Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
VETERINÁRIA (42003016008P2)
Atividade antimicrobiana de extratos vegetais e toxicidade em modelos alternativos
CLAUDIA GIORDANI
TESE
22/02/2017

As plantas medicinais têm sido utilizadas desde épocas remotas, e atualmente são alvos da pesquisa para obtenção de novos compostos bioativos, para combater, principalmente, patógenos resistentes. Nessa realidade, existe a preocupação do uso das plantas sem a avaliação química e toxicológica. Assim, este trabalho teve por objetivo avaliar a suscetibilidade dos isolados clínicos resistentes aos fármacos convencionais frente a extratos hidroalcoólicos de Schinus terebinthifolius (ST), Eugenia uniflora (EU), Polygonum hydropiperoides (PH), Baccharis trimera (BT), Equisetum hyemale (EH) e Solidago chilensis (SC), e determinar a composição química, atividade antioxidante e toxicidade in vitro e in vivo dos extratos. Para avaliação da suscetibilidade in vitro das bactérias (n=58) e fungos (n=30) realizou-se o teste de microdiluição em caldo (CLSI, M07-09, M38-A2 e M27-A3). Os níveis de atividade antioxidante foram identificados pelos testes com DPPH e ATBS, e os compostos químicos identificados através de cromatografia líquida e gasosa. A determinação da toxicidade dos extratos in vitro foi avaliada em células Vero (teste do MTT), em células espermáticas (parâmetros de motilidade = CASA, e de estrutura = citometria de fluxo), e em eritrócitos caninos (capacidade hemaglutinante e hemolítica). A toxicidade in vivo foi avaliada em ovos de codorna embrionados. Os extratos de ST, PH e EU apresentaram ação fungiostática e fungicida sobre Sporothrix brasiliensis, Malassezia pachydermatis e dermatófitos (0,19-100 mg.mL-1), bacteriostática e bactericida em Gram-positivas e Gram-negativas (0,03-7,5 mg.mL-1), além de níveis antioxidantes superiores, com presença de compostos fenólicos e flavonoides. Em relação a toxicidade in vitro, houve alterações nas concentrações mais altas, principalmente nos EU e ST. No ensaio de toxicidade espermática observou-se redução na viabilidade celular e motilidade espermática, reação no acrossoma, aumento de fluidez da membrana, diminuição do potencial de membrana mitocondrial, sendo observadas alterações a partir da concentração 1,5 mg.mL-1 para ST, ao contrário de PH, onde só se observam alterações na motilidade a partir de 6,2 mg.mL-1. Em concentrações ≤0,08 mg.mL-1 (ST, EU e PH) não foram observadas reações de hemaglutinação e hemólise, sendo PH o menos tóxico. Na avaliação in vivo, nenhum destes extratos demonstrou efeitos tóxicos nos embriões (0,94-7,5 mg.mL-1). Os extratos de ST, EU e PH, apresentam-se promissores, com possibilidade de isolamento de substâncias antimicrobianas e antioxidantes.

hidroalcóolico;antibacteriana;antifúngica;fitoquímica;citotoxicidade
Medicinal plants have been used since remote times, and are currently the target of the research to obtain new bioactive compounds, to combat, mainly, resistant pathogens. In this reality, there is concern about the use of plants without chemical and toxicological evaluation. The objective of this study was to evaluate the susceptibility of the clinical isolates resistant to conventional drugs against hydroalcoholic extracts of Schinus terebinthifolius (ST), Eugenia uniflora (EU), Polygonum hydropiperoides (PH), Baccharis trimera (BT), Equisetum hyemale (EH) and Solidago chilensis (SC), and to determine the chemical composition, antioxidant activity and in vitro and in vivo toxicity of the extracts. The broth microdilution test (CLSI, M07-09, M38-A2 and M27-A3) was used to evaluate the in vitro susceptibility of bacteria (n = 58) and fungi (n = 30). The levels of antioxidant activity were identified by the DPPH and ATBS tests, and the chemical compounds identified by liquid and gas chromatography. In vitro toxicity determination of extracts was evaluated in Vero cells (MTT test), sperm cells (motility parameters = CASA, and structure = flow cytometry), and in canine erythrocytes (haemagglutination and haemolytic capacity). In vivo toxicity was evaluated in embryonated quail eggs. The extracts of ST, PH and US presented fungiostatic and fungicidal action on Sporothrix brasiliensis, Malassezia pachydermatis and dermatophytes (0,19-100 mg.mL-1), bacteriostatic and bactericidal on Gram-positive and Gram-negative (0.03- 7.5 mg.mL-1), in addition to superior antioxidant levels, with presence of phenolic compounds and flavonoids. In relation to in vitro toxicity, there were changes in the highest concentrations, mainly in the US and ST. In the sperm toxicity assay, a reduction in cell viability and sperm motility was observed, acrosome reaction, increased membrane fluidity, decreased mitochondrial membrane potential, and changes from 1.5 mg.mL-1 to ST, unlike PH, where there are only changes in motility from 6.2 mg.mL-1. At concentrations ≤0.08 mg.mL-1 (ST, EU and PH) no haemagglutination and haemolysis reactions were observed, PH being the least toxic. In the in vivo evaluation, none of these extracts showed toxic effects on the embryos (0.94-7.5 mg.mL-1). The extracts of ST, EU and PH, are promising, with the possibility of isolation of antimicrobial substances and antioxidants.
hydroalcoholic;antibacterial;antifungal;phytochemistry;cytotoxicity
1
150
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

SANIDADE ANIMAL
CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS E GRANDES ANIMAIS
Determinação da atividade antimicrobiana, antineoplásica e toxicidade de extratos vegetais

Banca Examinadora

MARLETE BRUM CLEFF
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
ROGERIO ANTONIO FREITAG Participante Externo
PATRICIA DA SILVA NASCENTE Participante Externo
CARINE DAHL CORCINI Docente - PERMANENTE

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não