Dados do Trabalhos de Conclusão

INSTITUTO DE ZOOTECNIA IZ/APTA-SAA/SP
PRODUÇÃO ANIMAL SUSTENTÁVEL (33148015001P9)
EFICIÊNCIA ALIMENTAR E PERFIL METABÓLICO DE MATRIZES NELORE EM LACTAÇÃO
LUANA LELIS SOUZA
DISSERTAÇÃO
23/02/2018

O consumo alimentar residual (CAR) é uma característica de eficiência alimentar avaliada em bovinos em crescimento, devido à possibilidade de identificar animais de menor consumo de matéria seca (CMS) independente de características de produção e de mantença. Os objetivos do presente estudo foram 1) avaliar a importância das características de produção na variação do consumo alimentar durante os dois estágios de lactação, e 2) verificar o efeito do CAR sobre os metabólitos sanguíneos de vacas Nelore lactantes. Foram avaliadas 27 vacas Nelore, com 1164±25 dias de idade e peso inicial de 506±40 kg, submetidas a teste de desempenho, com início aos 21±5 dias após o parto, e dividido nos dois estágios de lactação. As vacas permaneceram no sistema GrowSafe® para obtenção do CMS, sendo pesadas a cada 28 dias para a obtenção do peso vivo médio metabólico (PV0,75) e do ganho médio diário (GMD), e posterior cálculo do CAR. A relação concentrado:volumoso da dieta foi 10:90. Aos 20±5, 83±5, 146±5 e 176±5 dias após o parto as vacas foram avaliadas quanto à espessura de gordura subcutânea (EGS). As vacas foram ordenhadas mecanicamente aos 63±5, 85±5 e 151±6 dias após o parto para estimar a produção de leite em 24h, que foi corrigida para energia (PLc). Análises dos metabólitos de status energético (glicose, colesterol, triglicérides e β-hidroxibutirato), status proteico (albumina, ureia e creatinina), status mineral (cálcio, fósforo e magnésio) e status hormonal (insulina e cortisol) foram feitas a partir de colheitas de sangue aos 15±5, 41±5, 62±5 e 124±5 dias após o parto. O CAR foi calculado para os dois estágios de lactação (1o estágio: 21 a 100 dias após o parto; 2o estágio: 100 a 188 dias após o parto), como a diferença entre o CMS observado e o CMS estimado. Nenhuma das covariáveis (GMD, PV0,75, EGS e PLc) foram significativas para obter o CMS estimado das vacas no 1o estágio de lactação (R2=0,29). Já para o 2º estágio da lactação, foi significativa a covariável PV0,75 (R2=0,40). As vacas foram classificadas em CAR negativo (CAR<0, mais eficientes) e CAR positivo (CAR>0, menos eficientes) com base no CAR obtido no 1º estágio de lactação (CAR1). No 1ª estágio de lactação, vacas mais eficientes consumiram 10% menos matéria seca que vacas menos eficientes, e apresentaram desempenho e perfil metabólico similar, com exceção da proteína do leite em kg que foi menor para vacas mais eficientes. No 2ª estágio de lactação, vacas mais eficientes consumiram 11% menos matéria seca, sem diferenças nas demais características. Em conclusão, diferenças no GMD, PV0,75, EGS e PLc não explicam grande parte da variação do CMS de vacas Nelore em lactação. Vacas de menor CAR1 apresentam desempenho e perfil metabólico semelhante às vacas de maior CAR1. Concentrações de glicose, colesterol, triglicérides, β-hidroxibutirato, albumina, ureia, creatinina, cálcio, magnésio, insulina e cortisol, e as características de comportamento ingestivo são semelhantes entre as classes de CAR em vacas lactantes.

vacas em lactação.;consumo alimentar residual;metabólitos sanguíneos
Residual feed intake (RFI) is a characteristic of feed efficiency evaluated in growing cattle, due to the possibility of identifying animals with lower dry matter intake (DMI) independent of production and maintenance characteristics. The objectives of this study were: 1) to evaluate the importance of production characteristics in variation of feed intake during two stages of lactation; and 2) to verify the effect of RFI on the metabolic profile of lactating Nellore cows. Twenty-seven Nellore cows, 1164 ± 25 days old and 506 ± 40 kg initial body weight, were tested, starting at 21 ± 5 days postpartum and divided into two stages of lactation. The cows remained in the GrowSafe® system to obtain DMI, being weighed every 28 days to obtain average metabolic body weight (BW0.75) and average daily gain (ADG), and subsequent calculation of RFI. The roughage:concentrate ratio of the diet was 10:90. At 20±5, 83±5, 146±5 and 176±5 days postpartum the cows were evaluated for subcutaneous fat thickness (FT). Cows were milked by machine milking at 63±5, 85±5 and 151±6 days postpartum to estimate milk production in 24h, which was corrected for energy (MMc). Analysis of metabolic indicators of energy status (glucose, cholesterol, triglycerides and β-hydroxybutyrate), protein status (albumin, urea and creatinine), mineral status (calcium, phosphorus and magnesium) and hormonal status (insulin and cortisol) were made from blood samples at 15±5, 41±5, 62±5 and 124±5 days postpartum. The RFI was calculated for the two stages of lactation (1st stage: 21 to 100 days postpartum; 2nd stage: 100 to 188 days postpartum), as the difference between observed DMI and estimated DMI. None of the covariates (ADG, BW0.75, FT and MMc) were significant to obtain estimated DMI of the cows at 1st stage of lactation (R2 = 0.29). For the second stage of lactation, the covariate BW0.75 (R2 = 0.40) was significant. The cows were classified as negative RFI (RFI<0, more efficient) and positive RFI (RFI>0, less efficient) based on the RFI obtained in 1st stage of lactation (RFI1). In 1st stage of lactation, more efficient cows consumed 10% less dry matter than less efficient cows, and showed similar performance and metabolic profile, except for milk protein in kg that was lesser for more efficient cows. In the 2nd stage of lactation, more efficient cows consumed 11% less dry matter, without differences in the other characteristics. In conclusion, differences in ADG, BW0.75, FT and MMc do not explain much of the CMS variation of lactating Nellore cows. Cows of lesser RFI1 exhibit performance and metabolic profile similar to cows with higher RFI1. Concentrations of glucose, cholesterol, triglycerides, β-hydroxybutyrate, albumin, urea, creatinine, calcium, magnesium, insulin and cortisol, and ingestive behavioral characteristics are similar between RFI classes in lactating cows.
lactating cows.;residual feed intake;blood metabolites
01
73
PORTUGUES
INSTITUTO DE ZOOTECNIA IZ/APTA-SAA/SP
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

PRODUÇÃO ANIMAL SUSTENTÁVEL
RECURSOS GENÉTICOS, MELHORAMENTO E REPRODUÇÃO ANIMAL
RELAÇÕES ENTRE PARÂMETROS DE QUALIDADE DA CARNE E EFICIÊNCIA ALIMENTAR EM BOVINOS NELORE SELECIONADOS PARA PESO PÓS-DESMAME

Banca Examinadora

MARIA EUGENIA ZERLOTTI MERCADANTE
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
NHAYANDRA CHRISTINA DIAS E SILVA Participante Externo
LENIRA EL FARO ZADRA Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

Bolsa de Fixação
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim