Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO ( BOTUCATU )
BIOTECNOLOGIA ANIMAL (33004064086P1)
COMPORTAMENTO ESTRAL E OVARIECTOMIA LAPAROSCÓPICA EM MULAS
FABIO HENRIQUE BEZERRA XIMENES
TESE
02/03/2018

O comportamento das mulas, durante o estro, influencia negativamente sua função zootécnica. A ovariectomia tem se apresentado como forma de torná-las mais cooperativas. Procedimentos realizados por videocirurgia se apresentam com uma possibilidade para reduzir as complicações trans e pós-operatórias. Então, foram utilizadas 9 mulas, com idade de 7,9 ± 3,2 anos, pesando 352 ± 76 kg. Realizou-se estudo do comportamento reprodutivo dos animais durante a rufiação com garanhão equino, nas diferentes fases do ciclo estral. A duração do estro foi de 6,4 ± 1,4 dias. As ovulações ocorreram 5,3 ± 2,6 dias após o início dos sinais de estro. Os sinais que apresentaram maior correlação foram micção frequente (MF) e levantamento da cauda (LC) (0,79) e imobilidade (IM) e LC (0,76) enquanto que os que apresentaram menor correlação foram aproximação do macho (AM) e LC (0,26) e AM e MF (0,29). Posteriormente foi realizada a ovariectomia por videolaparoscopia e no pós-operatório foi realizado o acompanhamento clínico-laboratorial para caracterizar possíveis complicações da técnica. Para hemostasia dos vasos presentes no pedículo ovariano utilizou-se no grupo A um bisturi ultrassônico e no grupo B um aplicador de clips de laqueação de titânio. Observou-se que o grau de dificuldade da ovariectomia foi inversamente proporcional ao tamanho do ovário. O enfisema subcutâneo foi a complicação pós-operatória mais evidente, sendo observada em todo grupo (9/9), e o hemoperitôneo foi considerado a complicação mais grave (1/9). Não houve diferença estatística (p ≤ 0,05) entre os grupos A e B. Após o procedimento cirúrgico os animais passaram por um período de descanso de 30 dias e foram submetidos à rufiação conforme modelo proposto por no mínimo 60 dias. Apenas 1 (1/9) animal apresentou sinal comportamentais compatíveis com estro, porém ocorreu em um único dia e não houve repetição. As demais mulas não apresentaram mais nenhum sinal de estro durante o período estudado.

etologia;reprodução de mulas;ciclo estral;vídeocirurgia;castração
The mules’ behavior influences their zootecnical function negatively during the estrus. Ovariectomy is an interesting way to make these animals more cooperative. Videosurgeric procedures has become a possibility to reduce operative and postoperative complications. Nine mules underwent the procedure and were followed from January to May 2017. The average age of the animals was 7,9 ± 3,2 years old and the weight approximately 352 ± 76 kg. A prospective evaluation of reproductive behavior was set during the ruffling of the stallion equine, along different phases of the estrus. Estrus length was 6,4 ± 1,4 days. Ovulation occurred 5.3 ± 2.6 days after the onset of estrus signs. The signs that presented the highest correlation were frequent micturition (MF) with tail lifting (LC) (0,79) and immobility with just LC (0,76). The least correlations were male approximation (AM) with LC and AM with MF. Subsequently, video-laparoscopic ovariectomy was performed. In post-operative days, clinical follow up and laboratory assay were performed to detect possible complications. Two groups were randomly selected for ultrasonic scalpel (group A) and titanium clips (group B) aiming the hemostasis of the vascular pedicle on the ovaries. The difficulty of the procedure was greater as smaller the ovary was. Some complications were observed. Subcutaneous emphysema was found in all mules studied, possibly caused by CO2 blowing. On the other hand, hemo-peritoneum was uncommon (just one animal developed this phenomenon) but the most severe complication. No statistical differences were observed between groups A and B. After the surgery, the animals remained in rest for thirty days. The mules underwent ruffling for at least sixty days. Only one animal showed estrus behavior, but during just one day. All the other mules haven’t presented any estrus sign during the study.
Ethology;mules’ reproduction;estrus cycle;Videosurgery;castration
1
61
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO ( BOTUCATU )
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

CIRURGIA ANIMAL
CLÍNICA-CIRÚRGICA ANIMAL
Abordagem laparoscópica para castração de mulas (Equus asinus caballus)

Banca Examinadora

CELSO ANTONIO RODRIGUES
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
LUIS CLAUDIO LOPES CORREIA DA SILVA Participante Externo
CARLOS ALBERTO HUSSNI Docente - PERMANENTE
PAULA ALESSANDRA DI FILIPPO Participante Externo
CEZINANDE DE MEIRA Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUNDACAO DE AMPARO A PESQUISA DO ESTADO DE SAO PAULO - Auxílio à Pesquisa - Regular 24

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim