Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA MÉDICA (33009015032P3)
O Consumo de Cocaína no Brasil e Sua Associação com Violência Interpessoal e Comportamento Suicida.Ii Levantamento Nacional de Álcool e Drogas
RENATA RIGACCI ABDALLA
TESE
25/04/2018

Consumo de Cocaína no Brasil e sua Associação com Violência Interpessoal e Comportamento Suicida – II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas. Abdalla, R.R. Tese de Doutorado - Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina. Introdução: Esta tese analisa os dados descritivos e analíticos do consumo de cocaína no Brasil e também suas associações com duas formas de violência: uma voltada para o outro, denominada aqui de violência interpessoal, praticada na comunidade, incluindo tanto a vitimização quanto a perpetração de comportamentos violentos (excluindo dados de violência doméstica) e uma voltada para si próprio, denominada de comportamento suicida, considerando a história pessoal de ideação e tentativa de suicídio e antecedentes familiares de suicídio consumado. Os dados são baseados no II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (II LENAD). Objetivos: Essa tese busca relacionar o consumo de substâncias, sobretudo de cocaína, a comportamentos violentos, sejam eles auto direcionados, como no suicídio, ou hetero direcionados, como na violência interpessoal, sendo o resultado de três estudos com os dados do Segundo Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (LENAD II) que tiveram os seguintes objetivos: Estudo 1: Estimou as prevalências de uso de cocaína e crack e analisou a associação a características sociodemográficas. Estudo 2: Investigou a associação entre uso de cocaína e violência urbana, tendo o consumo de álcool e a presença de sintomas depressivos como possíveis mediadores. Estudo 3: Investigou a associação entre uso de substâncias (álcool, maconha e cocaína) a ideação e tentativa de suicídio. Método: Estudo transversal através de levantamento domiciliar e representativo da população brasileira que coletou informações sobre consumo de todas as substâncias psicotrópicas bem como possíveis fatores associados como depressão, dependência, comportamentos violentos e comportamentos suicidas. Os 3 estudos utilizaram diferentes recortes da amostra original de 4507 participantes. Análises multivariadas utilizando diferentes modelos ponderados de regressão foram escolhidos para calcular a razão de odds (odds ratio- OR) ajustados para as associações nos 3 estudos. Modelo de caminhos causais foi usado para investigar possíveis mediadores no estudo 2. xviii Resultados: Estudo 1: No ano anterior a pesquisa, o consumo de cocaína foi de 2,2% na população total. A prevalência de uso na vida e no último ano de cocaína aspirada foi de 3,9% e 1,7%, respectivamente e o consumo de cocaína fumada no Brasil foi estimado em 1,5% para experimentação e 0,8% no último ano. A dependência em cocaína foi identificada em quase 16% entre os que experimentaram e em 41,4% entre os que haviam usado nos 12 meses anteriores. Estudo 2: Cerca de 8,6% da população brasileira foi vítima de pelo menos uma forma de violência interpessoal no ano anterior a pesquisa. Essa proporção aumenta para 19,7% entre usuários de cocaína e para 18,1% entre indivíduos com transtornos de uso de álcool (AUD). A perpetração da violência foi relatada em 6,1% da amostra. O uso de cocaína e AUD aumentaram em quase quatro vezes as chances de ser agressor. Ser religioso e casado foram fatores protetores tanto em relação a vitimização quanto a perpetração. As análises de caminhos causais que consideraram o uso de cocaína como preditor de violência urbana (vitimização ou perpetração) foram válidas e o consumo de álcool e sintomas depressivos foram mediadores dessa relação. Estudo 3: Ideação Suicida (SI) e Tentativas de Suicídio (SA) foram relatadas por 9,9% e 5,4% da amostra, respectivamente. Esta prevalência foi de 20,8% e 12,4% entre usuários problemáticos de álcool, 31,5% e 16,5% entre usuários de maconha e 40,0% e 20,8% entre usuários de cocaína. Depois de ajustar para características demográficas, religião, uso do tabaco, história familiar de suicídio e transtorno depressivo, SI e SA foram associados positivamente com o uso de álcool, de maconha e de cocaína. Conclusão: O Brasil apresenta taxas relevantes de consumo de cocaína, incluindo a forma fumada. A dependência de cocaína atinge aproximadamente 15% dos indivíduos que experimentaram essa substância. Apesar de não estabelecer causalidade, a associação entre o consumo de substâncias e violência, seja interpessoal ou autodirigida, está comprovada. A depressão é uma variável frequentemente observada em todos os casos, presumindo-se que a relação entre o consumo de substâncias, comportamentos violentos e depressão constituem uma relação recíproca e multidirecional .

