Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
CIÊNCIAS VETERINÁRIAS (31002013003P3)
Detecção molecular de Babesia vogeli (Piroplasmida: Babesiidae) e Ehrlichia canis (Rickettsiales: Anaplasmataceae) em carrapatos não ingurgitados coletados em ambiente peri-domiciliar em dois municípios da microrregião de Itaguaí, Rio de Janeiro
ROBERTA CAROLINE ALVARENGA TOLOMELLI
DISSERTAÇÃO
16/08/2017

As babesioses e erliquioses caninas são transmitidas pelo carrapato Rhipicephalus sanguineus sensu lato (s.l.). Estes hemoparasitos são bem distribuídos no país, sendo a erliquiose mais frequente que babesiose. O objetivo deste trabalho foi avaliar a frequência de Ehrlichia canis e Babesia vogeli em carrapatos não alimentados coletados em dois municípios da microrregião de Itaguaí, Rio de Janeiro. Foram analisados 369 carrapatos R. sanguineus s.l., incluindo adultos (194), ninfas (92) e larvas (83). As amostras foram submetidos à extração de DNA pelo método de HotSHOT modificado. A detecção molecular de E. canis foi realizada através da reação em cadeia da polimerase (PCR) com alvo no gene “Disulfide oxidoreductase” (dsb) de Ehrlichia spp., amplificando um fragmento de 409 pares de bases (pb). Para detecção de Babesia vogeli, as amostras foram testadas em uma PCR que amplifica um fragmento de 523pb do gene “heat shock protein 70kDa” (hsp70) de B. vogeli. Foi obtido um total de 41 (11,11%) amostras positivas para E. canis, sendo 11 (5,67%) adultos, 8 (8,69%) ninfas e 22 (26,5%) larvas (p<0,05). Em relação a B. vogeli foram observadas 24 (6,5%) de amostras positivas, sendo 9 (4,63%) adultos, 7 (7,6%) ninfas e 8 (9,63%) larvas. As análises epidemiológicas demonstraram que a frequência de B. vogeli foi maior na zona rural do que urbana (p<0,05), e também em locais onde os cães possuíam abrigos (P<0,05). Concluiu-se que os locais de maior prevalência de B. vogeli na região estão contidos mais na zona rural do que urbana e também onde há presença de abrigo para os cães. Na detecção de E. canis foi observada maior frequência do hemoparasito em Itaguaí do que Seropédica (p=0,01). O presente estudo demonstrou E. canis em larvas de R. sanguineus s.l. não alimentadas, reforçando a possibilidade de transmissão transovariana da bactéria, porém, são necessários mais estudos para demonstrar essa forma de transmissão no vetor.

Hemoparasitos;Rhipicephalus sanguineus senso lato;carrapato;epidemiologia;infecção natural
Canine babesiosis and ehrlichiosis are transmitted by the brown dog tick, Rhipicephalus sanguineus sensu lato (s.l.). These hemoparasites are well distributed in Brazil and the canine ehrlichiosis is more frequent than babesiosis. The aim of this study was to assess the frequency of Ehrlichia canis and Babesia vogeli in unfed ticks from two counties of Itaguaí microregion, Rio de Janeiro. 369 R. sanguineus s.l. ticks were analyzed in peridomiciliary environment, including adults (194), nymphs (92) and larvae (83). The DNA samples were extracted through a HotSHOT modified method. The molecular detection of E. canis was made by a PCR that amplifies a 409 bp fragment of Disulfide oxidoreductase (dsb) gene of Ehrlichia spp. For B. vogeli detection, the samples were tested by a PCR that amplifies a 523 bp fragment of heat shock protein 70kDa (hsp70) gene. We obtained 41 (11.11%) positive samples for E. canis, 11 (5,67%) adults, 8 (8,69%) nymphs ans 22 (26,5%) larvae (p<0.05). From PCR of B vogeli, we obtained 24 (6,5%) positive samples, 9 (4,63%) adults, 7 (7,6%) nymphs and 8 (9,63%) larvae. The bivariate analysis showed significance for the presence of dog’s shelter in relation to B. vogeli infection in ticks (p<0.05). The area of collection had statistical significance too. It demonstrated that ticks in rural areas are more likely to get infection by B. vogeli (p<0.05). We concluded that B. vogeli is more prevalent in rural areas and areas which the dog lives with shelter. The analysis of E. canis samples showed that the hemoparasite is more frequent in Itaguaí city than Seropédica (p=0,01). This study has shown the presence of E. canis in larvae of R. sanguineus s.l.. This event increases the possibility of transovarial transmission of the bacteria, however, more studies are necessary to demonstrate experimentally this kind of transmission in the tick vector.
Hemoparasites;Rhipicephalus sanguineus senso lato;tick;epidemiology;natural infection
01
59
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

CIÊNCIAS VETERINÁRIAS
BIOECOLOGIA, DIAGNÓSTICO E CONTROLE DE PATÓGENOS DE IMPORTÂNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA
ESTUDOS DA TRANSMISSÃO BIOLÓGICA, CARACTERIZAÇÃO MORFOLOGICA E MOLECULAR DE HEMOPARASITOS NO TERRITÓRIO BRASILEIRO.

Banca Examinadora

HUARRISSON AZEVEDO SANTOS
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
CLAUDIA BEZERRA DA SILVA Participante Externo
NATHALIE COSTA DA CUNHA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Apoio à Pós-Graduação 24
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO - Infraestrutura 24

Vínculo

-
-
-
Não