Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA
ZOOTECNIA (28006011002P3)
AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E VALOR ENERGÉTICO DE ALIMENTOS PARA CORDEIROS
BRUNA RAYET AYUB
TESE
22/03/2018

Este trabalho avaliou a utilização de alimentos tropicais tradicionais e alternativos na alimentação de cordeiros, através de cinco experimentos. Os alimentos em estudo foram divididos em: alimentos energéticos (melaço em pó, farinha de mandioca, fubá de milho e farelo de trigo), alimentos proteicos (torta de algodão com caroço, farelo de glúten de milho, farelo de mamona e farelo de soja), alimentos alternativos (farelo de vagem de algaroba, farelo de casquinha de cacau, torta de dendê e farelo de sementes e casca de maracujá), e alimentos volumosos (feno de alfafa, braquiária peletizada, silagem de milho e feno transvala). O primeiro experimento avaliou a efetiva degradabilidade de todos os alimentos em estudo, na digestão de cordeiros. Para isso, foram realizadas avaliações in vitro de degradabilidade na matéria seca (MS) e da fibra em detergente neutro (FDN), além da avaliação da cinética de produção de gases também in vitro. Identificou-se que entre os concentrados energéticos, a farinha de mandioca e o melaço em pó apresentaram maior aproveitamento dos nutrientes, enquanto entre os concentrados proteicos, o farelo de soja e o glúten de milho apresentaram maior degradabilidade efetiva. Dos alimentos alternativos, o farelo de algaroba e o farelo de cacau possuem maior potencial de uso para alimentação de cordeiros, e dos alimentos volumosos, a silagem de milho apresentou maior degradação da matéria seca, ao mesmo tempo em que o feno transvala apresentou maior aproveitamento das fibras na digestão de cordeiros. No segundo, terceiro e quarto experimentos foram avaliados a composição química dos alimentos em estudo e os efeitos da inclusão desses alimentos na dieta de cordeiros sobre o consumo, digestibilidade dos nutrientes, produção de proteína microbiana e síntese proteica. Nesses experimentos, também foram realizados a predição das frações digestíveis e nutrientes digestíveis totais (NDT) de cada alimento. No segundo experimento, referente aos alimentos energéticos, a farinha de mandioca foi semelhante ao fubá milho no consumo dos nutrientes, nas frações digestíveis totais, no balanço de nitrogênio e na eficiência microbiana. O melaço em pó e o farelo de trigo apresentaram efeitos semelhantes ao fubá milho para a digestibilidade dos nutrientes, digestão de nitrogênio, e, ainda, permitiram maior eficiência microbiana do que o fubá milho. Observou-se que a farinha de mandioca, o melaço em pó e o farelo de trigo proporcionaram aproveitamento dos nutrientes compatível ao fubá milho, podendo substituí-lo em dietas para cordeiros, e a utilização desses alimentos é indicada em até 300 g/kg na MS em substituição de silagem de milho. No terceiro experimento, referente aos alimentos proteicos, a torta de algodão foi o alimento no qual mais se aproximou do farelo de soja para o consumo e digestibilidade dos nutrientes, para as frações digestíveis do NDT, para o balanço de nitrogênio e para a eficiência microbiana. O farelo de glúten de milho foi semelhante ao farelo de soja no consumo e digestibilidade dos nutrientes e balanço de nitrogênio, e inferior ao farelo de soja na eficiência microbiana. O farelo de mamona apresentou efeitos semelhantes ao farelo de soja, para o consumo dos nutrientes, para o balanço de nitrogênio e para a eficiência microbiana, apresentando menor digestibilidade do NDT em relação ao farelo de soja. Dessa forma, o farelo de soja, a torta de algodão, o farelo de glúten de milho e o farelo de mamona proporcionaram aproveitamento dos nutrientes como concentrados proteicos, e indica-se a utilização de até 100 g de farelo de soja em substituição à silagem de milho, e até 300g torta de algodão, farelo de glúten de milho ou farelo de mamona em substituição à silagem de milho na dieta para cordeiros. No quarto experimento, referente aos alimentos alternativos, a algaroba e o maracujá apresentaram maior aproveitamento dos nutrientes, e melhor balanço de nitrogênio, como concentrado energético. O cacau revelou boa digestibilidade dos nutrientes. O dendê tem aproveitamento limitado, devido à quantidade de lignina que dificulta o consumo e a digestibilidade dos nutrientes ingeridos. Indica-se a utilização de até 100 g desses alimentos alternativos, em substituição à silagem de milho em dieta para cordeiros. O quinto experimento avaliou a utilização de equações de predição de frações digestíveis totais e de energia, indicadas pelo BR-Corte (2016) e pelo NRC (2001) para bovinos, na predição em dietas para cordeiros em condições tropicais. Foram avaliadas as composições químicas e as frações digestíveis in vivo e valor energético digestível in vivo dos dezesseis alimentos em estudo. Então, validou-se a predição da digestibilidade dos nutrientes e do valor energético, por intermédio de equações propostas pelo BR-Corte (2016) (abordagem meta-analítica) e pelo NRC (2001), utilizando valores observados obtidos com um ensaio in vivo. Identificou-se que as equações de predição propostas pelo BR-Corte (2016) e pelo NRC (2001), para digestibilidade verdadeira de extrato etéreo (EEvd), digestibilidade verdadeira para porteína bruta (PBvd), resultaram em dados não compatíveis aos dados observados in vivo em cordeiros. Porém, as equações de predição de carboidratos não fibrosos verdadeiramente digestíveis (CNFvd), e fibra em detergente neutro digestível (FDNd), propostas no NRC (2001), proporcionaram melhor ajuste ao comparar as estimativas aos valores coletados in vivo em cordeiros. Para as estimativas de nutrientes digestíveis totais (NDT) e energia digestível (ED), as equações adotadas pelo BR-Corte (2016) foram as mais precisas e exatas na avaliação do viés médio e do coeficiente de correlação concordância. Dessa forma, indica-se a equação proposta pelo BR-Corte (2016), por abordagem meta-analítica, para predizer o valor dos nutrientes digestíveis totais e da energia de dietas para cordeiros.