Cocaína, Violência interpessoal, Suicídio, Levantamento domiciliar, Epidemiologia
Cocaine Consumption in Brazil and its Association with Interpersonal Violence and Suicidal Behavior - II Brazilian National Alcohol and Drugs Survey (BNADS) Introduction: This thesis analyzes the descriptive and analytical data of cocaine use in Brazil and also its associations with two forms of violence: one directed to others, denominated here as interpersonal violence, including both the victimization and perpetration behaviors (excluding domestic violence) and one self-directed, named as suicidal behavior, considering the personal history of suicidal ideation and suicide attempts. These data are based on the II Brazilian National Alcohol and Drugs Survey (BNADS). Objectives: This is the result of three studies with data from the Second National Survey of Alcohol and Drugs (BNADS II) that aims to: Study 1: estimate prevalence of cocaine and crack use (in life and in the last year) between Brazilian adults and adolescents and to analyze possible associations with risk and protection factors. Study 2: Investigate an association between cocaine use and urban violence, having alcohol consumption and the presence of depressive symptoms as mediators. Study 3: Investigate an association between substance use (alcohol, cannabis and cocaine) and suicide ideation and attempt. Method: A cross-sectional household survey based on data from the second national survey of alcohol and drugs covering information on the consumption of all psychotropic substances as well as sales, dependence, violent behaviors and suicidal behavior. The three studies used different cutouts from the original sample of 4507 participants. Multivariate analyzes used different regression model models and chemical odds ratios (ORs) adjusted for associations in the 3 studies. Model of causal pathways for the mediator no study 2. Results: Study 1: In the last year, consumption of all as cocaine forms 2.2% in the total population, excluding the elderly group. The prevalence rate of use in life and in the last year of cocaine aspirate was of 3,9% and 1,7%, respectively. The consumption of cocaine smoked in Brazil was estimated at 1.5% for experimentation and 0.8% in the last year. The dependence on cocaine was identified in 41.4% xx among the users of the previous year. Study 2: About 9.3% of the Brazilian population has already been the victim of at least one form of urban violence. This proportion increases to 19.7% among cocaine users and to 18.1% among alcohol use disorders (AUD). The perpetration of violence was reported in 6.1% of the sample. The use of cocaine and AUD increased by almost four times as a chance of being an aggressor. Being religious and married were protective factors both in relation to victimization and perpetration. Causal paths analysis was assessed considering cocaine use as a predictor of urban violence (victimization or perpetration) and alcohol consumption and depressive symptoms as mediators of this relation and all the paths were valid. Study 3: Suicide Ideation (SI) and Suicide Attempts (SA) were reported by 9.9% and 5.4% of the sample, respectively. This prevalence was 20.8% and 12.4% among problematic alcohol users, 31.5% and 16.5% among cannabis users and 40.0% and 20.8% among cocaine users. After adjusting for demographic characteristics, religion, tobacco use, family history of suicide and depressive disorder, both SI and SA were positively associated with alcohol, cannabis and cocaine misuse. Conclusion: Brazil has relevant rates of cocaine use, including the smoked form. Although men have a higher frequency of use, women are more vulnerable to the worst effects of cocaine, as well as younger population with precarious schooling. Although it does not establish causality, the association between substance use and violence, whether interpersonal or self-directed, is well proved. Depression is a frequently observed variable in all cases, assuming that the association between substance use, violent behavior and depression is a reciprocal and multidirectional relationship.
Cocaine, Interpersonal violence, Suicide, Household survey, Epidemiology
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

SAÚDE MENTAL
EPIDEMIOLOGIA E PSIQUIATRIA SOCIAL
Instituto Nacional de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas

Banca Examinadora

CLARICE SANDI MADRUGA
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
LILIAN RIBEIRO CALDAS RATTO Participante Externo
ZILA VAN DER MEER SANCHEZ DUTENHEFNER Docente - PERMANENTE
CLAUDIO JERONIMO DA SILVA Participante Externo
RENATA CRUZ SOARES DE AZEVEDO Participante Externo
QUIRINO CORDEIRO JUNIOR Participante Externo
VILMA APARECIDA DA SILVA FONSECA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Bolsas concedidas no âmbito do acordo CAPES/FUNDECT 36

Vínculo

Colaborador
Outros
Profissional Autônomo
Sim