Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
TECNOLOGIAS E ATENÇÃO À SAÚDE (33009015074P8)
VARIÁVEIS CLÍNICAS QUE DETERMINAM O SUCESSO DA ADENOTONSILECTOMIA EM CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN
MAIRA DA ROCHA
DISSERTAÇÃO
28/09/2016

Objetivos: Avaliar a evolução dos parâmetros polissonográficos de crianças com síndrome de Down (SD) e síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) submetidas à adenotonsilectomia, a influência de comorbidades e características do exame físico. Método: Foram identificados 90 pacientes com SD e ronco habitual atendidos entre 2005 e 2015. As medidas de desfecho primário foram as alterações evolutivas dos parâmetros polissonográficos após a cirurgia e as de desfecho secundário foram o índice de apneia e hipopneia do tipo obstrutivo (IAH-O) < 2,0 e a redução de pelo menos 50% do IAH-O. As queixas relatadas pelos pais foram comparadas antes e após a cirurgia, pelo teste de igualdade das duas proporções. O teste de Wilcoxon foi utilizado para analisar a evolução dos parâmetros polissonográficos. O teste de Mann-Whitney para avaliar a influência das comorbidades, do escore de Mallampati modificado e da macroglossia. O teste de Kruskal-Wallis avaliou a influência da hipertrofia de tonsilas palatinas. Resultados: Trinta e nove pacientes preencheram os critérios de inclusão, e destes, 27 apresentavam SAOS. Houve melhora significativa das queixas relatadas pelos pais, do índice de despertares e do valor mínimo da saturação percutânea da oxi-hemoglobina. A adenotonsilectomia foi capaz de curar a SAOS em 29,6% das crianças com SD. Dezenove pacientes (70,4%) permaneceram com SAOS e 44,4% apresentaram redução de no mínimo 50% do IAH-O. Os cardiopatas tiveram pior evolução quanto ao índice de apneia central, e os hipotireoideos quanto à eficiência do sono, ao estágio N1 do sono, e aos índices de apneia-hipopneia e de apneia central. A macroglossia foi associada à pior evolução do índice de apneia obstrutiva. Pacientes com escore de Mallampati modificado classe IV apresentaram melhor evolução do índice de apneia central que aqueles com Mallampati modificado classe III. Crianças com hipertrofia tonsilar grau II apresentaram melhor evolução quanto ao índice de hipopneia que aqueles com hipertrofia tonsilar grau III. Conclusão: A adenotonsilectomia foi capaz de curar a SAOS em 29,6% das crianças com SD e 44,4% apresentaram redução de no mínimo 50% do IAH-O. A presença de cardiopatia congênita e hipotireoidismo podem interferir na melhora dos parâmetros polissonográficos. A hipertrofia de tonsilas palatinas grau II e escore Mallampati modificado classe IV foram associados a melhores resultados.

Apneia do Sono Tipo Obstrutiva;Síndrome de Down.;Defeitos dos Septos Cardíacos;Macroglossia;Tonsilectomia
Objective: To evaluate the evolution of polysomnographic parameters of children with Down syndrome (DS) and obstructive sleep apnea syndrome (OSAS) submitted to adenotonsillectomy and the influence of comorbidities, and physical examination characteristics. Method: Ninety patients with DS and habitual snoring were identified between 2005 and 2015. The primary outcome measures were evolutive alterations of polysomnographic parameters after surgery and the secondary outcome measures were obstructive apnea-hypopnea index (O-AHI) inferior to 2,0 and the reduction of at least 50% of this index. Alterations in parent’s complaints were evaluated by equality of two proportions test. Wilcoxon test was used to examine pre and postoperative polysomnographic differences. Mann-Whitney test evaluated the influence of comorbidities, of modified Mallampati score and macroglossia, and Kruskal-Wallis test evaluated the influence of palatine tonsillar hypertrophy. Results: Thirty-nine patients fulfilled inclusion criteria and 29 presented OSAS. Significant improvement of parent’s complaints, aroulsals index, and minimum percutaneous oxygen saturation were observed. Adenotonsillectomy was capable to resolve OSAS in 29,6% of children with DS. Nineteen patients (70,4%) remained with OSAS and 44,4% presented a reduction of at least 50% of O-AHI. Patients with heart diseases had worse evolution of central apnea index and those with hypotireoidism had worse evolution of sleep efficiency, stage N1 of sleep, apnea-hypopnea, and central apnea index. Patients with modified Mallampati score IV had better evolution of central apnea index when compared with those with modified Mallampati score III. Patients with tonsillar hypertrophy grade II had better evolution of hypopnea index when compared with those with tonsillar hypertrophy grade III. Conclusion: Adenotonsillectomy was capable to resolve OSAS in 29,6% of children with DS. Nineteen patients (70,4%) remained with OSAS and 44,4% presented a reduction of at least 50% of O-AHI. Congenital heart diseases and hypotireoidism may affect the improvement of polysomnographic parameters. Tonsillar hypertrophy grade II and modified Mallampati score IV were associated to better results.
Obstructive Sleep Apnea;Down Syndrome;Heart Septal Defects;Macroglossia;Tonsilectomy
1
42
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

TÉCNOLOGIA EM SAÚDE
EVIDÊNCIAS PARA A PRÁTICA NA SAÚDE
-

Banca Examinadora

REGINALDO RAIMUNDO FUJITA
DOCENTE - COLABORADOR
Sim
Nome Categoria
FABIANA CARDOSO PEREIRA VALERA Participante Externo
EDUARDO MACOTO KOSUGI Docente - COLABORADOR
ANDREI BORIN Participante Externo
RENATA CANTISANI DI FRANCESCO MION Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Não

Produções Intelectuais Associadas

Não existem produções associadas ao trabalho de conclusão.