Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
CIÊNCIA ANIMAL NOS TRÓPICOS (28001010036P7)
AVALIAÇÃO DA INTRODUÇÃO DE CARNE BOVINA CRUA NA ALIMENTAÇÃO DE CÃES SAUDÁVEIS
DANIELA MACHADO CARAPIA
DISSERTAÇÃO
20/05/2019

Existe uma tendência a buscar hábitos mais naturais por parte da população e essa tendência inclui as práticas alimentares para com seus animais de estimação; no caso, os alimentos cárneos crus representam a alternativa natural para cães e gatos. O presente estudo propôs avaliar os riscos e benefícios potenciais da ingestão de carne crua como parte da dieta de cães. Foram avaliados 12 cães, sendo seis (6) de canil de reprodução comercial e seis (6) de canil-abrigo, por meio de exame clínico, análises hematológicas, bioquímicas e parasitológicas antes e depois da intervenção dietética com 20% de carne bovina crua do volume ingerido. Os cães receberam a mesma ração comercial seca durante 15 dias (fase de adaptação) e em seguida receberam 20% da ingesta diária em carne crua in natura durante 15 dias. A carne bovina crua fornecida aos cães foi analisada por meio de microbiologia para investigação de contaminação bacteriana utilizando métodos padronizados para pesquisa de aeróbios mesófilos, coliformes e Salmonella sp. Amostras de carne bovina crua provenientes de diferentes estabelecimentos comerciais da Região Metropolitana de Salvador, Bahia, foram também analisadas pelos mesmos métodos microbiológicos. Os resultados do hemograma revelaram elevação das médias de contagem de hemácias (p<0,05), volume globular (p<0,05) e hemoglobina (p<0,05) após a introdução de carne crua. Não houve diferenças significantes nas contagens de leucócitos totais, segmentados, eosinófilos, linfócitos e plaquetas, que pudessem ser associadas à dieta à base de carne crua. A pesquisa e quantificação de microorganismos aeróbicos mesófilos indicou que 75% das amostras de carne apresentaram contagem superior a 105 UFC, indicando degeneração do alimento, 92% das amostras continham enterobactérias, incluindo E. coli, e nenhuma continha Salmonella spp. O presente estudo mostrou que a ingestão de carne crua trouxe benefícios evidenciados nos parâmetros hematológicos dos cães. Não foram verificadas evidências de infecção em parâmetros clínicos, leucograma e bioquímica sérica e testes parasitológicos dos cães que pudessem ser associados à ingestão de carne crua. Esses resultados indicam que o uso de carne crua na dieta pode ser benéfico à saúde dos cães, e abrem a perspectiva para novos estudos sobre aspectos nutricionais e da saúde canina associada a alimentação cárnea crua.

caninos;alimentos cárneos;dieta;segurança;Patógenos
There is a tendency to seek more natural habits on the part of the population and this tendency includes the feeding practices for their pets; in this case, raw meat foods represent the natural alternative for dogs and cats. The present study proposed to evaluate the potential risks and benefits of raw meat intake as part of the dog diet. Twelve dogs were evaluated, six (6) of commercial kennel and six (6) of kennel-shelter, by means of clinical examination, hematological, biochemical and parasitological analyzes before and after the dietary intervention with 20% of raw bovine meat of the volume ingested. Dogs received the same dry commercial feed for 15 days (adaptation phase) and then received 20% of the daily intake of fresh raw meat for 15 days. The raw beef supplied to the dogs was analyzed by means of microbiology to investigate bacterial contamination using standard methods for the research of mesophilic aerobes, coliforms and Salmonella sp. Samples of raw beef from different commercial establishments in the Metropolitan Region of Salvador, Bahia, were also analyzed by the same microbiological methods. The results of the hemogram revealed increased mean red blood cell counts (p <0.05), globular volume (p <0.05) and hemoglobin (p <0.05) after the introduction of raw meat. There were no significant differences in counts of total, segmented leucocytes, eosinophils, lymphocytes and platelets that could be associated with the diet based on raw meat. The research and quantification of mesophilic aerobic microorganisms indicated that 75% of the meat samples had counts greater than 105 UFC, indicating degeneration of the food, 92% of the samples contained enterobacteria, including E. coli, and none contained Salmonella spp. The present study showed that the ingestion of raw meat brought benefits evidenced in the hematological parameters of the dogs. There were no evidence of infection in clinical parameters, leukogram and serum biochemistry and parasitological tests of the dogs that could be associated with the ingestion of raw meat. These results indicate that the use of raw meat in the diet may be beneficial to dogs' health and open the prospect for new studies on nutritional aspects and canine health associated with raw meat feeding.
Canines;Meat products;Diet;Safety;Pathogens
1
74
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

SAÚDE ANIMAL
DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS
Metabolismo, diagnóstico e intervenção Terapêutica na Leishmaniose Canina Naturalmente Adquirida

Banca Examinadora

STELLA MARIA BARROUIN MELO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
ALESSANDRA ESTRELA DA SILVA LIMA Docente - PERMANENTE
EDERLAN DE SOUZA FERREIRA Participante Externo
STELLA MARIA BARROUIN MELO Docente - PERMANENTE
CARLOS PASQUALIN CAVALHEIRO Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - CAPES 20

Vínculo

CLT
Empresa Privada
Profissional Autônomo
Sim