Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
CIÊNCIAS VETERINÁRIAS (40001016023P3)
VARIAÇÂO DA PRESSÂO DE PULSO (VPP) E ÍNDICE DE DISTENSIBILIDADE DA VEIA CAVA CAUDAL (IDVCC) COMO PREDITORES DE RESPONSIVIDADE À EXPANSÂO VOLÊMICA EM OVELHAS SUBMETIDAS A CHOQUE HEMORRÁGICO EXPERIMENTAL
ELOISA MUEHLBAUER
DISSERTAÇÃO
26/03/2018

O objetivo deste estudo foi avaliar a viabilidade do índice de distensibilidade da veia cava caudal (IDVCC) como um indicador de responsividade à reposição volêmica em um modelo experimental de choque hemorrágico moderado em ovelhas. Delineamento experimental: Estudo experimental prospectivo. Animais: Sete ovelhas adultas pesando 55,4 ± 9,56 kg (média ± desvio padrão). Métodos: Os animais foram anestesiados com isofluorano e ventilados no modo volume-controlado, com volume corrente de 8 mL kg-1 e bloqueio neuromuscular com atracúrio. Foram avaliadas as variáveis cardiorrespiratórias e hemodinâmicas antes da hemorragia (T0), imediatamente após o fim da exanguinação (TChoque), após a manutenção da pressão arterial média (PAM) em 50 mmHg durante 30 minutos (TChoque30), após cada um de três desafios volêmicos com 10 mL kg-1 de Ringer com lactato (TRes1, TRes2 e TRes3) e após a transfusão do sangue autólogo (TTrans). Também foi determinada a correlação com as alterações no índice cardíaco (IC), a área sob a curva ROC (Receive opating characteristic), a sensibilidade, a especificidade e os valores de corte da variação da pressão de pulso (VPP), IDVCC, da pressão venosa central (PVC), da pressão diastólica da artéria pulmonar (PAPD) e da PAM. Resultados: O modelo induziu as alterações esperadas nas variáveis hemodinâmicas e de oxigenação tecidual e o protocolo de ressuscitação volêmica foi eficiente em reverter essas alterações. A VPP e o IDVCC aumentaram significativamente em relação ao momento T0 após a hemorragia e se normalizaram após o TRes1. A VPP (r = 0,70), o IDVCC (r = 0,64) e a PAM (r = 0,72) apresentaram maior grau de correlação com o IC do que a PVC (r = 0,48, p = 0,00041) e a PAPD (r = 0,36, p = 0,0091). A VPP (AUC = 0,83; p = 0.005) e o IDVCC (AUC = 0,73; p = 0,05) mostraram maior acurácia quando comparados à PVC (AUC = 0,69; p = 0,10), à PAPD (AUC = 0,61; p = 0,31) e à PAM (AUC = 0,67, p = 0,14) para predizer responsividade à expansão volêmica. Os melhores valores de corte para VPP (73.68% de sensibilidade e 88.89 de especificidade) e IDVCC (68.42% de sensibilidade e 88.89% de especificidade) foram de 6,41% e de 9,8%, respectivamente. Conclusões: A VPP e o IDVCC podem ser utilizados como índices dinâmicos de pré-carga para predizer a resposta à expansão volêmica no modelo experimental empregado.

Índice de distensibilidade da veia cava caudal. Hemorragia. Hipovolemia. Ovelhas. Variação da pressão de pulso.
The objective of this study was to evaluate the distensibility index of the caudal vena cava (CVCDI) as an indicator of volume responsiveness in an experimental model of moderate hemorrhagic shock in sheep. Experimental design: Prospective experimental study. Animals: Seven adult sheep weighing 55.4 ± 9.56 kg (mean ± standard deviation). Methods: The animals were anesthetized with isoflurane and ventilated using the volume-controlled mode, with a tidal volume of 8 mL.kg -1 and neuromuscular blockade with atracurium. The cardiorespiratory and hemodynamic variables were evaluated before the hemorrhage (T0), immediately after the end of the exanguination (TChoque), after the mean arterial pressure (MAP) was maintained at 50 mmHg for 30 minutes (TChoque30), after each one of three fluid challenges with 10 mL.kg-1 of Ringer’s lactate (TRes1, TRes2 and TRes3) and after autologous blood transfusion (TTrans). The correlation with changes in cardiac index (CI), area under the ROC (Receive Operating Characteristic) curve, sensitivity, specificity and cutoff values of PPV, CVCDI, central venous pressure (CVP), pulmonary artery diastolic pressure (PADP) and MAP were also determined. Results: The model induced the expected changes in hemodynamic variables and the volume resuscitation protocol was efficient in reversing these alterations. The PPV and CVCDI increased significantly in relation to the T0 moment after the hemorrhage and return to normal values after TRes1. The PPV (r = 0.70), CVCDI (r = 0.64) and MAP (r = 0.72) had a higher correlation with the CI than CVP (r = 0.48, p = 0.00041) and PADP (r =0.36, p = 0.0091). The PPV (AUC = 0.83, p = 0.005) and CVCDI (AUC = 0.73, p = 0.05) showed higher accuracy than VPC (AUC = 0.69, p = 0.10), PADP (AUC = 0.61, p = 0.31) and MAP (AUC = 0.67, p = 0.14) to predict responsiveness to the fluid challenge. The best cutoff values for PPV (73.68% sensitivity and 88.89 specificity) and CVCDI (68.42 sensitivity and 88.89% specificity) were 6.41% and 9.8%, respectively. Conclusions: PPV and CVCDI can be used as dynamic preload indexes to predict the response to volume expansion in the experimental model used.
Distensibility index of the caudal vena cava. Haemorrhage. Hypovolemia. Sheep. Pulse pressure variation.
1
83
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

CIÊNCIAS VETERINÁRIAS
MEDICINA EXPERIMENTAL & COMPARADA
Efeitos hemodinâmicos, sobre os gases sanguíneos e sobre os índices dinâmicos de pré-carga da ressuscitação volêmica com as soluções de Ringer com lactato ou salina a 0,9% em um modelo de choque hemorrágico controlado em ovelhas.

Banca Examinadora

JUAN CARLOS DUQUE MORENO
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
DENISE AYA OTSUKI Participante Externo
ROHNELT MACHADO DE OLIVEIRA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

-
-
-
Não