Dados do Trabalhos de Conclusão

CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO
Poder Legislativo (53037014001P0)
ABSENTEÍSMO POR DOENÇA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS: um recorte de gênero
CLARISSA TOLENTINO RIBEIRO ESTRELA
ESTUDO DE CASO
06/12/2018

O absenteísmo-doença (AD) afeta o funcionamento de organizações públicas e privadas. Conhecer suas características contribui para o desenvolvimento de ações de promoção de saúde e prevenção de adoecimento. Observam-se mais afastamentos entre as mulheres, contudo ainda há uma lacuna de teoria e pesquisa relativas ao porquê dessa diferença existir. O objetivo do trabalho é caracterizar o AD entre as servidoras efetivas da Câmara dos Deputados, nos anos de 2015 a 2017, com base no recorte de gênero. Foi realizada pesquisa descritiva, transversal e epidemiológica. A análise quantitativa envolveu o uso de estatísticas descritivas e inferenciais. Foram utilizados dados primários, obtidos junto ao Departamento de Pessoal. O resultado da regressão múltipla teve baixo poder preditivo (R2ajustado =0,09), evidenciando a dificuldade de explicar o AD utilizando as variáveis explicativas. Por meio do teste não paramétrico de Wilcoxon-Mann-Whitney pôde-se inferir que há diferença estatística significativa entre a média de dias afastados entre homens e mulheres e entre o número médio de afastamentos de cada sexo, tendo as servidoras uma média maior. O teste não paramétrico de Kruskall-Wallis utilizado para se comparar as diferenças entre as lotações concluiu que o tempo médio em que os servidores das áreas Administrativa, Legislativa e Política-Legislativa ficaram afastados são iguais e que a quantidade média de registros de afastamentos é análoga aos três grupos de lotação. Pode-se definir que o perfil de servidores com mais AD é composto por mulheres, casadas, entre 49 a 60 anos, com uma classe de dependentes, ocupantes do cargo de AL, lotadas na área Administrativa, sem função comissionada e com 0 a 10 anos de CD na data do afastamento. As principais causas de afastamentos entre os servidores e servidoras foram: doenças do aparelho respiratório, seguido pelos fatores que influenciam o estado de saúde e o contato com os serviços de saúde e as doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo. As mulheres têm mais registros que os homens em todos os grupos de doenças, exceto no caso de lesões, envenenamentos e algumas outras consequências de causas externas. Em relação ao número de dias de afastamento, o grupo com maior quantidade foi o dos transtornos mentais e comportamentais. A maioria das licenças é de um dia tanto para homens como para mulheres. Em número de dias, as mulheres têm maior período de afastamento em todas as categorias, exceto em LTS de mais de 31 dias, faixa em que os homens se afastam por maior período. Cabe destacar que 80,6% das LTS são de até 5 dias. O recorte de gênero mostrou-se relevante no estudo.

Absenteísmo-doença;Gênero;Mulher;Administração Pública;Poder Legislativo
Absenteeism-disease (AD) affects the way public and private organizations work. Knowing their characteristics contributes to the development of actions that promote health and prevent illness. Sick leaves have been observed more often among women, however there is still a gap in theory and research as to why this difference exists. The objective of this work is to characterize the AD among the effective civil servants of the Chamber of Deputies (CD), from 2015 to 2017, based on the gender cut. A descriptive, cross-sectional and epidemiological study involving quantitative analysis using descriptive and inferential statistics has been carried out. Primary data was obtained from the Personnel Department. The result of the multiple regression showed low predictive power (R2 adjusted = 0,09), evidencing the difficulty in explaining AD using the selected explanatory variables. The non-parametric Wilcoxon-Mann-Whitney test showed a statistically significant difference between the average days of medical leave comparing men and women, and between the average number of medical leave taken by each sex, the average among women being higher. The nonparametric Kruskall-Wallis test was used to compare the differences among sectors, and concluded that the average absense time for servants of the Administrative, Legislative and Political-Legislative areas was the same, and that the average number of leave records is analogous to the three groups. The profile of servants with more AD is comprised of women, married, between 49 and 60 years, with one class of dependents, Legislative Analyst, working in the Administrative area, not occupying a commissioned function, and who had been working from 0 to 10 years. The main causes of AD for both sexes were: diseases of the respiratory system, followed by factors that influence health condition and contact with health services, and diseases of the musculosqueletal system and connective tissue. Women had more records than men in all groups of diseases, except in the case of injuries, poisoning and some other consequences of external causes. The group with the highest number of medical leave was the one with mental and behavioral disorders. Most of the sick leave taken was for one day, for both men and women. Women were absent for more days in all categories, except when the leave lasted more than 31 days, in which men stay away for longer periods. 80.6% of the sick leaves are up to 5 days. The gender cut was relevant in the study.
Absenteeism-disease;Gender;Woman;Public Administration;Legislative Power
1
138
PORTUGUES
CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

PODER LEGISLATIVO
GESTÃO PÚBLICA NO PODER LEGISLATIVO
-

Banca Examinadora

GIOVANA DAL BIANCO PERLIN
Sim
Nome Categoria
NELSON GOMES DOS SANTOS FILHO Docente
THIAGO LOPES CARNEIRO Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não

Produções Intelectuais Associadas

Não existem produções associadas ao trabalho de conclusão.