Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
ARQUITETURA E URBANISMO (53001010042P8)
Imaginário e Parque Urbano: Um estudo do Bosque dos Buritis em Goiânia
ANA FLAVIA REGO MOTA
DISSERTAÇÃO
20/06/2017

A criação da cidade de Goiânia, na década de 1930, para substituir a antiga capital de Goiás, pretendia afirmar o Estado como expressão do progresso e desenvolvimento conquistado. Seu plano original, elaborado por Attílio Corrêa Lima, em 1933, tem influência do urbanismo barroco, expresso na monumentalidade, e dos padrões sanitários estabelecidos para a época. Alguns parques, portanto, foram estabelecidos como pulmões da cidade em estreita relação com os cursos d’água, além de serem propostos para o lazer e embelezamento urbano. O Bosque dos Buritis, localizado na região central da cidade, foi previsto nesse plano e definido como área de lazer e de preservação ambiental, que não poderia ter seu uso alterado. Entretanto, a maioria das áreas verdes, previstas no plano original, foram loteadas para abrigar a população que chegava na nova capital ou desmatadas para a abertura de vias. Da mesma maneira, o Bosque teve sua área extremamente reduzida e se consolidou como parque urbano apenas por volta dos anos 1960 e 1970. Posteriormente, o parque ganhou um concurso de cartão-postal de Goiânia, o que deu início a discursos de “cidade verde”, “cidade sustentável”, que estimularam a construção de mais de 10 parques na cidade, na última década. Tomando-se os parques urbanos da cidade como palimpsesto, as consecutivas transformações do Bosque possibilitaram a investigação de suas representações. A partir de revisões bibliográficas, análise de fontes documentais e de entrevistas, a pesquisa busca investigar o Bosque que habita o imaginário daqueles que dele usufruem e as relações simbólicas estabelecidas com este espaço da cidade.

Imaginário urbano,;parque urbano, Bosque dos Buritis, Goiânia.
The creation of the city of Goiânia in the 1930s, with the aim of replacing the old capital of Goiás was intended to affirm the state as an expression of the progress and the achieved development. Its original plan, elaborated by Attílio Corrêa Lima, in 1933, has the influence of baroque urbanism, expressed in the monumentality, and the sanitary standards established for that time. Some parks, therefore, were established as lungs of the city in close relation with the waterways, in addition to being proposed for leisure and urban beautification. Bosque dos Buritis, located in the central region, was foreseen in this plan and defined as an area of leisure and environmental preservation, which should not have its use altered. However, most of the green areas, predicted in the original plan, were subdivided in order to house the population that arrived in the new capital or deforested for opening roads. In the same way, Bosque had its area extremely reduced and was consolidated as an urban park in the 1960s and 1970s, only. Later, the park gained an election a contest of Goiânia’s postcard, what has initiated discourses of "green city", "sustainable city", which stimulated the construction of more than 10 parks in the city in the last decade. Taking the urban parks of Goiânia as palimpsest, Bosque’s consecutive transformations made possible an investigation of its representations. Based on bibliographical reviews, analysis of documentary sources and interviews, the research seeks to investigate the Bosque that inhabits the imaginary of those who enjoy it and the symbolic relations established with this space of the city.
Urban imaginary;urban park, Bosque of Buritis, Goiânia
1
186
PORTUGUES
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

TEORIA, HISTÓRIA E CRÍTICA
PATRIMÔNIO E PRESERVAÇÃO
ARQUITETURA MODERNA E RECONHECIMENTO CULTURAL: NARRATIVAS DE RECONFIGURAÇÃO EM BRASÍLIA

Banca Examinadora

LUCIANA SABOIA FONSECA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
MARCIA METRAN DE MELLO Participante Externo
ELANE RIBEIRO PEIXOTO Docente - PERMANENTE
LUCIANA SABOIA FONSECA Docente - PERMANENTE

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim