Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
Ciência e Saúde Animal (24009016011P0)
EFEITOS SISTÊMICOS, NEUROLÓGICOS E ANALGÉSICOS DA ADMINISTRAÇÃO DE MELOXICAM POR VIA EPIDURAL
GRACINEIDE DA COSTA FELIPE
DISSERTAÇÃO
01/03/2016

Com o intuito de avaliar as alterações clínicas e neurológicas e o efeito analgésico do meloxicam quando administrado por via epidural, essa dissertação foi dividida em dois capítulos: o primeiro, uma avaliação dos efeitos sistêmicos e neurotóxicos da administração de meloxicam por via epidural em coelhos e o segundo, um estudo sobre a analgesia preemptiva com meloxicam, administrado por via intramuscular ou epidural, em gatas submetidas à ovário-histerectomia (OH). No 1º artigo foram utilizados 12 coelhos distribuídos em dois grupos, onde receberam solução fisiológica (0,3mL/kg) (Grupo controle) ou meloxicam (0,2mg/kg) (Grupo Meloxicam), ambos por via epidural. Avaliaram-se a frequência cardíaca (FC), frequência respiratória (f), temperatura corporal (TC) e temperatura superficial da região lombossacra e as alterações neurológicas durante os 10 primeiros dias do experimento. Posteriormente foram realizadas as eutanásias para avaliação histopatológica da medula espinhal, 15 e 30 dias após a administração epidural dos fármacos. As alterações observadas em todas as avaliações não foram sugestivas de efeito adverso do meloxicam. A administração epidural lombossacra de meloxicam, na dose de 0,2 mg/kg e num volume de 0,3 mL/kg, não causa efeitos sistêmicos e neurotóxicos significativos, em coelhos. No 2º estudo foram utilizadas 16 gatas distribuídas em dois grupos, as quais receberam meloxicam (0,2mg/kg) por via intramuscular (IM) e solução de NaCl 0,9% (0,1mL/kg) por via epidural (Grupo intramuscular - GIM) ou solução de NaCl 0,9% (0,1mL/kg), por via IM, e meloxicam (0,2mg/kg) por via epidural (Grupo epidural - GEP). Foram mensuradas a FC, f, TC e pressão arterial sistólica, além da glicemia e da dosagem sérica do cortisol. A dor pós-operatória foi avaliada através de escala multiparamétrica, com atribuição de escores para cada variável avaliada. As variações observadas nos parâmetros clínicos aparentemente não decorreram do emprego do meloxicam. O cortisol sérico esteve elevado, em ambos os grupos, inclusive na avaliação inicial, porém entre grupos não houve diferença. A glicose não variou entre grupos, mas ocorreu hiperglicemia pós-operatória em ambos os grupos, significativa a partir de duas e de 12 horas após a administração do meloxicam, respectivamente no GIM e no GEP. Os escores de dor no GIM foram estatisticamente maiores que no GEP, 12 horas após a administração do meloxicam. A analgesia de resgate foi requerida em dois animais do GIM e em um do GEP. A administração do meloxicam pela via epidural promove melhor analgesia do que pela via intramuscular, embora não totalmente satisfatória, em gatas submetidas à OH. Conclui-se que o meloxicam pode ser administrado por via epidural com segurança, porém sua analgesia é insuficiente para procedimentos cirúrgicos que promovam dor moderada.

Anti-inflamatório;efeitos adversos;analgesia;felinos;coelhos
In order to evaluate the clinical and neurological changes and the analgesic effect of epidurally administrated meloxicam, this dissertation was divided into two chapters: the first, an assessment of systemic and neurotoxic effects of meloxicam epidural administration in rabbits and the second was a study of preemptive analgesia with meloxicam, administrated by epidural or intramuscular route, in cats undergoing ovariohysterectomy (OH). In the first paper, were used 12 rabbits distributed into two groups, which received saline (0.3 mL/kg) (Control Group) or meloxicam (0.2 mg/kg) (Meloxicam Group), both by epidural route. Were evaluated the heart rate (HR), respiratory rate (RR), body temperature (BT) and surface temperature at lumbosacral region and neurological alterations during the first 10 days of the experiment. Euthanasia was performed in three animals in each group on the 15th and 30th day after M0, for evaluation of possible spinal injuries. The changes observed in all evaluations were not suggestive of adverse effect of meloxicam. The lumbosacral epidural administration of meloxicam in a dose of 0.2 mg/kg and a volume of 0.3 mL/kg, does not cause significant systemic and neurotoxic effects in rabbits. In the secondstudy were used 16 cats distributed into two groups, which received meloxicam (0.2 mg/kg) intramuscularly (IM) and saline (0.1 mL/kg) by epidural route (Intramuscular Group - IMG) or saline (0.1 mL/kg) intramuscularly, and meloxicam (0.2 mg/kg) by epidural route (Epidural Group - EPG). Were measured HR, RR, BT and systolic blood pressure, as well as serum levels of cortisol and blood glucose. Postoperative pain was evaluated by multiparametric scale, assigning scores for each measured variable. The observed changes in clinical parameters apparently were not induced by meloxicam. Serum cortisol was high in both groups, including the initial assessment, but there was no difference between groups. Blood glucose was not different between groups, but significantly increased from two and 12 hours after meloxicam administration, respectively the IMG and the EPG. Pain scores in the IMG were statistically higher than the EPG12 hours after meloxicam administration. Rescue analgesia was required in two animals of IMG and one of EPG. Meloxicam epidural administration promotes better analgesia than intramuscular administration, but not entirely satisfactory, in cats subjected to OH. It follows that meloxicam can be administered by epidural route safely, but its analgesia is insufficient to surgical procedures that causes moderate pain.
Anti-inflammatory;adverse effects;analgesia;cats;rabbits
1
69
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

MEDICINA VETERINÁRIA DE CÃES E GATOS
CLÍNICA E CIRURGIA DE CÃES E GATOS
2014 - Analgesia preemptiva com meloxicam por via intramuscular ou epidural em gatas submetidas à ovariosalpingohisterectomia eletiva

Banca Examinadora

PEDRO ISIDRO DA NOBREGA NETO
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
ANA LUCELIA DE ARAUJO Participante Externo
ADILIO SANTOS DE AZEVEDO Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - Bolsa de Mestrado no País GM 24

Vínculo

Colaborador
Outros
Profissional Autônomo
Sim