Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
VETERINÁRIA (42003016008P2)
Adição de quercetina e progesterona ao sêmen equino
JORGE SQUEFF FILHO
DISSERTAÇÃO
26/02/2018

As variações e dificuldades em manter os parâmetros espermáticos da célula equina após manipulação (resfriamento e congelamento) nos leva a uma busca por substâncias que possam ser adicionadas aos meios de diluição de sêmen com o intuito de manter ou ainda melhorar a viabilidade celular. Com esse intuito, a presente dissertação testou, em dois experimentos, a adição de quercetina e progesterona ao sêmen equino. No experimento referente a adição da quercetina foram utilizados 10 cavalos da raça Crioula com idades entre 4 e 8 anos; a coleta de sêmen foi realizada com vagina artificial e 3 ejaculados de cada animal foi obtido (totalizando 30 ejaculados). As amostras foram submetidas a 5 diferentes tratamentos (0; 0,25mM; 0,5mM; 0,75mM e 1mM) de quercetina adicionadas previamente ao diluente de congelamento. As análises referentes aos parâmetros cinéticos da célula foram avaliadas de maneira subjetiva por uma pessoa treinada em microscópio contraste-fase e os parâmetros referentes a viabilidade da população espermática foram obtidos através de citometria de fluxo. A análise estatística realizada a partir dos dados obtidos não demonstrou diferença significativa entre os tratamentos e o controle (P > 0,05). O experimento referente a adição de progesterona foi realizado em duas etapas; a primeira etapa consistiu na realização de um teste de toxicidade do sêmen as diferentes concentrações do hormônio. A coleta do sêmen foi realizada com vagina artificial de um total de 10 cavalos da raça Crioula com idades entre 4 e 10 anos; posteriormente a isso as amostras foram submetidas a resfriamento até a temperatura de 5°C e adicionados os tratamentos contendo 7 diferentes concentrações de progesterona (0; 1; 2,5; 5; 10; 100 e 1000 ng/mL) em 3 tempos de exposição (0,5h; 3h e 24h). A segunda etapa consistiu na criopreservação do sêmen obtidos através de vagina artificial de 15 cavalos da raça Crioula com idades entre 4 e 10 anos. Os ejaculados foram submetidos aos tratamentos com 5 concentrações diferentes de progesterona (0; 1; 5; 10 e 100 ng/mL) adicionados ao meio diluente de criopreservação previamente ao congelamento. As análises em ambas as fases do experimento, dos parâmetros cinéticos espermáticos foram feitas pelo Sistema Computadorizado de Análise de Sêmen (CASA), bem como em ambas as avaliações feitas por citometria de fluxo referentes a viabilidade da população espermática.A análise estatística realizada posteriormente ao teste de toxicidade, ou seja, com o sêmen resfriado demonstrou melhora estatística (P < 0,05) nas concentrações de 5 e 1000 ng/mL no período de 3h de exposição em parâmetros relacionados com velocidade e distância percorrida do espermatozoide (DAP, DCL, DSL, VAP, VCL, VSL). Houve também aumento significativo na reação de acrossoma após 24 horas de exposição na concentração de 5 ng/mL e diminuição significativa (P < 0,05) da peroxidação lipídica (LPO) nas concentrações de 10, 100 e 1000 ng/mL também no período de 24 horas. Os dados obtidos das amostras pós-descongelamento demonstraram uma diminuição (P <0,05) da produção de espécies reativas de oxigênio (ROS), entretanto os outros parâmetros avaliados não diferiram estatisticamente do controle. A partir de todos os dados obtidos nos dois experimentos é possível afirmar que a adição de quercetina e progesterona ao meio de diluição, previamente a criopreservação não é interessante, uma vez que não impõe melhoras significativas na qualidade espermáticas; entretanto a adição de progesterona ao sêmen fresco resfriado demonstrou ações benéficaspara imediata utilização do sêmen, como hiperativação,capacitação e ação anti-oxidante.

congelamento;esteroide;flavonoide;garanhão;hormônio;toxicidade.
The variations and difficulties on maintaining the equine sperm parameters after manipulation (cooling and cryopreservation) take the scientists in a journey researching for substances that are able to be added to the dilution semen medium in order to keep or improve sperm viability. That being said, the present study has tested, in two different experiments, the addition of quercetin and progesterone to the equine semen. In the quercetin experiment, 10 Crioulo horses with ages between 4 and 10 years old were used, semen collection were performed with artificial vagina and 3 ejaculates of each animal were obtained (totalizing 30 ejaculates). The samples were submitted to 5 different treatments (0; 0,25mM; 0,5mM; 0,75mM and 1mM) of quercetin added in the freezing medium before the cryopreservation process. The analyzes concerning kinect sperm parameters were assessed in a subjective manner by a trained person in phase-contrast microscope and the parameters related to sperm population viability were examined by flow cytometry. Statistical analysis made from data obtained did not showed significant difference between treatments and the control (P > 0,05). The progesterone addition experiment was performed in two phases; the first phase consisted in the realization of a sperm toxicity test to the different hormonal concentrations. Semen collection was also realized with artificial vagina in a total of 10 Crioulo horses in ages between 4 to 10 years; posteriorly semen samples were submitted to cooling process until reach 5°C and adding the treatments containing 7 different progesterone concentrations (0; 1; 2,5; 5; 10; 100 e 1000 ng/mL) in 3 different times of exposition (0,5h; 3h e 24h). The second phase consisted in the sperm cryopreservation from 15 Crioulo horses collected with artificial vagina and with ages between 4 to 10 years. The ejaculates undergone to 5 different concentrations of progesterone (0; 1; 5; 10 e 100 ng/mL) added to freezingmedium previously to the cryopreservation process. In both analysis concerning progesterone experiment, kinect parameters were obtained by the Computer Assistant Sperm Analysis (CASA), as well as the flow cytometer tests regarding viable sperm population were utilized. The statistical data showed that after the toxicity test, with cooled semen, a significant improvement (P < 0,05) with the concentrations of 5 and 1000 ng/mL for 3-hour of exposition in velocity and average distance sperm parameters (DAP, DCL, DSL, VAP VCL, VSL). There was a significant raising on acrosome reaction at the 24-hour exposition time with the 5 ng/mL concentration treatment and also a significant decrease (P < 0,05) of lipid peroxidation (LPO) in the concentrations of 10, 100 and 1000 ng/mL in the 24-hour time of exposition. Information collected from thawing samples demonstrated an impairment (P < 0,05) in the reactive oxygen species, however the other parameters assessed did not differ from the control. From these data obtained in both experiments it is possible for us to conclude that the addition of quercetin to the freezing medium before the cryopreservation it is not interesting, once it does not presents significant improvements in sperm quality. On the other hand, the addition of progesterone to the fresh cooled semen demonstrated beneficial actions for the immediate use of semen, such as hyperactivation, capacitation and anti-oxidant effects.
flavonoid;freezing;hormone;stallion;steroid;toxicity
1
65
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

SANIDADE ANIMAL
BIOTÉCNICAS APLICADAS À EFICIÊNCIA REPRODUTIVA
AMIDAS NA CRIOPRESERVAÇÃO SEMINAL DE PEIXE-REI, Odontesthes bonariensis.

Banca Examinadora

ANTONIO SERGIO VARELA JUNIOR
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
BRUNA DA ROSA CURCIO Docente - PERMANENTE
CARINE DAHL CORCINI Docente - PERMANENTE
ELIZA ROSSI KOMNINOU Participante Externo

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não