Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
CIÊNCIA ANIMAL NOS TRÓPICOS (28001010036P7)
EXPOSIÇÃO DE CÃES A Sarcocystis neurona NA ZONA RURAL DO MUNICÍPIO DE ILHÉUS, BAHIA
CLEUSA MARIA CARNEIRO OLIVEIRA
DISSERTAÇÃO
15/02/2019

OLIVEIRA DEIRÓ, C. M. C. Exposição de cães a Sarcocystis neurona na zona rural do município de Ilhéus, Bahia. Salvador, 2018. 44p. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal nos Trópicos. Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal da Bahia. Sarcocystis neurona é um protozoário coccídio, considerado o principal causador da mieloencefalite protozoária equina. A infecção por S. neurona e indução de doença neurológica em cães têm sido relatadas na América do Norte, sendo o cão considerado um hospedeiro aberrante ou acidental do protozoário. Objetivou-se com este estudo testar soros caninos provenientes da zona rural de Ilhéus, Bahia, quanto à reatividade a S. neurona. Avaliou-se também a reatividade cruzada com o protozoário Sarcocystis cruzi, que tem cães como hospedeiros definitivos. Foram testadas 353 amostras de soro caninos pela técnica da reação de imunofluorescência indireta (RIFI) com ponto de corte de 1:25, utilizando-se merozoítos de S. neurona produzidos em cultivo celular e bradizoítos de S. cruzi obtidos a partir de cistos de miocárdio bovino confirmados na PCR e sequenciamento, e 14 amostras aleatórias foram testadas no WB/imunoblot. Os resultados obtidos foram comparados com os seguintes dados dos cães: idade, sexo, domicílio, hábito de caça, contato com cavalos, bovinos e animais silvestres, zona de mata e disfunção neurológica para traçar um perfil epidemiológico. Os resultados da RIFI indicaram uma frequência de animais expostos a S. neurona de 3,39% (12/353) e a S. cruzi de 4,81% (17/353). Duas amostras (0,56%) foram positivas para ambas as espécies. No WB/imunoblot bandas de proteínas específicas para S. neurona foram observadas em oito amostras reativas na RIFI. A análise estatística demonstrou associação entre a variável contato com animais silvestres e a presença de anticorpos anti-S. neurona. Em conclusão, os soros dos cães foram reativos a antígenos de S. neurona e S. cruzi na região estudada, sem evidência de reação sorológica cruzada entre os parasitos na RIFI, porém, apresentam reatividade cruzada no imunoblot. Provavelmente, os animais foram expostos a formas infectantes de ambos os parasitos ou a espécies de Sarcocystis geneticamente semelhantes.

Doença neurológica;RIFI;imunoblot;reação cruzada;sorologia
OLIVEIRA DEIRÓ, C. M. C. Dogs exposure to Sarcocystis neurona in rural areas of the city of Ilhéus, Bahia. Salvador, 2018. 44p. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal nos Trópicos. Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal da Bahia. Sarcocystis neurona is a coccidian parasite that is the major cause of equine protozoal myeloencephalitis. Infection by S. neurona and induction of neurologic disease in dogs have been reported in North America, where the dog is considered an aberrant or accidental host of the protozoa. The aim of this study was to test dog sera from rural areas of the city of Ilhéus, Bahia, to S. neurona .Potential serologic cross-reactivity to the protozoan Sarcocystis cruzi was also evaluated, as the dog is definitive host of this parasite. Sera from 353 dogs were tested by immunofluorescent antibody technique (IFAT) to S. neurona with a cut of 1:25, using merozoites produced in cell culture, and to S. cruzi, employing bradyzoites extracted from bovine myocardium confirmed by PCR and sequencing, and 14 samples were random chosen for immunoblot. The results obtained were evaluated with the following data about the dogs: age, gender, residence, hunting habits, contact with horses, stockyard and wild animals, inhabiting close to forest and neurological disease in order to gather better epidemiological information. The results obtained by IFAT indicated a frequency of 3.83% (12/353) of dogs exposed to S. neurona, and 4.81% (17/353) to S. cruzi. Two samples (0.56%) were simultaneously positive for both antigens. In the immunoblot, proteins bands for S. neurona were observed in eight samples that tested positive in IFAT. Statistical analysis indicate association between the variable contact with wild animals and antibodies to S. neurona. In conclusion, sera from dogs were reactive to S. neurona and S. cruzi antigens in the studied region, without evidence of serologic cross-reactivity between the parasites by IFAT, however, cross-reactivity occurred in immunoblot. The dogs were probably exposed to infectivity forms from both parasites or to genetically-related Sarcocystis species.
Neurological disease;IFAT;immunoblot;cross- reactivity;serology
1
57
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

SAÚDE ANIMAL
DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS
Sarcocystis neurona: detecção, caracterização molecular e frequência sorológica em hospedeiros definitivos

Banca Examinadora

LUIS FERNANDO PITA GONDIM
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
CARLOS ROBERTO FRANKE Docente - PERMANENTE
THIAGO CAMPANHARO BAHIENSE Participante Externo
ALEXANDRE MORAES PINHEIRO Participante Externo
LUIS FERNANDO PITA GONDIM Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUNDACAO DE AMPARO A PESQUISA DO ESTADO DA BAHIA - Programa de Bolsas FAPESB - Cota Institucional 24

Vínculo

-
-
-
Sim