Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
LETRAS (40002012012P8)
INTERDISCURSIVIDADE NA POTÊNCIA DO FALSO: COSMOGONIA YANOMAMI E ETNOPOÉTICA DE CLAUDIA ANDUJAR.
LULI HATA
TESE
20/12/2017

Este trabalho apresenta a relação interdiscursiva entre a mitologia Yanomami, publicada no livro Folk Literature of Yanomami Indians (1990) e presente em A queda do céu: palavras de um xamã yanomami (2015), e as fotografias da série Sonhos, de Claudia Andujar, publicada no livro A vulnerabilidade do ser (2005). As imagens desta série resultam de fusões de fotografias feitas por Andujar em momentos e locais diferentes. Segundo suas palavras, a intenção é trazer ao público não índio a beleza e a riqueza do conhecimento mítico dos Yanomami. Essa afirmativa justifica a busca, neste trabalho, pelos elementos que tecem a interdiscursividade, especialmente quando grande parte dos estudos e análises sobre sua obra demonstram o desconhecimento sobre a cosmogonia yanomami, e os esforços resultam em frases que assumem a incapacidade de compreensão. Na medida em que a cosmogonia yanomami é trazida à tona, verifica-se que o trabalho de manipulação empreendido pela fotógrafa, intervenção que claramente é compreendida como falseamento de uma imagem fotográfica ou, em outras palavras, ficcionalização de um dado da realidade, paradoxalmente se constrói uma verdade: a verdade mítica yanomami. É a potência do falso que instaura uma verdade, segundo a concepção de fabulação de Deleuze. É esta a tese defendida neste trabalho: fabulação, a potência do falso, é o conceito que permite compreender o discurso imagético de Andujar. Quanto mais falso aos olhos da sociedade ocidental, mais se revela a verdade daquele que Deleuze identifica como pobre: o dominado, o marginalizado, o outro. O aporte teórico da pesquisa precisou ser amplo para responder a questões antropológicas, imagéticas, filosóficas, culturais, literárias, artísticas e sensíveis. Empreendeu-se a tarefa de identificar nas fotografias de Andujar o que provoca a estesia no público não índio que, mesmo sem possibilidade de compreensão racional, é mobilizado pelas imagens. Em seguida, buscou-se compreender a mitologia e o Yanomami, a partir de uma antropologia profundamente inspirada em Deleuze, que propõe a noção de perspectivismo. Por fim, as fotografias da série Sonhos são analisadas de forma a extrair os mitos e a cosmogonia dos Yanomami, a partir da abordagem da Semiótica Discursiva, com apoio na Semiótica Plástica e nas teorias sobre a imagem e o pensamento simbólico. É nesse trabalho de revelação do sagrado nas imagens de Andujar que se evidencia a fabulação por ela empreendida. Palavras-chave: Este trabalho apresenta a relação interdiscursiva entre a mitologia Yanomami, publicada no livro Folk Literature of Yanomami Indians (1990) e presente em A queda do céu: palavras de um xamã yanomami (2015), e as fotografias da série Sonhos, de Claudia Andujar, publicada no livro A vulnerabilidade do ser (2005). As imagens desta série resultam de fusões de fotografias feitas por Andujar em momentos e locais diferentes. Segundo suas palavras, a intenção é trazer ao público não índio a beleza e a riqueza do conhecimento mítico dos Yanomami. Essa afirmativa justifica a busca, neste trabalho, pelos elementos que tecem a interdiscursividade, especialmente quando grande parte dos estudos e análises sobre sua obra demonstram o desconhecimento sobre a cosmogonia yanomami, e os esforços resultam em frases que assumem a incapacidade de compreensão. Na medida em que a cosmogonia yanomami é trazida à tona, verifica-se que o trabalho de manipulação empreendido pela fotógrafa, intervenção que claramente é compreendida como falseamento de uma imagem fotográfica ou, em outras palavras, ficcionalização de um dado da realidade, paradoxalmente se constrói uma verdade: a verdade mítica yanomami. É a potência do falso que instaura uma verdade, segundo a concepção de fabulação de Deleuze. É esta a tese defendida neste trabalho: fabulação, a potência do falso, é o conceito que permite compreender o discurso imagético de Andujar. Quanto mais falso aos olhos da sociedade ocidental, mais se revela a verdade daquele que Deleuze identifica como pobre: o dominado, o marginalizado, o outro. O aporte teórico da pesquisa precisou ser amplo para responder a questões antropológicas, imagéticas, filosóficas, culturais, literárias, artísticas e sensíveis. Empreendeu-se a tarefa de identificar nas fotografias de Andujar o que provoca a estesia no público não índio que, mesmo sem possibilidade de compreensão racional, é mobilizado pelas imagens. Em seguida, buscou-se compreender a mitologia e o Yanomami, a partir de uma antropologia profundamente inspirada em Deleuze, que propõe a noção de perspectivismo. Por fim, as fotografias da série Sonhos são analisadas de forma a extrair os mitos e a cosmogonia dos Yanomami, a partir da abordagem da Semiótica Discursiva, com apoio na Semiótica Plástica e nas teorias sobre a imagem e o pensamento simbólico. É nesse trabalho de revelação do sagrado nas imagens de Andujar que se evidencia a fabulação por ela empreendida.

