Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
LETRAS (40002012012P8)
Rubem Braga e a escrita: as metalinguagens da crônica
PRISCILA ROSA MARTINS PAVINI
DISSERTAÇÃO
08/11/2013

O objetivo deste trabalho é averiguar como a metalinguagem se configura na obra de Rubem Braga, de maneira que possa contribuir para uma discussão teórico-crítica sobre a crônica. A partir deste recorte, verificou-se como se estruturam as relações entre escrita e aquele que escreve. Para tal, selecionamos crônicas publicadas em livros e crônicas inéditas, disponíveis no acervo da Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro. No processo de análise, vimos a metalinguagem se pluralizar, necessitando um reagrupamento do corpus. Assim, o trabalho se divide em dois grupos, um por tema, correspondendo às crônicas metalinguísticas e metacrônicas, e o segundo, por seu enunciador, que pode ser literato, jornalista, publicitário ou cronista. Neste último, abordamos ainda questões relacionadas à autoria e o papel do leitor evidenciado como narratário destes textos. Desta maneira, percebemos que o trabalho com a metalinguagem, por propiciar a reflexão, aproxima-se ao trabalho do intelectual, mas não ao modelo de intelectual clássico. O intelectual que vemos emergir da obra de Braga tem por características a recusa em se assumir porta-voz das massas, a movimentação entre os seus semelhantes através do uso da linguagem cotidiana, o constante questionamento sobre os meios de veiculação de seu trabalho e a preocupação com a profissionalização daqueles que trabalham através da escrita

Crônica. Rubem Braga. Metalinguagem.
The objective of this work is to investigate how the metalanguage configures itself in the work of Rubem Braga, in a way that it contributes for a theoretic-critical discussion about chronicles. Within this framework, it was verified how the relation between writing and the one who writes is structured. Therefore, we selected chronicles published in books and unpublished, those available in the pile of Fundação Casa de Rui Barbosa, in Rio de Janeiro. In the process of analysis, we saw the metalanguage pluralize itself, necessitating regrouping the corpus. In that way, the work is divided in two groups, one by theme, corresponding to the metalinguistics chronicles and metachronicles, and the second one, by its enunciator, which might be literate, journalist, advertisement man or chronicler. In the last one, we yet approach questions related to authorship and the emphasized role of the reader as the narratee of these texts. Thereby, we realized that the work with metalanguage, allowing the reflection, approximates to the work of the intellectual, but does not to a classic intellectual model. The intellectual we see emerging from the work of Braga is characterized by the refusal to be the spokesperson of masses, the mobility between its likes through daily language, the constant questioning about the means of publishing his work and the preoccupation with the professionalization of those who work with the writing.
Chronicle. Rubem Braga. Metalanguage.
1
99
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

ESTUDOS LITERÁRIOS
DIÁLOGOS CULTURAIS
Retratos contemporâneos da intimidade no conto e na crônica

Banca Examinadora

LUIZ CARLOS SANTOS SIMON
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
SONIA APARECIDA VIDO PASCOLATI Docente - PERMANENTE
WILBERTH CLAYTHON FERREIRA SALGUEIRO Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não