Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
LETRAS (40002012012P8)
NA COZINHA, O DURO PÃO; NO QUARTO, A DURA CAMA: UM PERCURSO PELOS ESPAÇOS NA OBRA DE CAROLINA MARIA DE JESUS
IVANA BOCATE FRASSON
DISSERTAÇÃO
08/09/2016

Este trabalho tem por objetivo analisar a obra de Carolina Maria de Jesus, sob o enfoque da construção literária do espaço. A metodologia adotada constou de pesquisa bibliográfica, por meio de um levantamento preliminar dos trabalhos sobre as obras de modo geral, com o objetivo de conhecer a fortuna crítica da autora e sua atual configuração no cenário dos estudos no Brasil e/ou fora do país. Em seguida, foi realizada a análise literária de quatro obras da autora: Diário de Bitita, “Favela” – texto integrante da obra Onde estaes felicidade?, Quarto de despejo: diário de uma favelada e Casa de alvenaria: diário de uma ex-favelada. O escopo teórico-crítico deste trabalho é composto por diferentes autores. Para subsidiar a discussão sobre espaço, buscamos os aportes teóricos trazidos por Bachelard, Collot e Antônio Dimas, incluindo também informações sobre a memória em Maurice Halbwachs, pertinente com a temática da autobiografia e diário, discutida sob a perspectiva de Philippe Lejeune. Focamos nossa análise sobre identidade e deslocamento nos apontamentos de Stuart Hall. Especificamente sobre a escritura de Carolina, foram relevantes os estudos de Fernandez, Miranda e Moreira, além da obra Cinderela Negra: a saga de Carolina Maria de Jesus, de Levine e Meihy. Partimos da hipótese de que, embora não tenha sido o único fator, o espaço mostrou-se determinante em sua trajetória, posto que foi um dos elementos que impulsionaram a transformação de Carolina em escritora, interferindo para que por meio da palavra escrita, pudesse sair daquele local circundado pela fome e miséria. Os resultados de nossa análise permitiram reforçar esta hipótese, pois identificamos que os espaços, pobres e marginalizados, repercutiram de forma drástica na construção literária da autora. Observamos que a construção da identidade de Carolina, embora se mostrasse fragmentada em face de seu sentimento de não-pertencimento aos lugares em que transitou, se completa por meio de sua escrita marginal e distante do cânone literário, mas na qual se refugia em meio às dificuldades de seu cotidiano.

Carolina Maria de Jesus;Diário;Entre-lugar;Espaço
This work aims at analyzing the books by Carolina Maria de Jesus from the perspective of the literary construction of space. The methodology consisted in bibliographic research by means of a preliminary survey on her works in general in order to know the author’s critical richness and its current configuration in the scenario of studies in Brazil and/or abroad. Then followed a literary review of fours works by the author: Bitita’s Diary, “Favela” – a text that is an integral part of the work Onde estaes felicidade?, Child of the Dark: diary of a slum dweller (1960) and Casa de alvenaria: diary of a former slum dweller. The theoretical-critical scope of this work is made up by distinct authors. To support the discussion about space, we were supported by the theoretical contributions made by Bachelard, Collot and Antônio Dimas, also including information on memoirs present in Maurice Halbwachs’s works, relevant to the autobiography and diary themes, discussed from Philippe Lejeune’s point of view. We focused our analysis on identity and displacement, present in Stuart Hall’s notes. The studies of Fernandez, Miranda and Moreira on Carolina’s writings were specifically relevant, as well as the work Cinderela Negra: a saga de Carolina Maria de Jesus, by Levine and Meihy. We started off from the hypothesis that, although not the only factor, space proved to be decisive in her career, since it was one of the constituents that drove the transformation of Carolina into a writer, interfering in such a way that, through the written word, she could leave that place surrounded by hunger and misery. The results of our analysis helped strengthen that hypothesis, since we found that the poor and marginalized spaces reverberated dramatically in the author’s literary construction. We noted that the construction of Carolina’s identity, although seemingly fragmented before her sense of nonbelongingness with regard to the places she passed across, is completed through her marginal writing, oblivious to the literary canon, but which takes refuge in the midst of the struggles of her daily life.
Carolina Maria de Jesus;Diary;Non-belongingness;Space
1
157
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

LITERATURA BRASILEIRA E OUTRAS LITERATURAS VERNÁCULAS
CONSTRUÇÕES E PROCESSOS IDENTITÁRIOS
LITERATURA AFRO-BRASILEIRA E SUA DIVULGAÇÃO EM REDE

Banca Examinadora

MARIA CAROLINA DE GODOY
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
ALBA KRISHNA TOPAN FELDMAN Participante Externo
SONIA APARECIDA VIDO PASCOLATI Docente - PERMANENTE

Vínculo

-
-
-
Não