Dados do Trabalhos de Conclusão

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
CIÊNCIA ANIMAL (51001012013P9)
Ação potencializadora de quercetina associada à ivermectina sobre Haemonchus contortus: influências químicas e biológicas
DYEGO GONCALVES LINO BORGES
TESE
28/02/2018

Quercetina é um flavonoide que em avaliações in vitro tem demonstrado potencializar o efeito de ivermectina sobre larvas de Haemonchus sp. Avaliações farmacológicas in vivo de quercetina demonstram que é viável constituir associações com anti-helmínticos no intuito de controlar populações de helmintos resistentes. Apesar dos resultados já observados, tanto in vitro quanto in vivo, o efeito anti-helmíntico de associações contendo quercetina ainda precisa ser comprovado. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a ação anti-hemíntica de ivermectina associada à quercetina, administrados por via intra-abomasal, em ovinos naturalmente infectados por isolado de Haemonchus contortus resistente a ivermectina. Adicionalmente, avaliou-se, pela primeira vez, a influência do estágio de desenvolvimento e do nível de resistência de H. contortus sobre a capacidade de potencialização da quercetina em larvas e adultos desse parasito. Foram realizados dois experimentos: experimento A - teste anti-helmíntico controlado para avaliar os seguintes tratamentos via intra-abomasal: grupo I (Ivermectina, Ivomec® oral), grupo II (Ivermectina, Ivomec® oral; quercetina SigmaAldrich®) e grupo III (quercetina); experimento B - teste de inibição da migração larval e de motilidade de adultos, com isolados com diferentes perfis de resistência (susceptível; resistente e muito resistente à ivermectina). A associação farmacológica não influenciou nas contagens de OPG (p>0,05), assim como não reduziu a carga parasitária (p>0,05) em ovinos infectados. No teste de inibição da migração larval, a adição de diferentes concentrações de quercetina não reduziu significativamente a concentração efetiva média (EC50) para ivermectina no isolado sensível e no isolado com maior fator de resistência, porém reduziu significativamente a EC50 para ivermectina no isolado com fator de resistência intermediário (de FR=3,15 para FR=0,33). No teste de motilidade de adultos, quercetina não reduziu significativamente a EC50 de ivermectina sobre os adultos em nenhum dos isolados testados. A ação potencializadora de quercetina foi influênciada pelo nível de resistência e pelo estágio desenvolvimento do parasito.

moduladores;Haemonchus;flavonoides;ivermectina;ruminantes
Quercetin is a flavonoid that in in vitro evaluations has been shown to potentiate the effect of ivermectin on larvae of Haemonchus sp. In vivo pharmacological assessments of quercetin demonstrate that it is feasible to form associations with anthelmintics in order to control populations of resistant helminths. Despite the already observed results, both in vitro and in vivo, the anthelmintic effect of quercetin-containing associations still needs to be proven. The objective of the present study was to evaluate the anthelmintic action of ivermectin associated with quercetin, administered intra-abomasal, in naturally infected sheep of Haemonchus contortus isolate resistant to ivermectin. Additionally, the influence of the developmental stage and the level of resistance of H. contortus on the potency of quercetin in larvae and adults of this parasite was evaluated for the first time. Two experiments were carried out: experiment A - controlled anthelmintic test to evaluate the following intra-abomasal treatments: group I (Ivermectin, Ivomec® oral), group II (Ivermectin, Ivomec® oral, quercetin Sigma-Aldrich®) and group III (quercetin); experiment B - inhibition test of larval migration and adult motility, with isolates with different resistance profiles (susceptible, resistant and very resistant to ivermectin). The pharmacological association did not influence the OPG counts (p> 0.05), nor did it reduce the parasite load (p> 0.05) in infected sheep. In the larval migration inhibition test, the addition of different concentrations of quercetin did not significantly reduce the mean effective concentration (EC50) for ivermectin in the susceptible isolate and the isolate with the highest resistance factor, but significantly reduced the EC50 for ivermectin in the isolate with factor of intermediate resistance (from FR = 3.15 for FR = 0.33). In the adult motility test, quercetin did not significantly reduce the EC 50 of ivermectin over adults in any of the isolates tested. The potentiating action of quercetin was influenced by the level of resistance and by the development stage of the parasite.
modulators;Haemonchus;flavonoids;ivermectin;ruminants
1
43
PORTUGUES
FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

SAÚDE ANIMAL
DIAGNÓSTICO, EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DE DOENÇAS DOS ANIMAIS
-

Banca Examinadora

FERNANDO DE ALMEIDA BORGES
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
JOAO BATISTA CATTO Participante Externo
CARLOS ALBERTO DO NASCIMENTO RAMOS Docente - PERMANENTE
FERNANDO PAIVA Participante Externo
RICARDO ANTONIO AMARAL DE LEMOS Docente - PERMANENTE

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não