Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
CIÊNCIA ANIMAL (52001016014P8)
EFEITOS DA MELATONINA EM RATOS TRATADOS COM ACETATO DE MEDROXIPROGESTERONA
MARIANA MOREIRA ANDRASCHKO
DISSERTAÇÃO
02/03/2018

O acetato de medroxiprogesterona atua em receptores de glicocorticoide e quando em excesso pode causar distúrbios clínicos compatíveis com hiperadrenocorticismo. A melatonina é um hormônio com potente ação antioxidante e anti-glicocorticoide que pode ter efeito benéfico em situações que cursam com a ativação excessiva de receptores de glicocorticoides. Com o objetivo de avaliar os efeitos protetores da melatonina em relação aos efeitos glicocorticoides da AMP, foram utilizados 34 ratos Wistar, machos, divididos em cinco grupos de acordo com o tratamento: CON (controle: sem nenhum tratamento); SHAM (solução fisiológica); MEL (melatonina), AMP (acetato de medroxiprogesterona) e AMP + MEL. Os animais foram tratados por 28 dias e receberam injeções subcutâneas de acordo com o grupo experimental. Diariamente foram avaliados os parâmetros clínicos, e os laboratoriais e anatomopatológicos ao fim do período experimental. Nas doses testadas, o grupo AMP causou efeitos compatíveis com a ativação excessiva de receptores de glicocorticoide em ratos, verificados pela redução do tamanho das adrenais, do peso corporal final, do ganho de peso, da eficiência alimentar e do número de linfócitos, além de aumentar a gordura abdominal, o consumo de água, o colesterol, VLDL, triglicerídeos, hemácias, hemoglobina e hematócrito. Verificou-se que a melatonina em ratos tratados com acetato de medroxiprogesterona se mostrou benéfica por reduzir significativamente os valores de colesterol total (p=0,0438), além de reduzir o consumo de água e de aproximar da normalidade o peso corporal final, o ganho de peso, a eficiência alimentar, o número de linfócitos, a gordura abdominal, VLDL colesterol e triglicérides. Estes achados indicam que a melatonina minimiza parte dos efeitos deletérios causados pelo acetato de medroxiprogesterona.

Indolamina;Progestina;Receptor de glicocorticoide;síndrome de Cushing
Effects of melatonin in rats treated with medroxyprogesterone acetate. Medroxyprogesterone acetate acts on glucocorticoid receptors and when in excess can cause clinical disorders compatible with hyperadrenocorticism. Melatonin is a hormone with potent antioxidant and anti-glucocorticoid action that may have a beneficial effect in situations that occur with the excessive activation of glucocorticoid receptors. In order to evaluate the protective effects of melatonin in relation to the glucocorticoid effects of AMP, 34 male Wistar rats were divided into five groups according to the treatment: CON (control: no treatment); SHAM (physiological solution); MEL (melatonin), AMP (medroxyprogesterone acetate) and AMP + MEL. The animals were treated for 28 days and received subcutaneous injections according to the experimental group. The clinical parameters were evaluated daily, and at the end of experimental period laboratory and anatomopathological were did. At the doses tested, the AMP group caused effects compatible with the excessive activation of glucocorticoid receptors in rats, verified by the reduction of the adrenal size, the final body weight, the weight gain, the food efficiency and the number of lymphocytes, besides increase abdominal fat, water consumption, cholesterol, VLDL, triglycerides, red blood cells, hemoglobin and hematocrit. It was found that melatonin in rats treated with medroxyprogesterone acetate was shown to be beneficial in significantly reducing total cholesterol values (p = 0.0438), in addition to reducing water consumption and bringing the final body weight closer to normal, the weight gain, feed efficiency, number of lymphocytes, abdominal fat, VLDL cholesterol and triglycerides. These findings indicate that melatonin minimizes some of the deleterious effects of medroxyprogesterone acetate.
Cushing sindrom;Glucocorticoid receptor;Indolamine;Progestin
1
70
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

Cirurgia, Patologia animal e Clínica médica
PATOBIOLOGIA E MORFOFISIOLOGIA ANIMAL, EXPERIMENTAL E COMPARADA
IMUNOMARCAÇÃO DE RECEPTORES DE GLICOCORTICOIDE E HSP90 EM RATOS TRATADOS COM DEXAMETASONA E ACETATO DE MEDROXIPROGESTERONA

Banca Examinadora

MARINA PACHECO MIGUEL
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MARINA PACHECO MIGUEL Docente - PERMANENTE
ALINE MARIA VASCONCELOS LIMA Participante Externo
MARA RUBIA NUNES CELES Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não