABRIELA MENEZES DE OLIVEIRA Docente - PERMANENTE
BEATRIZ RAPOSO DE MEDEIROS Participante Externo
TEREZA RAQUEL DE MELO ALCANTARA SILVA Participante Externo
SONIA MARIA CESAR DE AZEVEDO SILVA MOURA MAGALHAES GOMES Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não