Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
NUTRIÇÃO (33009015041P2)
Adiponectina: papel no processo inflamatório e na esteatose hepática não-alcóolica (ehna) em adolescentes com obesidade, submetidos à terapia interdisciplinar
SOFIA EMANUELLE DE CASTRO FERREIRA VICENTE
TESE
17/12/2018

Introdução: A obesidade representa, mundialmente, um problema de saúde pública, comprometendo a expectativa de vida em crianças e adolescentes, tem sido associada à mortalidade e, especificamente, a um maior risco de desenvolver diabetes, doenças cardiovasculares, esteatose hepática não-alcoólica (EHNA), dentre outras doenças, comprometendo a qualidade de vida desses jovens. A adiponectina é um hormônio secretado pelo tecido adiposo e desempenha um papel importante na patogênese da obesidade e EHNA, devido às suas propriedades anti-inflamatórias. Esta adipocina se correlaciona negativamente com a porcentagem de gordura corpórea, distribuição de gordura central, insulina plasmática em jejum, tolerância oral de glicose, e com fatores de risco cardiovascular associados à obesidade, incluindo pressão arterial sistólica e diastólica e perfil lipídico alterado. Artigo 1: Objetivo: Investigar a associação da concentração de adiponectina com perfil metabólico e inflamatório de adolescentes com obesidade e diagnóstico de EHNA, submetidos a terapia interdisciplinar por um ano. Métodos: Quarenta e oito adolescentes com obesidade e diagnóstico de EHNA com idade entre 14 e 19 anos, de ambos os gêneros, foram submetidos a aconselhamento clínico, nutricional e psicológico, além de treinamento aeróbico e resistido durante 1 ano. Foram avaliados os parâmetros antropométricos (peso, altura, IMC, e composição corporal), parâmetros metabólicos (perfil lipídico e glicêmico), e parâmetros inflamatórios (adipocinas). A composição corporal foi avaliada por pletismografia. Os diagnósticos de EHNA, gordura visceral e subcutânea foram obtidos por ultrassonografia. Amostras de sangue foram coletadas para análise de biomarcadores metabólicos e inflamatórios. As concentrações de adiponectina e leptina foram medidas por ELISA. Para as análises estatísticas, os adolescentes foram distribuídos em dois grupos, de acordo com a concentração de adiponectina na condição basal (baixa ≤ 6,24 e alta > 6,24 μg/mL). Resultados Artigo 1: Somente os adolescentes com EHNA com maior concentração de adiponectina apresentaram diminuição significativa da resistência à insulina, colesterol total, LDL-colesterol após o tratamento, o que não foi observado no grupo com baixa concentração de adiponectina. Após a terapia de perda de peso, ambos os grupos analisados demonstraram redução no peso, índice de massa corporal, massa gorda corporal, massa livre de gordura, circunferência da cintura, gordura subcutânea e gordura visceral. Conclusão Artigo 1: A alta concentração de adiponectina melhorou o perfil lipídico e a resistência à insulina de adolescentes, mediando os processos metabólicos e inflamatórios que ligam a obesidade à EHNA. Artigo 2: Objetivo: Analisar se diferentes concentrações de adiponectina podem resultar em diferentes respostas em biomarcadores metabólicos e inflamatórios em adolescentes submetidos à terapia de perda de peso. Métodos: Foram incluídos 137 adolescentes com obesidade, pós-púberes, submetidos a 1 ano de terapia interdisciplinar. Amostras de sangue foram coletadas para análise de biomarcadores metabólicos e inflamatórios. A composição corporal e os perfis antropométricos foram medidos. Para as análises estatísticas, os adolescentes foram distribuídos em tercis de acordo com a concentração basal de adiponectina (baixo <3,89; médio ≥ 3,89 e ≤ 5,93 e alta > 5,93 ng/ml). Após a terapia de perda de peso, somente no grupo com alta concentração de adiponectina, tanto a resistência à insulina quanto o colesterol total melhoraram significativamente. Corroborando, a concentração de adiponectina foi negativamente correlacionada com a resistência à insulina. Além disso, no grupo de alta concentração de adiponectina, o efeito da magnitude foi acentuado quando analisado pelo delta de % gordura corporal e Teste Quantitativo de Sensibilidade à Insulina (QUICKI), quando comparado com o baixo tercil de adiponectina. Inversamente, no grupo com baixa concentração de adiponectina foi observado aumento notável na relação pró-inflamatória leptina/adiponectina quando comparada com concentrações média e alta, respectivamente. Em ambos os grupos, média e alta concentração de adiponectina, a concentração de leptina foi normalizada em resposta à perda de peso. Conclusão do Artigo 2: Nossos dados sugerem que altas concentrações de adiponectina em adolescentes com obesidade podem regular as alterações metabólicas e inflamatórias em pacientes submetidos a terapia de perda de peso, mostrando a importância desses achados na prática clínica para tratar e prevenir a obesidade e fatores de risco cardiometabólicos.

