Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
ENFERMAGEM (33009015035P2)
OS EFEITOS DO USO DE UM JOGO DE TABULEIRO NO ENFRENTAMENTO DO CÂNCER INFANTIL
DANIELA DOULAVINCE AMADOR
TESE
26/04/2018

Introdução: investigações sobre o enfrentamento da experiência de doença pela criança evidenciam a importância da informação, considerada um direito, que deve ser contemplado pelos profissionais de saúde. Crianças com câncer desejam ser informadas sobre a doença e o tratamento de maneira interativa, em linguagem apropriada ao seu desenvolvimento. Questiona-se se o uso de um jogo de tabuleiro, contendo informações e recursos sobre o câncer aumenta o emprego e a eficácia das estratégias de enfrentamento utilizadas pela criança. Objetivo: avaliar os efeitos do uso de um jogo de tabuleiro no enfrentamento do câncer infantil. Método: estudo de intervenção do tipo antes e depois, realizado em um instituto especializado no tratamento de câncer infanto-juvenil na cidade de São Paulo. Participaram 35 crianças com câncer, em tratamento quimioterápico, com idade entre oito e 12 anos, no período de agosto a outubro de 2017. A intervenção consistiu no jogo de tabuleiro denominado Skuba! Uma aventura no fundo do mar, desenvolvido e validado pela pesquisadora. Na pré-intervenção, aplicou-se um questionário sociodemográfico e o instrumento kidcope para avaliação da frequência e eficácia das estratégias de enfrentamento utilizadas pela criança com câncer. Na pós-intervenção reaplicou-se o kidcope e realizou-se observação participante e entrevista semiestruturada explorando a compreensão do significado das estratégias de enfrentamento utilizadas pela criança. Utilizou-se o método misto para coleta e análise dos dados. Os dados quantitativos foram submetidos a análise descritiva e inferencial (p≤0,05). A Análise Qualitativa de Conteúdo guiou a análise dos dados qualitativos. Resultados: as crianças revelaram que o jogo promoveu aprendizado e distração, ajudando-as a passarem o tempo de maneira lúdica e interativa, além de proporcionar uma melhor percepção das situações difíceis. Os dados evidenciaram aumento estatisticamente significante no uso das estratégias de enfrentamento (p=0,004), principalmente “Distração” (p=0,008) e “Reestruturação cognitiva” (p=0,002). As crianças avaliaram como mais eficazes as estratégias de enfrentamento ativo “reestruturação cognitiva” (p<0,001), “resolução de problemas” (p<0,001), “regulação emocional” (p=0,025) e “suporte social” (p=0,002); e as estratégias de evitação “distração” (p<0,001) e “resignação” (p=0,046). Houve redução no escore total de distress (p<0,001). O sentimento tristeza foi o mais referido, com redução significante na pós-intervenção (p=0,003). Para as crianças o jogo as ajudou a mudar o foco do problema, a partir da interação com um profissional da área da saúde. Conclusão: o jogo de tabuleiro “Skuba! Uma aventura no fundo do mar” apresenta-se como uma ferramenta útil para compartilhar informações com a criança com câncer, promover a interação entre o profissional e a mesma, aumentando o emprego de estratégias de enfrentamento ativo e de evitação.

Criança;Câncer;Enfrentamento;Tecnologia da informação Enfermagem
Introduction: Studies with children coping with cancer show the importance of information, which is considered as a right that should be recognized by healthcare professionals. Children with cancer wish to be informed about their disease and its treatment in an interactive manner, with language that is appropriate to their development. A question arises as to whether the use of a board game with information and resources on cancer can increase the application and effectiveness of coping strategies used by children. Objective: To evaluate the effects of a board game on coping with cancer in childhood. Method: A before-and-after study was performed at an institute specialized in the treatment of cancer in childhood and adolescence in the city of São Paulo. Thirty-five children with cancer aged eight to 12 years undergoing chemotherapy participated in the study from August to October 2017. The intervention consisted on using a board game called Skuba! An Adventure Under the Sea, which had been developed and validated by the researcher. As a pre-intervention, a sociodemographic questionnaire and the kidcope instrument were administered to evaluate the frequency and effectiveness of the coping strategies used by the child with cancer. After the intervention, the kidcope was administered again, the participant was observed, and a semi-structured interview was conducted that explored the meaning of the coping strategies used by the child. The mixed method was used for data collecting and analysis. The quantitative data were submitted to descriptive and inferential analysis (p≤0.05). The analysis of qualitative data was performed through Qualitative Content Analysis. Results: The game promoted learning and distraction, by helping the children spend their time in a playful and interactive way, as well as by providing a better insight into difficult situations. There was a statistically significant increase in the use of coping strategies (p=0.004), mainly "Distraction" (p=0.008) and "Cognitive Restructuring" (p=0.002). According to the children, the most effective active-coping strategies were "Cognitive Restructuring"(p<0.001), "Problem Solving" (p<0.001), "Emotional Regulation" (p=0.025) and "Social Support" (p=0.002); the most effective avoidant-coping strategies were "Distraction" (p<0.001) and "Resignation" (p=0.046). There was a reduction in the total distress score (p<0.001). The sadness was most frequently mentioned, with a significant reduction after the intervention (p=0.003). For the children, the game helped them change the focus from the problem by interacting with a healthcare professional. Conclusion: The board game Skuba! An Adventure Under the Sea is a useful tool to share information with children with cancer, to promote interaction between the professional and the child, by increasing the use of active-coping and avoidant-coping strategies.
Child;Câncer;Coping;Information Technology;Nursing
1
185
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

ENFERMAGEM, CUIDADO E SAÚDE
CUIDADO CLÍNICO DE ENFERMAGEM E SAÚDE (CCES)
-

Banca Examinadora

MYRIAM APARECIDA MANDETTA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
CARLA GONCALVES DIAS Participante Externo
MARIA MAGDA FERREIRA GOMES BALIEIRO Docente - PERMANENTE
MARGARETH ANGELO Participante Externo
REGINA APARECIDA GARCIA DE LIMA Participante Externo

Vínculo

CLT
Outros
Outros
Não