Governo Federal

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE
Física (42004012019P0)
Morfometria de Galaxias: Assimetria
JULIANA COUGO PEREIRA
DISSERTAÇÃO
25/02/2014

Este trabalho apresenta um estudo da simetria morfologica estrutural de galaxias. Utilizamos o catalago de galaxias Frei (1996) e EFIGI, SDSS (Baillard et al. 2011) para determinar a utilidade da assimetria como um par^ametro morfologico e utiliza-la como um classi cador que separe as galaxias em seus diferentes grupos morfologicos. Inicialmente estudamos a assimetria A1 como de nida por Abraham (1996) quando pudemos identi car algumas desvantagens desta medida. A seguir propusemos medir a assimetria como uma func~ao contnua do coe ciente de correlac~ao entre a imagem original e a imagem rodada, chamada de A2. A principal vantagem de A2 e que a correlac~ao entre duas regi~oes que cont^em principalmente o rudo e zero, n~ao contribuindo para o valor nal de A2. Na pratica notamos que A2 n~ao e sensvel o su ciente para discriminar pequenas regi~oes de assimetria incorporados em um corpo simetrico, sendo A2 proximo de zero para a maioria das galaxias. Assim, testamos a assimetria (A3) atraves do uso do coe ciente de correlac~ao de Spearman, que resulta numa melhor distinc~ao dos grupos morfol ogicos das galaxias estudadas. Ainda neste trabalho, atraves de analises feitas com a base de dados do catalago EFIGI, foi adaptada uma relac~ao da assimetria com os outros ndices e proposto que esta correlac~ao tambem podera servir como um classi cador de galaxias.

galáxias, morfometria, assimetria
This work presents a study of the morphological symmetry of galaxies. We use the catalog of galaxies from Frei (1996) and EFIGI, SDSS (Baillard et al. 2011) to determine the usefulness of asymmetry as a morphological parameter and use it as a classi er to separate the galaxy in their dierent morphological groups. Initially we studied the asymmetry A1 as de ned by Abraham (1996). Then we propose to measure the asymmetry as a continuous function of correlation coecient between the original image and its rotated version, called A2 and A3. The main advantage of A2;3 is the correlation between two regions containing mainly noise is zero, not contributing to the nal value of A2;3. In practice we see that A2 is not sensitive enough to discriminate small regions embedded in a symmetrical body asymmetry, A2 being close to zero for most galaxies. Thus, we tested the asymmetry A3 that uses the Spearman correlation coecient, resulting in a better discrimination of galaxy morphological groups. Also in this work, we studied the correlation between asymmetry and other morphological indices for the EFIGI catalog.
galaxy, morphometry, asymmetry
1
81
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE

Contexto

FÍSICA
FÍSICA DE PARTÍCULAS E CAMPOS
-

Banca Examinadora

FABRICIO FERRARI
Sim
Nome Categoria
JOAO RODRIGO SOUZA LEAO Participante Externo
MARINA TREVISAN Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 18

Vínculo

-
-
-
Não