Adolescentes;Obesidade;Adiponectina;Inflamação;Metabolism.
Obesity worldwide represents a public health problem, compromising life expectancy in children and adolescents, has been associated with mortality and, specifically, a higher risk of developing diabetes and cardiovascular diseases, non-alcoholic fat liver disease (NAFLD), among other diseases, compromising the quality of life of these young people. Adiponectin is a hormone secreted by adipose tissue and plays an important role in the pathogenesis of obesity and NAFLD due to its anti-inflammatory properties. This adipokine correlates negatively with body fat percentage, central fat distribution, fasting plasma insulin, oral glucose tolerance, and cardiovascular risk factors associated with obesity, including systolic and diastolic blood pressure and altered lipid profile. Artigo 1: Investigate the association of adiponectin concentration with metabolic and inflammatory profiles of adolescents with obesity and diagnosis of NAFLD, submitted to 1-year interdisciplinary therapy. Forty-eight adolescents with obesity and diagnosis of NAFLD aged 14 to 19 years, of both genders, were submitted to a clinical, nutritional and psychological clinic, in addition to aerobic and resistance training for one year. The anthropometric parameters (weight, height, BMI, and body), metabolic signs (lipid and glycemic profile) and inflammatory (adipokine) emanders were evaluated. Body composition was measured by pletismography. Diagnoses of NAFLD, visceral and subcutaneous fat were obtained by ultrasonography. Blood samples were collected to analyze metabolic and inflammatory biomarkers. Adiponectin and leptin concentrations were measured by ELISA. For statistical analyses, the adolescents were distributed into 2 groups, according to adiponectin concentration at baseline condition (low ≤ 6.24 and high > 6.24 μg/mL). Only NAFLD patients with high adiponectin concentration presented a significant decrease in insulin resistance, total-cholesterol, LDL-cholesterol and increased adiponectin after treatment. After weight loss therapy, both groups analyzed demonstrated improvement in weight, body mass index, body fat mass, fat-free mass, waist circumference, subcutaneous fat and visceral fat. Conclusion: High adiponectin concentration improved the lipid profile and insulin resistance of adolescents, mediating the metabolic and inflammatory processes that link obesity with NAFLD Artigo 2: Aim:The present study aimed to investigate whether different concentrations of adiponectin can result in different responses in metabolic and inflammatory biomarkers among adolescents undergoing weight loss therapy. Methods: We enrolled, 137 post-pubertal adolescents with obesity in 1-year of interdisciplinary therapy. Blood samples were collected to analyze metabolic and inflammatory biomarkers. Body composition and anthropometric profiles were measured. For statistical analyses, the adolescents were distributed in tertiles according to baseline adiponectin concentration (lower <3.89; medium ≥ 3.89 and ≤ 5.93 and higher >5.93 ng/ml tertiles). Results: Interesting, after weight loss therapy, only in the group with high adiponectin levels, both insulin resistance and total cholesterol were significantly improvement. Corroborating, the adiponectin concentration was negatively correlated with insulin resistance. Additionally, in the high adiponectin concentration group the magnitude effect was accentuated when analyzed by delta of body fat % and Quantitative Insulin Sensitivity Check (QUICKI), and compared with the low tertile. Inversely, in the group with low adiponectin concentration was showed noticeable increase in the pro inflammatory leptin/adiponectin ratio when compared with medium and higher concentrations, respectively. In both groups, medium and high adiponectin concentration, the leptin concentration was normalized in response to the weight loss. Conclusion: The data suggest that high adiponectin concentration in adolescents with obesity may down regulate metabolic and inflammatory alterations in patients undergoing weight loss therapy, showing the importance of these findings in the clinical practice to treat and prevent obesity and cardiometabolic risk factors.
Adolescents;Obesity;Adiponectin;Metabolism, Inflammation
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

NUTRICAO
SAÚDE E NUTRIÇÃO EM GRUPOS POPULACIONAIS ESPECÍFICOS
Impacto de ação multiprofissional sobre a composição corporal, adiposidade visceral, central e periférica, perfil lipídico, regulação hormonal, distúrbios do sono e transtornos do humor em adolescentes ou adultos obesos.

Banca Examinadora

ANA RAIMUNDA DAMASO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
FERNANDA LUISA CERAGIOLI OLIVEIRA Docente - PERMANENTE
ANA RAIMUNDA DAMASO Docente - PERMANENTE
ALINE DE PIANO GANEN Participante Externo
DEBORAH CRISTINA LANDI MASQUIO DE JESUS Participante Externo
NAGILA RAQUEL TEIXEIRA DAMASCENO Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 29

Vínculo

CLT
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim