Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA
EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA (42002010158P1)
EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO CÁRCERE FEMININO: UMA PROPOSTA EMANCIPATÓRIA
ELIZETE HELENA ALVES DA CRUZ
DISSERTAÇÃO
06/08/2018

O interesse no tema “educação profissional no cárcere” iniciou após inserção no grupo de estudos e pesquisa sobre “Educação e Gênero” e projeto de extensão “Do cativeiro à liberdade: narrativas de histórias de mulheres presas”; tendo sequência no curso de Especialização do Programa de Pós-Graduação em Gestão Educacional (CE/UFSM). Nesse itinerário formativo, meu olhar ficou atento sobretudo aos anseios das mulheres apenadas com relação à necessidade de escolarização e/ou qualificação profissional no ambiente prisional, o que foi determinante ao aprofundamento da questão em nível de Mestrado: “Educação profissional no cárcere feminino: uma proposta emancipatória”. Neste estudo, de natureza qualitativa, a metodologia de pesquisa utilizada foi a revisão bibliográfica e entrevistas semiestruturadas junto à representantes de instituições educacionais, jurisdicionais, do trabalho, apenadas e egressa. Diante da necessidade de um movimento de reflexão compartilhada e em conjunto com outros saberes e experiências formativas sobre a educação profissional nos ambientes de privação de liberdade - e em que medida esta modalidade educativa pode auxiliar no processo emancipatório - é que o presente estudo encontra sua justificativa. A pesquisa teve como objetivo analisar a educação profissional no cárcere como um processo educativo que visa a emancipação do ser humano, sendo imprescindível a leitura de Freire (1996) a partir da prática, pois conhecer é lutar para oportunizar o acesso ao conhecimento transformador e assumir uma postura vigilante contra todas as práticas de desumanização. Aliás, Butler (2010) aduz ser a categoria das mulheres produzida e reprimida pelas mesmas estruturas de poder por intermédio das quais busca-se a emancipação. Já Louro (2003) infere que relações de desigualdade se constroem e se reproduzem no campo social, sendo necessário recolocar a questão em todos os âmbitos de debate. Com efeito, compreender o sistema educacional e as práticas escolares nos aspectos administrativos, técnicos, políticos, legais, pedagógicos, metodológicos e de gênero possibilita a construção coletiva do projeto político-pedagógico nos espaços e tempos prisionais ante os desafios ao processo educativo e dificuldades enfrentadas pelas escolas inseridas nesses ambientes. Portanto, acredita-se que a educação profissional é uma proposta imprescindível às mulheres privadas da liberdade para que, assim, possam se (re)inserir no mundo do trabalho, emprego e renda e serem protagonistas de sua própria história.

Emprego;Apenadas;Educação Prisional;Educação profissional;Emancipação;. Emprego
The interest in the subject "professional education in the prison" began after insertion in the group of studies and research on "Education and Gender" and project of extension." From captivity to freedom: narratives of stories of women prisoners"; followed in the Specialization course of the Post-Graduate Program in Educational Management (CE/UFSM). In this formative itinerary, my attention was focused mainly on the anxieties of women distressed about the need for schooling and / or professional qualification in the prison environment, which was decisive for the deepening of the issue at the Master level: "Professional education in the female prison: an emancipatory proposal". In this qualitative study, the research methodology used was the bibliographical review and semistructured interviews with the representatives of educational, jurisdictional, labor, distressed and egressed institutions. In view of the need for a shared reflection movement and together with other knowledge and formative experiences about professional education in the environments of deprivation of freedom - and to what extent this educational modality can help in the emancipatory process - is that the present study finds its justification The research aimed to analyze professional education in prison as an educational process that aims at the emancipation of the human being, being indispensable the Freire's reading (1996) from the practice, since to know is to fight to access a transformative knowledge and assume a vigilant stance against all dehumanizing practices. In fact, Butler (2010) appears to be the category of women produced and repressed by the same structures of power by means of which emancipation is sought. However, Louro (1997) infers that relations of inequality are built and reproduced in the social field, and it is necessary to reinsert the issue in all areas of debate. In fact, understanding the educational system and the school practices in the administrative, technical, political, legal, pedagogical, methodological and gender aspects makes possible the collective construction of the political-pedagogical project in prison spaces and times before the challenges to the educational process and difficulties faced by the schools inserted in these environments. Therefore, it is believed that professional education is an essential proposition for women deprived of their liberty so that they can (re)enter into the world of work, employment and income and be protagonists of their own history.
Distressed;Prison education;Professional education;Emancipation;Employment
1
201
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
Formação Docente para Educação Profissional e TecnoLógica
-

Banca Examinadora

ASCISIO DOS REIS PEREIRA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
OLINDA BARCELLOS Participante Externo
JANETE MARIA DE CONTO Docente - COLABORADOR

Vínculo

-
-
-
Não