Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
CIÊNCIAS DA SAÚDE APLICADAS À REUMATOLOGIA (33009015031P7)
TRADUÇÃO, ADAPTAÇÃO CULTURAL E REPRODUTIBILIDADE DOS QUESTIONÁRIOS: ARTHRITIS SELF-EFFICACY SCALE (ASES) E ARTHRITIS SELF-EFFICACY SCALE-8 ITEM (ASES-8) PARA O BRASIL.
RAPHAEL VILELA TIMOTEO DA SILVA
DISSERTAÇÃO
24/05/2017

Objetivo: Traduzir, adaptar culturalmente e testar a reprodutibilidade do questionário de auto eficácia Arthritis Self-Efficacy Scale (ASES) para o Brasil. Material e métodos: Primeira etapa: traduzir para a língua portuguesa e a adaptação cultural do ASES. Segunda etapa: reprodutibilidade do questionário para a população brasileira. Foram avaliados pacientes de ambos os gêneros, idade entre 18-60 anos com AR segundo o ACR.A tradução foi realizada por dois professores de inglês e sua versão foi chamada de V1. Back-translation: a V1 foi submetida a duas novas versões em inglês, por outros dois professores de inglês, naturais de países de língua inglesa, que dominavam o português. A versão foi submetida novamente ao comitê de revisão para mostrar equivalência semântica entre o original e a V1. Equivalência cultural: A V1 foi aplicada em 30 pacientes com AR. As questões tinham que ser compreendidas por 80% ou mais dos entrevistados. Reprodutibilidade: a V1 foi aplicada em três tempos diferentes: dois no mesmo dia (avaliador 1- AV1 e avaliador 2- AV2 avaliação inter-avaliador) e a terceira entre 7 e 15 dias pelo avaliador 1 (R1-avaliação intra-avaliador). Validade Construtiva: Pacientes responderam junto ao ASES a Escala numérica de dor (END), Health Assessment Questionnaire (HAQ), Beck Depression Inventory (BDI). Resultados: A consistência interna para ASES (dor, função e sintomas) apresentaram ICC > 0,7 (AV1x AV2 e AV1x R1) para todos os domínios. Alpha de Cronbach (AV1xAV2) de: 0,94/0,95/0,95 e Alpha de Cronbach (AV1xR1) de 0,94/0,98/0,98 para ASES dor, função e sintomas respectivamente. Houve correlações entre: ASES (dor): HAQ (0,02) e END (0,05). ASES (função): HAQ (0,01), END (0,05) e Beck (0,02). ASES (sintomas): HAQ (0,03) e BECK (0,02). Conclusão: A versão em português para o Brasil do questionário ASES foi traduzida e adaptada com uma boa consistência interna e validade construtiva.

Tradução;Validação;Auto eficácia;Artrite reumatóide
Objetivo: Traduzir, adaptar culturalmente e testar a reprodutibilidade do questionário de auto eficácia Arthritis Self-Efficacy Scale (ASES) para o Brasil. Material e métodos: Primeira etapa: traduzir para a língua portuguesa e a adaptação cultural do ASES. Segunda etapa: reprodutibilidade do questionário para a população brasileira. Foram avaliados pacientes de ambos os gêneros, idade entre 18-60 anos com AR segundo o ACR.A tradução foi realizada por dois professores de inglês e sua versão foi chamada de V1. Back-translation: a V1 foi submetida a duas novas versões em inglês, por outros dois professores de inglês, naturais de países de língua inglesa, que dominavam o português. A versão foi submetida novamente ao comitê de revisão para mostrar equivalência semântica entre o original e a V1. Equivalência cultural: A V1 foi aplicada em 30 pacientes com AR. As questões tinham que ser compreendidas por 80% ou mais dos entrevistados. Reprodutibilidade: a V1 foi aplicada em três tempos diferentes: dois no mesmo dia (avaliador 1- AV1 e avaliador 2- AV2 avaliação inter-avaliador) e a terceira entre 7 e 15 dias pelo avaliador 1 (R1-avaliação intra-avaliador). Validade Construtiva: Pacientes responderam junto ao ASES a Escala numérica de dor (END), Health Assessment Questionnaire (HAQ), Beck Depression Inventory (BDI). Resultados: A consistência interna para ASES (dor, função e sintomas) apresentaram ICC > 0,7 (AV1x AV2 e AV1x R1) para todos os domínios. Alpha de Cronbach (AV1xAV2) de: 0,94/0,95/0,95 e Alpha de Cronbach (AV1xR1) de 0,94/0,98/0,98 para ASES dor, função e sintomas respectivamente. Houve correlações entre: ASES (dor): HAQ (0,02) e END (0,05). ASES (função): HAQ (0,01), END (0,05) e Beck (0,02). ASES (sintomas): HAQ (0,03) e BECK (0,02). Conclusão: A versão em português para o Brasil do questionário ASES foi traduzida e adaptada com uma boa consistência interna e validade construtiva.
Tradução;Validação;Auto eficácia;Artrite reumatóide
1
83
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

TERAPÊUTICA REUMATOLÓGICA
COLUNA VERTEBRAL E REABILITAÇÃO
Programa de Treinamento Resistido Progressivo para Pacientes com Fibromialgia

Banca Examinadora

JAMIL NATOUR
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
CARLA GONCALVES SCHAHIN SAAD Participante Externo
KARINA ROSSI BONFIGLIOLI Participante Externo
ROZANA MESQUITA CICONELLI Participante Externo

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não