Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
LETRAS (40002012012P8)
AO BELO CABE PRENDER O CISCO: O CRONISTA PERCEPTOR NA PARRESÍA DE CLARICE LISPECTOR.
JOYCE ALVES
TESE
12/12/2017

Essa tese caracteriza Clarice Lispector como cronista perceptora, a partir do estudo e da análise de suas crônicas reunidas na coletânea A descoberta do mundo (1981). Observo de modo particular as crônicas cujos temas estão relacionados à fome, à miséria, ao lugar da mulher pobre na sociedade carioca, entre outros assuntos de ordem social e que me permitem apontar na proposta da cronista certo engajamento no que tangem as causas sociais. Nesse sentido, apresento o momento histórico no qual as crônicas foram produzidas com o intuito de entender o que é que se havia de perceber naqueles tempos. Chamo a atenção, sobretudo, para a evidente desigualdade social que acometia especialmente a cidade do Rio de Janeiro entre as décadas de 1960 e 1970, período no qual as crônicas foram escritas. Na época, o Brasil sofria com a ditadura militar e com as ações opressoras por meio da censura que limitava as manifestações artísticas, o que não intimidou Clarice Lispector. A ousadia tímida da cronista transforma-se em parresía literária graças ao caráter denunciativo de seus textos. Baseio-me, ainda, em arcabouço teórico que gira em torno da crônica enquanto gênero literário de origem jornalística, bem como nas teorias que me permitem explicar a apurada percepção da cronista. Michel Foucault, em O governo de si e dos outros (2010), e Gilles Deleuze e Félix Guattari, em Kafka por uma literatura menor (2015), são autores essenciais para a concatenação deste raciocínio a que me proponho. Entretanto, Walter Mignolo, em Histórias locais/Projetos globais (2003), constitui um dos principais fios condutores da presente tese, sobretudo no que diz respeito ao que o autor chama de pensamento liminar. A perceptora Clarice Lispector promove rupturas com as propostas do projeto cultural moderno conduzindo o leitor a uma mudança de lugar epistêmico. A percepção da cronista volta-se para o marginal e a partir daí o leitor é direcionado sem, no entanto, fixar-se num único ponto de vista, o que denota a liminaridade do pensamento.

Clarice Lispector;A descoberta do mundo;crônicas;parresía literária;cronista perceptor.
This thesis characterizes Clarice Lispector as a perceptive chronicler from the study and analysis of her chronicles gathered in the collection to The discovery of the world (1981). I observe in a particular way the chronicles in wich the themes are related to hunger, misery, the place of the poor woman in the society of Rio de Janeiro, among other issues of social order and that allow me to point out in the proposal of the chronicler some engagement in which concern the social causes. In this sense, I present the historical moment in which the chronicles were produced with the intention of understanding what was to be perceived in those times. I draw attention foremost to the evident social inequality that especially affected the city of Rio de Janeiro between the decades of 1960 and 1970, period in which the chronicles were written. At the time, Brazil suffered from a military dictatorship and oppressive actions through censorship that limited artistic manifestations, which did not intimidate Clarice Lispector. The timid daring of the chronicler becomes literal parresía thanks to the denunciative character of its texts. I am also based on a theoretical framework that revolves around the chronicle as a literary genre of journalistic origin, as well as on the theories that allow me to explain the accurate perception of the chronicler. Michel Foucault, in Self-government and Others (2010), and Gilles Deleuze and Félix Guattari, in Kafka for a minor literature (2015), are essential authors for the concatenation of this reasoning to which I propose. However, Walter Mignolo, in Local Stories / Global Projects (2003), was one of the main drivers of the present thesis, especially in what the author calls "liminal thinking". The perceptive Clarice Lispector promotes ruptures with the proposals of the modern cultural project driving the reader to a change of epistemic place. the chronicler's perception turns to the marginal and from there the reader is directed without, however, being fixed in a single point of view, which denotes the liminarity of the thought.
Clarice Lispector. The Discovery of the world. Chronic. Literary parresía. Chronicler perceptor.
1
169
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

LITERATURA COMPARADA
INTERMEDIALIDADES E NOVAS FORMAS ARTÍSTICAS
A ANTIELEGIA NO BRASIL: JUNQUEIRA, NEJAR E WILLER

Banca Examinadora

ALAMIR AQUINO CORREA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
RITA DE CASSIA APARECIDA PACHECO LIMBERTI Participante Externo
MARIA CAROLINA DE GODOY Docente - PERMANENTE
TELMA MACIEL DA SILVA Docente - PERMANENTE
EDGAR CEZAR NOLASCO DOS SANTOS Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não