Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
MEDICINA (OTORRINOLARINGOLOGIA) (33009015018P0)
MANOMETRIA DE ALTA RESOLUÇÃO DA FARINGE E DO ESFÍNCTER ESOFAGIANO SUPERIOR EM PACIENTES SUBMETIDOS À APLICAÇÃO DE TOXINA BOTULÍNICA EM MÚSCULO TIREOARITENOIDEO
WELBER CHAVES MORORO
DISSERTAÇÃO
20/12/2018

Objetivo: Avaliar em pacientes submetidos à aplicação de toxina botulínica tipo A em músculo tireoaritenoideo a função motora da faringe e do esfíncter esofagiano superior, sob a luz da manometria de alta resolução. Método: Foram estudados prospectivamente 20 pacientes do sexo feminino com indicação de injeção de toxina botulínica em tireoaritenoideo, com idade média de 61,9 anos. A manometria de alta resolução foi realizada antes e após a injeção (7º ao 14º dia) e seus parâmetros em topografia de véu palatino, epiglote e esfíncter esofagiano superior foram registrados. Utilizou-se questionário de qualidade de vida em disfagia para divisão da amostra em grupos. Resultado: 11 (55%) indivíduos tiveram piora na qualidade de vida. Observou-se, na análise de toda amostra, bem como em cada um dos dois grupos, aumento da pressão residual do esfíncter esofagiano superior (p=0,0012) e do tempo entre início da contração faríngea em topografia de véu palatino e relaxamento do esfíncter esofagiano superior (p=0,0390). No grupo que apresentou piora na qualidade de vida, verificou-se também redução do tamanho do esfíncter esofagiano superior (p=0,0058), diminuição da pressão basal (p=0,041) e tempo de contração faríngea menor em topografia de véu palatino (p=0,0467). No grupo que não teve piora na qualidade de vida, encontrou-se também diminuição do pico de pressão (p=0,0390) e da força de contração (p=0,0007) em topografia de véu palatino. Conclusão: O uso da toxina botulínica em tireoaritenoideo leva a alterações de parâmetros na manometria de alta resolução, refletindo em mudanças na cinética faringolaríngea que podem resultar na queixa de disfagia de alguns indivíduos.

1. Transtornos da Deglutição. 2. Manometria. 3. Toxina Botulínica Tipo A. 4. Eletromiografia.
Objective: To evaluate the motor function of the pharynx and upper esophageal sphincter in patients submitted to the application of botulinum toxin type A in thyroaritenoid muscle under the light of high-resolution manometry. Method: Twenty female patients with an injection of botulinum toxin in the thyroarytenoid were studied prospectively, with a mean age of 61.9 years. The high-resolution manometry was performed before and after the injection (7th to 14th day) and its parameters in topography of palatine veil, epiglottis and upper esophageal sphincter were recorded. A quality of life questionnaire was used in dysphagia to divide the sample into groups. Results: 11 (55%) individuals had worse quality of life. In the analysis of the whole sample, as well as in each of the two groups, there was an increase in the residual pressure of the upper esophageal sphincter (p = 0.0012) and the time between onset of pharyngeal contraction in topography of the palatine veil and relaxation of the esophageal sphincter (p = 0.0390). In the group that presented worsening in quality of life, there was also a reduction in the size of the upper esophageal sphincter (p = 0.0058), a decrease in basal pressure (p = 0.0419) and a shorter pharyngeal contraction time in palatal veil topography (p = 0.0467). There was also a decrease in the peak of pressure (p = 0.0390) and the contraction force (p = 0.0070) in palatine veil topography. Conclusion: The use of botulinum toxin in the thyroarthenoid leads to changes in parameters in high resolution manometry, reflecting changes in pharyngolaryngeal kinetics that may result in the complaint of dysphagia in some individuals.
1. Deglutition Disorders. 2. Manometry. 3. Botulinum Toxin Type A. 4. Electromyography.
1
65
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

CIÊNCIAS OTORRINOLARINGOLÓGICAS E BASE DE CRÂNIO
AVALIAÇÃO DOS MECANISMOS FISIOPATOLÓGICOS E REABILITAÇÃO DAS AFECÇÕES DAS VIAS AERODIGESTIVAS SUPERIORES.
DISTÚRBIOS DA MOBILIDADE LARÍNGEA NAS AFECÇÕES NEUROLÓGICAS: DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

Banca Examinadora

NOEMI GRIGOLETTO DE BIASE
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
HILTON MARCOS ALVES RICZ Participante Externo
MARCIA SAYURI MURAO FERNANDES Participante Externo
PATRICIA PAULA SANTORO Participante Externo
ELIEZIA HELENA DE LIMA ALVARENGA Participante Externo

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim