Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
CIÊNCIA ANIMAL NOS TRÓPICOS (28001010036P7)
Infecções Virais em Marsupiais no Estado da Bahia
IANEI DE OLIVEIRA CARNEIRO
TESE
26/01/2018

Cerca de 70% dos patógenos zoonóticos são provenientes de hospedeiros silvestres. Dentre essas etiologias, os vírus têm assumido importante papel no contexto global e são objetos de pesquisas epidemiológicas e filogenéticas, incluindo a busca por novos agentes e hospedeiros, com destaque para os mamíferos. A ocorrência de spillovers (transmissão entre espécies hospedeiras) envolvendo espécies de vírus tem sido facilitada por práticas humanas, como caça e desmatamento, impondo a inclusão de fatores socioeconômicos e culturais, que auxiliem a compreensão sobre como o comportamento humano e suas relações com o ambiente podem contribuir para o aumento da exposição aos agentes infecciosos. Dentre os mamíferos, as espécies de marsupiais ainda são pouco estudadas quanto ao seu potencial envolvimento como hospedeiros de agentes virais, apesar de apresentarem elevada capacidade de adaptação a ambientes antropizados, serem generalistas e prolíficos, características favoráveis a dispersão de agentes infecciosos, inclusive emergentes. No presente estudo, testes moleculares e sorológicos revelaram a existência de um novo vírus de hepatite A em marsupial (MVHA) Didelphis aurita, capturado na região nordeste do Brasil. Esta sequência foi depositada no GenBank sob o número MG181943. A concentração de partículas virais no fígado deste animal foi alta, 2,5x109 cópias de RNA/ grama de tecido, cerca de 1000 vezes maior que em outros órgãos sólidos, sugerindo hepatotropismo. Os soros de marsupiais testados no ELISA e no IFA sugerem uma conservação do potencial antigênico do hepatovírus. A análise filogenética do MVHA sugere a ocorrência de um evento de host switch (troca de hospedeiro) de um hepatovírus de roedores passando para um marsupial. Ainda no presente estudo, foram aplicados questionários semiestruturados em uma amostra de 213 indivíduos de uma população rural no nordeste do Brasil, abordando conhecimentos, práticas e percepções sobre a interação humano-didelfídeos e a possível exposição a zoonoses. 61% (130/213) dos respondentes acreditam que os marsupiais podem transmitir doenças; dos 20.2% (43/213) que declararam consumir carne de marsupial, 58.1% (25/43) admitem a possibilidade de transmissão de doenças por esses animais. A distribuição destas frequências é discutida de acordo com o nível educacional dos respondentes. Os resultados revelam a necessidade de realizar ações de comunicação em saúde, promovendo o conhecimento da comunidade sobre a possível exposição a patógenos decorrente do consumo desses marsupiais.

Didelphis aurita;gambá;vírus;hepatite A;percepção;saúde única
About 70% of the zoonotic pathogens are from wild hosts. Among these etiologies, viruses have assumed an important role in the global context and are the object of epidemiological and phylogenetic research, including the search for new agents and hosts, especially mammals. The occurrence of spillovers (transmission between host species) involving virus species has been facilitated by human practices such as hunting and deforestation, imposing the inclusion of socioeconomic and cultural factors, which help to understand how human behavior and its relations with the environment can contribute to increased exposure to infectious agents. Among mammals, marsupial species are still poorly studied for their potential involvement as hosts of viral agents, despite being highly adaptable to anthropogenic environments, are generalist and prolific, favorable characteristics for the dispersion of infectious agents, including emerging diseases. In the present study, molecular and serological tests revealed the existence of a new hepatitis A virus in marsupial (MHAV) Didelphis aurita, captured in the northeastern region of Brazil. This sequence was deposited on GenBank under the number MG181943. The concentration of viral particles in the liver of this animal was high, 2.5x109 copies of RNA / gram of tissue, about 1000 fold greater than in other solid organs, suggesting hepatotropism. The marsupial sera tested in ELISA and IFA suggest a conservation of the antigenic potential of hepatovirus. Phylogenetic analysis of MVHA suggests the occurrence of a host switch event from a rodent hepatovirus to a marsupial. In the present study, semi-structured questionnaires were applied to a sample of 213 individuals from a rural population in northeastern Brazil, approaching knowledge, practices and perceptions about the human-didelphis interaction and possible exposure to zoonoses. 61% (130/213) of respondents believe that marsupials can transmit disease; of the 20.2% (43/213) who reported consuming marsupial meat, 58.1% (25/43) admit the possibility of disease transmission by these animals. The distribution of these frequencies is discussed according to the educational level of the respondents. The results reveal the need to carry out health communication activities, promoting community knowledge regarding possible exposure to pathogens due to the consumption of these marsupials
Didelphis aurita;opossum;virus;hepatitis A;perception;one health
01
126
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

SAÚDE ANIMAL
DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS
Estudo sobre as etiologias virais presentes em marssupiais

Banca Examinadora

CARLOS ROBERTO FRANKE
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
BARBARA MARIA PARANA DA SILVA SOUZA Participante Externo
CLAUDIO DE OLIVEIRA ROMAO Participante Externo
CARLOS ROBERTO FRANKE Docente - PERMANENTE
RICARDO WAGNER DIAS PORTELA Docente - PERMANENTE
EDUARDO MARTINS NETTO Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - CAPES 42

Vínculo

Bolsa de Fixação
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim