Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PSICOBIOLOGIA (33009015033P0)
Estudo da Função Sexual Feminina na Apneia Obstrutiva do Sono de Grau Leve.
GLAURY APARECIDA COELHO
DISSERTAÇÃO
31/08/2017

Coelho, G. Estudo da função sexual feminina na apneia obstrutiva do sono de grau leve. 2017 83 p. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Psicobiologia. Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, Brasil. Introdução: As mulheres costumam apresentar apneia obstrutiva do sono (AOS) menos grave quando comparadas aos homens, sendo a AOS de grau leve mais prevalente do que outros graus. A associação entre AOS e disfunção sexual feminina (DSF) ainda é pouco explorada na literatura. Objetivo: Investigar a prevalência de disfunção sexual feminina (DFS) em mulheres com AOS leve, avaliar o impacto da AOS na DSF, bem como determinar os preditores de risco para DSF. Métodos: Estudo transversal, observacional e analítico, realizado a partir do ambulatório dos distúrbios do sono e setor de sono na mulher da Universidade de São Paulo, Escola Paulista de Medicina (UNIFESP - EPM) e do Instituto do Sono. A amostra foi composta por mulheres entre 26 e 65 anos, distribuídas em 2 grupos: AOS leve (com Índice de Apneia e Hipopneia-IAH entre 5 e 15 eventos/hora e associado a pelo menos um sintoma), e grupo controle (com IAH<5 eventos/hora e índice de despertares - IDR<15 eventos/hora) sem queixas relacionadas ao sono. As pacientes responderam aos questionários Escala de Sonolência de Epworth, Índice de Função Sexual Feminina (FSFI), Índice de Menopausal de Kupperman (IMK) e Inventário de Depressão de Beck (BDI) e Critério de Classificação Econômica Brasil (CCEB); foram submetidas ao exame físico, à mensuração da dosagem dos hormônios sexuais femininos e ao exame de Polissonografia (PSG) de noite inteira. A comparação entre os grupos foi realizada pelo teste GLM univariado e os fatores associados para DSF foram investigados pela Regressão Linear. Resultados: As mulheres do grupo AOS leve foram mais velhas (48,88 anos ± 8,87) que o controle (40,07 anos ± 11,22). Apresentaram mais sintomas pelo IMK (14,20 ± 10 vs 5,90 ± 7,90), maior IMC (29,51 ± 4,29 vs 23,69 ± 2,96), maior escore no IDB (12,30 ± 7,50 vs 8,70 ± 9,51) e menor CCEB (30,29 ± 11 vs 43,38 ± 11,41). O escore total do FSFI foi baixo em ambos os grupos sendo AOS leve (18,06 ± 11,62) e controle (21,88 ± 9,77). Conclusão: Encontramos alta prevalência de DSF tanto no grupo AOS leve, assim como no grupo controle. A presença de AOS leve não impactou a função sexual nesta amostra. Foram fatores associados para a diminuição da função sexual depressão, maior IMC e idade avançada.

sono;apneia obstrutiva do sono;disfunção sexual feminina;menopausa;depressão.
Coelho, G. Study of female sexual function in mild obstructive sleep apnea. 2017 83 p. Dissertation (Master degree) - Department of Psychobiology. Federal University of São Paulo, São Paulo, Brazil. Introduction: Women usually present less severe obstructive sleep apnea (OSA) when compared to men, with mild OSA being more prevalent than other degrees. The association between OSA and female sexual dysfunction (FSD) is still little explored in the literature. Objective: To investigate the prevalence of female sexual dysfunction (DFS) in women with mild OSA, to assess the impact of OSA on FSD, as well as to determine the predictors of risk for FSD. Methods: A cross - sectional, observational and analytical study was carried out from the ambulatory of sleep disorders and sleep sector in the Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina (UNIFESP - EPM) and the Sleep Institute. The sample consisted of women between 26 and 65 years of age, divided into 2 groups: mild OSA (with apnea and hypopnea index-IAH between 5 and 15 events/hour and associated with at least one symptom), and control group (with AHI<5 events / hour and wakefulness index - IDR<15 events/hour) with no complaints related to sleep. Patients responded to the Epworth Sleepiness Scale, Female Sexual Function Index (FSFI), Kupperman Menopausal Index (IMK), and Beck Depression Inventory (BDI) questionnaires; were submitted to physical examination, measurement of the female sex hormone dosage, and polysomnography (PSG) at night. The comparison between the groups was performed by the univariate GLM test and the associated factors for DSF were investigated by Linear Regression. Results: The women in the mild AOS group were older (48.88 years ± 8.87) than the control (40.07 years ± 11.22). They presented more symptoms in KMI (14.2 ± 10 vs 5.9 ± 7.9), higher BMI (29.51 ± 4.29 vs 23.69 ± 2.96), higher score in the BDI (12.30 ± 7.50 vs 8.70 ± 9.51) and lower BECC (30.29 ± 11 vs 43.38 ± 11.41). The FSFI total score was low in both groups, with mild OSA (18.06 ± 11.62) and control (21.88 ± 9.77). Conclusion: We found a high prevalence of DSF in both, the mild AOS group as well as in the control group. The presence of mild OSA did not affect sexual function in this sample. There were associated factors for decreased sexual function depression, higher BMI and advanced age.
sleep;obstructive sleep apnea;female sexual dysfunction;menopause;depression.
1
84
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

MEDICINA E BIOLOGIA DO SONO
DISTÚRBIOS DO SONO E SUAS CONSEQUÊNCIAS
APNÉIA DO SONO: ASPECTOS GERAIS, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO.

Banca Examinadora

HELENA HACHUL DE CAMPOS
DOCENTE - PERMANENTE
Não
Nome Categoria
LIGIA MENDONCA LUCCHESI Participante Externo
JOSE MARIA SOARES JUNIOR Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
ASSOCIACAO FUNDO DE INCENTIVO A PESQUISA - Auxílio Financeiro 24

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não