Fabulação. Mito. Yanomami. Interdiscurso. Arte.
This thesis introduces the interdiscoursive relation between the Yanomami mythology, published in the book Folk Literature of Yanomami Indians (1990) and present in The Falling Sky: words of a Yanomami Shaman (2015) and the series of photographs Dreams, by Claudia Andujar, published in the book The vulnerability of being (2005). The images in this series resulted from photograph fusions made by Andujar in different moments and locals. According to her, the intention is to bring to the non-Indian public the beauty and wealth from the Yanomami’s mythical knowledge. This affirmative justifies the search, in this work, for the elements that weave the interdiscursitivity, specially when the majority of studies and analysis about her opus demonstrate the lack of knowledge about the Yanomami cosmogony, and the efforts result in phrases that assume the incapability of comprehension. As the Yanomami cosmogony is brought up, it is verified that the manipulation work engaged by the photographer, an intervention clearly comprehended as a distortion of a photographic image or, with a softer word, fictionalization of a reality data, paradoxically a truth is built: the mythical Yanomami truth. It is the power of the false, which establishes a truth, according to Deleuze’s conception of fabulation. This is the thesis defended in this work: fabulation, the power of false, it is the concept that allows the comprehension of Andujar’s imagetic discourse. The falser to the eyes of the occidental society, more the truth is revealed from whom Deleuze identifies as poor: the ridden, the marginalized, the other. The theoretical input of the research had to be wide to respond to anthropological issues, imagetics, philosophical, cultural, literary, artistic and sensitive. It was engaged the task of identifying in Andujar’s photographs what causes the aesthesia in the non-Indian public, which, even without the possibility of rational comprehension, is mobilized through the images. Afterward, the comprehension of the mythology and the Yanomami was seek, through an anthropology profoundly inspired by Deleuze, who proposes a perspectivism notion. At last, the photographs from the series Dreams are analyzed in a way to extract the myths and the cosmogony from the Yanomami, through the Semiotics Discursive approach, based on Plastic Semiotics and in theories of image and the symbolic thought. It is in this work of revelation of the consecrated in Andujar’s images that substantiates the fabulation engaged by her.
Fabulation. Myth. Yanomami. Interdiscourse. Art.
1
244
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

LITERATURA COMPARADA
REPRESENTAÇÕES E TEXTUALIDADES
REPRESENTAÇÕES DO PODER NA LITERATURA BRASILEIRA: DAS VOZES REFERIDAS ÀS REPRESENTADAS

Banca Examinadora

LUIZ CARLOS MIGLIOZZI FERREIRA DE MELLO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MARIA CAROLINA DE GODOY Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 38

Vínculo

-
-
-
Não