Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
CIÊNCIA ANIMAL (32001010042P5)
Ômega-conotoxina MVIIC no trauma experimental da medula espinal.
JUAN SEBASTIAN GUTIERREZ LOZANO
DISSERTAÇÃO
10/02/2017

O trauma medular é uma afecção comum na medicina veterinária. Ela pode acarretar graves consequências tais como déficit na função motora sensorial e autonômica para o animal acometido e pode determinar a eutanásia do mesmo. As lesões medulares causam danos no tecido nervoso por mecanismos primário e secundário. A lesão primaria e de tipo irreversível, já no mecanismo secundário um influxo exacerbado de cálcio é produzido, principalmente devido à ativação de canais para cálcio voltagem-dependentes (CCVD). Esse evento é considerado crítico na fisiopatogênia da lesão medular. A Ômega-conotoxina MVIIC obtida da purificação do veneno de Conus magus é capaz de bloquear CCVD e, assim, reduzir o influxo de cálcio. O presente estudo avaliou o efeito da aplicação intratecal da Ômega-conotoxina MVIIC nas doses 15 e 30 pmol e nos tempos 5 minutos e uma hora após o trauma medular experimental em ratos. Foram utilizados 36 ratos machos adultos, variedade Wistar, aleatoriamente divididos em seis grupos. Os animais do grupo Controle Negativo (CN) foram submetidos à laminectómica dorsal. Nos demais grupos, além da laminectómica, os animais foram submetidos ao trauma medular agudo contusivo pelo aparelho MASCIS impactor. Realizou-se aplicação intratecal de placebo nos animais dos grupos Controle Positivo (CP). Nos Grupos G3 e G5 foram aplicadas doses de 15 e 30 pmol, respectivamente, da toxina Ômega-conotoxina MVIIC, nos animais tratados 5 minutos após o trauma. Nos Grupos G4 e G6 foram aplicadas as doses de 15 e 30, respectivamente, uma hora após o trauma. Os animais foram eutanasiados 48 horas após a intervenção cirúrgica e a aplicação da toxina. Por fim, coletaram-se amostras de sangue para avaliar os efeitos secundários, e segmentos de medula espinhal, para quantificação de espécies reativas de oxigênio e peroxidação lipídica e para a avaliação da expressão gênica de fatores relacionados à apoptose por meio de técnica de qRT-PCR. Observou-se redução na produção de ERO´s no grupo tratado com 15 pmol/5 minutos após o trauma, o que sugere tendência de redução dos níveis de ERO's, o que, provavelmente, estaria relacionado à redução dos eventos patogênicos devido ao acúmulo intracelular de cálcio pelo bloqueio de CCVD.

Ômega-conotoxina MVIIC;trauma medular;neuroproteção;MASCIS impactor;cálcio;apoptose;peroxidação lipídica;espécies reativas de oxigênio;qRT-PCR;em tempo real
Spinal cord trauma is a common condition in veterinary medicine. It can lead to serious consequences such as deficits in sensory and autonomic motor function for the affected animal and can determine the euthanasia of the affected animal. Marrow lesions cause damage to nerve tissue by primary and secondary mechanisms. The primary and irreversible lesion, already in the secondary mechanism an exacerbated influx of calcium is produced, mainly due to the activation of voltage-dependent calcium channels (CCVD). This event is considered critical in the pathophysiology of spinal cord injury. The Omega-conotoxin MVIIC obtained from the purification of the venom of Conus magus is able to block CCVD and thus reduce the influx of calcium. The present study evaluated the effect of intrathecal application of omega-conotoxin MVIIC at doses 15 and 30 pmol and at the times 5 minutes and one hour after the experimental bone marrow trauma in rats. Thirty - six adult male Wistar rats were randomly divided into six groups. The animals of the Negative Control (CN) group were submitted to dorsal laminectomy. In the other groups, in addition to laminectomy, the animals were submitted to acute medullary trauma by the device MASCIS impactor. Intrathecal application of placebo was performed in the animals of the Positive Control (CP) groups. In Groups G3 and G5 doses of 15 and 30 pmol, respectively, of the Omega-conotoxin toxin MVIIC, were applied in the treated animals 5 minutes after the trauma. In Groups G4 and G6 doses of 15 and 30, respectively, were applied one hour after the trauma. The animals were euthanized 48 hours after the surgical intervention and the application of the toxin. Finally, blood samples were collected to evaluate the side effects and spinal cord segments for the quantification of reactive oxygen species and lipid peroxidation and for the evaluation of the gene expression of factors related to apoptosis by means of the qRT- PCR. There was a reduction in ROS production in the treated group at 15 pmol / 5 minutes post trauma, suggesting a tendency to reduce ROS levels, which would probably be related to the reduction of the pathogenic events due to the intracellular accumulation of calcium by blocking CCVD.
Omega-conotoxin MVIIC;neuroprotection;MASCIS impactor;calcium;apoptosis;lipid peroxidation;reactive oxygen species;qRT-PCR;in real time
38
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

MEDICINA E CIRURGIA VETERINÁRIAS
-
Efeito neuroprotetor da ômega-conotoxina MVIIC no trauma experimentral da medula espinhal em ratos

Banca Examinadora

ELIANE GONCALVES DE MELO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
ELIANE GONCALVES DE MELO Docente - PERMANENTE
CARLA MARIA OSORIO SILVA Participante Externo
NANCY SCARDUA BINDA Participante Externo
BENITO SOTO BLANCO Docente - PERMANENTE

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Excelência Acadêmica 24

Vínculo

-
-
-
Sim