nutrição animal, degradabilidade in vitro, digestibilidade, síntese proteica, predição de energia
This work evaluated the use of traditional and alternative tropical foods in lambs feed, through five experiments. The foods under study were divided into: energy foods (molasses powder, cassava flour, corn meal and wheat bran), protein foods (cotton seed cake, corn gluten meal, castor bean meal and soybean meal), alternative foods (algaroba pod meal, cocoa bean meal, palm oil cake and seed meal and passion fruit peel), and bulky foods (alfalfa hay, pelletized brachiaria, corn silage and transval hay). The first experiment evaluated the effective degradability of all the foods under study in the digestion of lambs. For this purpose, in vitro evaluations of dry matter (DM) and neutral detergent fiber (NDF) degradability were performed, as well as evaluation of the kinetics of gas production also in vitro. It was identified that among the energy concentrates, cassava flour and powder molasses showed higher nutrient utilization, while soybean meal and corn gluten showed higher effective degradability among protein concentrates. From the alternative foods, the algaroba meal and the cacao meal have greater potential of use for feeding of lambs, and of the massive foods, the corn silage presented greater degradation of the dry matter, at the same time that the hay transvala presented greater utilization of the fibers in the digestion of lambs. In the second, third and fourth experiments were evaluated the chemical composition of the foods under study and the effects of the inclusion of these foods in the diet of lambs on consumption, nutrient digestibility, production of microbial protein and protein synthesis. In these experiments, the prediction of total digestible and total digestible nutrients (NDT) of each food was also carried out. In the second experiment, referring to energy foods, cassava flour was similar to maize corn in nutrient consumption, total digestible fractions, nitrogen balance and microbial efficiency. Molasses powder and wheat bran had similar effects to maize corn for digestibility of nutrients, nitrogen digestion, and also allowed greater microbial efficiency than maize corn. It was observed that cassava flour, molasses powder and wheat bran provided nutrient utilization compatible with corn maize, and it can be substituted in lamb diets, and the use of these foods is indicated up to 300 g / kg at MS in substitution of corn silage. In the third experiment, referring to protein foods, cotton cake was the food in which the soybean meal was the closest to consumption and digestibility of nutrients, NDT digestible fractions, nitrogen balance and microbial efficiency. Corn gluten meal was similar to soybean meal in the consumption and nutrient digestibility and nitrogen balance, and lower than soybean meal in microbial efficiency. Castor meal presented similar effects to soybean meal, nutrient consumption, nitrogen balance and microbial efficiency, presenting lower NDT digestibility in relation to soybean meal. Thus, soybean meal, cottonseed meal, corn gluten meal and castor bean provided nutrients as protein concentrates, and the use of up to 100 g of soybean meal in substitution for silage of corn, and up to 300g cotton pie, corn gluten meal or castor bean meal replacing corn silage in the diet for lambs. In the fourth experiment, referring to alternative foods, algaroba and passion fruit showed greater utilization of nutrients, and better nitrogen balance, as energy concentrate. Cacao showed good digestibility of nutrients. The palm oil has limited use, due to the amount of lignin that makes it difficult to consume and the digestibility of the ingested nutrients. It is indicated the use of up to 100 g of these alternative foods, replacing the corn silage diet for lambs. The fifth experiment evaluated the use of total digestible and energy prediction equations, indicated by BR-Corte (2016) and NRC (2001) for cattle, in the prediction of diets for lambs in tropical conditions. The chemical compositions and the in vivo digestible fractions and in vivo digestible energy value of the sixteen foods under study were evaluated. The prediction of nutrient and energy digestibility was then validated through equations proposed by BR-Corte (2016) (meta-analytic approach) and NRC (2001), using observed values obtained with an in vivo assay . It was identified that the prediction equations proposed by the BR-Corte (2016) and the NRC (2001), for true digestibility of ethereal extract (EEvd), true digestibility for crude porteína (PBvd), resulted in data not compatible with the observed data in vivo on lambs. However, the prediction equations for true digestible non-fibrous carbohydrates (CNFvd) and digestible neutral detergent fiber (NDF), proposed in the NRC (2001), provided a better fit when comparing the estimates to values collected in vivo in lambs. For the estimates of total digestible nutrients (NDT) and digestible energy (ED), the equations adopted by BR-Corte (2016) were the most accurate and accurate in the evaluation of the mean bias and correlation coefficient concordance. Thus, the equation proposed by the BR-Corte (2016), by meta-analytical approach, is used to predict the value of total digestible nutrients and the energy of diets for lambs.
animal nutrition, in vitro degradability, digestibility, protein synthesis, energy prediction
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

PRODUÇÃO DE RUMINANTES
NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL
EFICIÊNCIA BIOECONÔMICA DE GRUPOS GENÉTICOS DE CORDEIROS CONFINADOS ALIMENTADOS COM DIETAS DE GLICERINA BRUTA.

Banca Examinadora

JOSE AUGUSTO GOMES AZEVEDO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
GLEIDSON GIORDANO PINTO DE CARVALHO Participante Externo
AURELIANO JOSE VIEIRA PIRES Docente - PERMANENTE
STEFANIE ALVARENGA SANTOS Participante Externo
JOSE ESLER DE FREITAS JUNIOR Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 36

Vínculo

-
-
-
Não