Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (33009015091P0)
Crio Laser Forese Utilizado como um Método Biofísico na Promoção da Penetração Cutânea da Cafeína.
FABIA LEAL LOPES DE VASCONCELLOS
DISSERTAÇÃO
26/06/2017

VASCONCELLOS, Fábia L. L. Crio Laser Forese utilizado como um método biofísico na promoção da penetração cutânea da cafeína. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas, Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, Diadema. 2017. 112 p. A principal barreira imposta aos sistemas de tratamentos tópicos está relacionada à capacidade da substância ativa passar pelo estrato córneo. Deste modo, estudos sobre promotores de penetração tem se intensificado. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia do método biofísico denominado Crio Laser Forese (CLF) na penetração cutânea da cafeína, utilizando célula de Franz com difusão vertical. Fórmulas com e sem cafeína foram preparadas e congeladas a -18 ºC, seguidas de um estudo preliminar de estabilidade no espectrofotômetro na região do ultravioleta visível (UV-Vis). O Crio Laser Forese foi aplicado ou não sobre a pele humana com as formulações durante 10 minutos. Após 24 horas da aplicação do Crio Laser Forese, as células foram desmontadas e separadas em epiderme e derme. As amostras dos líquidos receptores, da epiderme e da derme foram analisadas em HPLC com detector de arranjo de diodos (CLAE-UV/DAD). Nas condições realizadas, o estudo não demonstrou a eficiência do aparelho CLF como promotor de penetração cutânea. O mesmo experimento foi realizado para estudo histológico da pele e após 24 horas da aplicação do Crio Laser Forese, as peles foram fixadas, coradas e as laminas preparadas. Foram realizadas fotomicrografias das lâminas em microscópio óptico no aumento 40X. Os cortes histológicos não mostraram alterações, assim como o teste de avaliação de viabilidade celular sugerindo que o equipamento estudado não causa danos na pele. Antes dos testes de permeação, foram comparados 2 modelos de membranas biológicas: in vitro e ex vivo. No teste in vitro foi realizada a montagem dos equivalentes dermoepidérmicos utilizando fibroblastos e queratinócitos humanos. Para a membrana ex vivo foi utilizada pele humana abdominal retirada de cirurgias plásticas. Quando comparamos as membranas, o modelo dermoepidérmico in vitro mostrou-se mais permeável que a pele humana ex vivo.

Penetração Cutânea;Cafeína;Método Biofísico;In vitro;Ex vivo
VASCONCELLOS, Fábia L. L. Cryo Laser Forese used as a biophysical method in the promotion of cutaneous penetration of caffeine. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas, Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, Diadema. 2017. 112 p. The main barrier to topical treatment systems is related to the ability of the active substance to pass through the stratum corneum. Thus, studies on penetration promoters have intensified. The objective of this work was to evaluate the efficacy of the biophysical method called Cryo Laser Forese (CLF) in the cutaneous penetration of caffeine, using Franz cell with vertical diffusion. Formulas with and without caffeine were prepared and frozen at -18 °C, followed by a preliminary study of spectrophotometer stability in the visible ultraviolet (UV-Vis) region. The Cryo Laser Forese was applied or not to the human skin with the formulations during 10 minutes. After 24 hours of application of the Crio Laser Forese, the cells were disassembled and separated into epidermis and dermis. Receptor, epidermal and dermal fluid samples were analyzed by HPLC with a diode arrangement detector (HPLC-UV/ DAD). The results of the permeation test suggest that CLF did not contribute to the permeation of caffeine under the conditions studied. The same experiment was performed for histological study of the skin and after 24 hours of application of the Cryo Laser Forese, the skins were fixed, stained and the prepared sheets. Photomicrographs of the slides were performed under an optical microscope at 40X magnification. Histological sections showed no alterations, as did the cell viability assessment test, suggesting that the equipment studied does not cause damage to the skin. Before the permeation tests, two models of biological membranes were compared: in vitro and ex vivo. In the in vitro test, the dermoepidermal equivalents were assembled using fibroblasts and human keratinocytes. For the ex vivo membrane, abdominal human skin was taken from plastic surgeries. When we compared the membranes, the dermoepidermal model in vitro was more permeable than ex vivo human skin.
Skin Permeation;Caffeine;Biophysical Method;In vitro;Ex vivo
1
112
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

Contexto

Biociências, Saúde e Tecnologia
AVALIACAO BIOLOGICA FARMACOLOGICA E TOXICOLOGICA
Avaliação de segurança de substâncias bioativas.

Banca Examinadora

VANIA RODRIGUES LEITE E SILVA
Sim
Nome Categoria
PEDRO GONCALVES DE OLIVEIRA Participante Externo
TELMA MARY KANEKO Participante Externo
ANDREA CECILIA DORION RODAS Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não