Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
VETERINÁRIA (42003016008P2)
Identificação de receptores hormonais na placenta e avaliação do efeito da hormonioterapia em éguas com placentite
LUCIANA DE ARAUJO BORBA
TESE
26/02/2019

O desenvolvimento de sepse neonatal é uma consequência comum da placentite, sendo considerada a maior causa de morte em potros com menos de sete dias de vida, assumindo importância clínica e econômica em todo mundo devido aos custos com o tratamento e a baixa taxa de sobrevivência. Considerando a importância e necessidade da detecção precoce da sepse neonatal e do estabelecimento de um prognóstico para esses potros, se faz necessária a investigação de marcadores que apresentem alta sensibilidade e facilidade para mensuração na prática clínica. Desta forma, objetivamos avaliar a utilidade de marcadores sanguíneos como preditores precoces de sepse e de não sobrevivência em potros neonatos. Foram utilizados 35 potros, divididos em três grupos: sete potros saudáveis serviram como grupo controle, e 28 potros nascidos de éguas com placentite ascendente induzida experimentalmente foram divididos em dois grupos de acordo com o escore de sepse, em potros não sépticos (n=19) e potros sépticos (n=9), e de acordo com a sobrevivência, em: sobreviventes (n=19) e não sobreviventes (n=9). Em um primeiro estudo foram comparados os marcadores sanguíneos em potros de acordo com o escore de sepse, verificando-se que potros que apresentam sepse neonatal demonstraram acentuadas alterações no metabolismo energético, com hipoglicemia ao nascimento e redução da atividade da enzima GGT, e aumento do lactato e ureia, além de apresentarem elevadas concentrações de fibrinogênio, AFP e SAA. Colesterol e lactato demonstraram serem bons marcadores para detectar a sepse nas primeiras 48 horas de vida. No segundo estudo, foi avaliada a relação entre os marcadores bioquímicos e inflamatórios com a não sobrevivência, e sua utilidade como preditores de não sobrevivência nos potros durante o primeiro mês de vida. A mensuração dos níveis de glicose, triglicerídeos e GGT ao nascimento demostraram ser bons marcadores para predizer a não sobrevivência, com elevada sensibilidade e especificidade, podendo ser utilizados para auxiliar na tomada de decisões sobre as chances de sobrevivência de potros em rotina clínica. Com os resultados obtidos, ficou demonstrado que potros sépticos e não sobreviventes apresentam metabolismo energético e lipídico alterados, e intensa resposta inflamatória e que marcadores sanguíneos periféricos, como colesterol e lactato, são marcadores adequados para detectar precocemente a sepse e, glicose, triglicerídeos e GGT são úteis na rotina clínica para prever a não sobrevivência em potros.

sepse;potros;parâmetros bioquímicos;proteínas de fase aguda;sobrevivência
Neonatal sepsis is a common consequence of placentitis and has been considering the leading cause of neonatal death during the first week post-foaling. Assuming clinical and economic importance worldwide due to treatment costs and low survival rate. Considering the roll of early diagnosis of septicemia in neonatal foals and the establishing a prognosis for these foals, it is necessary to investigate markers that presenting high sensitivity that can be easily assessed in clinical practice. Thus, we aimed to evaluate the usefulness of blood markers as early predictors of sepsis and as predictors of non-survival in neonatal foals. Thirty-five foals were used, divided into three groups: seven healthy foals served as a control group, and 28 foals born from mares with experimentally induced ascending placentitis were divided into two groups according to sepsis score in: non-septic foals (n = 19) and septic foals (n = 9), and according to outcome in: survivors (n = 19) and non-survivors (n = 9). In the first study, it was found that foals with neonatal sepsis showed marked changes in the energy metabolism, with hypoglycemia at birth and reduced GGT enzyme activity, and increased lactate and urea levels, besides presenting high concentrations of fibrinogen, AFP and SAA. Cholesterol and lactate have been shown to be good markers for detecting sepsis within the first 48 hours of life. In the second study, we evaluated the relationship among biochemical and inflammatory markers with nonsurviving, and their usefulness as death predictors. Measurement of glucose, triglyceride and GGT levels at birth have been shown to be good markers for predicting non-survival, with high sensitivity and specificity, and can be used to assist in making decisions about the chances of survival of foals in clinical routine. The results showed that septic and non-surviving foals presented several metabolic and inflammatory responses, so peripheral blood markers such as cholesterol and lactate are suitable markers for early detection of sepsis and glucose, triglycerides and GGT are useful in clinical practice for predicting non-survival in foals.
sepsis;foals;biochemical markers;acute-phase proteins;survival
1
68
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

SANIDADE ANIMAL
CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS E GRANDES ANIMAIS
Avaliação da resposta clínica e metabólica de potros neonatos nascidos de éguas com placentite ascendente submetidas a diferentes tratamentos hormonais

Banca Examinadora

BRUNA DA ROSA CURCIO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
BRUNA DA ROSA CURCIO Docente - PERMANENTE
CARLOS EDUARDO WAYNE NOGUEIRA Docente - PERMANENTE
LUCIANA ARAUJO LINS Participante Externo
AUGUSTO SCHNEIDER Docente - PERMANENTE

Vínculo

Servidor Público
Empresa Pública ou Estatal
Outros
Não