Governo Federal

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
PEDIATRIA E CIÊNCIAS APLICADAS À PEDIATRIA (33009015019P7)
IMPACTO DA MALÁRIA SOBRE O ESTADO NUTRICIONAL E MICRONUTRIENTES (VITAMINA A, BETACAROTENO, ZINCO E FERRO) DE UMA COORTE DE CRIANÇAS NO ESTADO DO AMAZONAS
SILVANA GOMES BENZECRY
TESE
15/04/2016

Introdução. Existe crescente número de evidências que relacionam as deficiências de micronutrientes e a incidência da malária, decorrente principalmente do Plasmodium falciparum. O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto das deficiências de micronutrientes sobre a incidência da malária vivax e vice-versa, no estado brasileiro do Amazonas. Método/Principais resultados: Foram avaliadas crianças <10 anos de idade que vivem em comunidades rurais do Estado do Amazonas, Brasil, no período de maio de 2010 a maio de 2011. As crianças foram acompanhadas por 12 meses e realizaram gota espessa por meio de detecção passiva e febre a qualquer momento durante o estudo. Depois do seguimento de 12 meses, todas as crianças foram avaliadas novamente, a fim de detectar mudanças nos parâmetros das variáveis sociodemográficas, antropométricas e laboratoriais, incluindo a dosagem da vitamina A, beta-caroteno, zinco e ferro sérico associadas com a infecção da malária. O modelo de riscos proporcionais de Cox foi utilizado para avaliar se as deficiências de micronutrientes tiveram impacto sobre o tempo no primeiro episódio de malária P. vivax . Foram incluídas 95 crianças com média de idade de 4,8 anos (intervalo interquartil [IQR]: 2,3-6,6), em sua maioria do sexo masculino (60%) e com o índice de analfabetismo materno alta (72,6%). A deficiência de vitamina A foi encontradas em 36% das crianças, de beta caroteno em 63%, de zinco em 61% e deficiência de ferro em 51%. A maioria das crianças (80%) tiveram pelo menos um parasita intestinal. Durante o acompanhamento, 16 casos de malária vivax foram diagnosticados entre os 13 indivíduos. Não houve associação entre as deficiências dos micronutrientes e o aumento na incidência de malária. Deficiência de vitamina A [hazard ratio (HR): 1,51; p= 0,45]; beta-caroteno [RH: 0,47; p= 0,19]; zinco [HR: 1.41; p= 0,57] e ferro [HR: 2.31; p= 0,16]). Após a reavaliação, as crianças com pelo menos um episódio de malária não apresentaram alterações significativas nos níveis dos micronutrientes. Conclusões. Os níveis dos micronutrientes não foram associados com uma maior incidência de malária vivax, nem houve influência dos níveis de micronutrientes nos episódios de malária. São necessários para validar esses resultados estudos futuros visando avaliar os níveis de micronutrientes em um número maior de pacientes nas áreas endêmicas de P. vivax. Palavras-Chave: Malária. Plasmodium vivax. Estado nutricional. Micronutrientes. Estudos de Cohort. Amazonas.

malária;Plasmodium vivax;estado nutricional;micronutrientes;estudos de cohort;Amazonas
Background. There is a growing body of evidence linking micronutrient deficiencies and malaria incidence arising mostly from P. falciparum endemic areas. We assessed the impact of micronutrient deficiencies on malaria vivax incidence and vice versa in the Brazilian state of Amazonas. Methodology/Principal Findings. We evaluated children <10 years old living in rural communities in the state of Amazonas, Brazil, from May 2010 to May 2011. All children were assessed for sociodemographic, anthropometric and laboratory parameters, including vitamin A, beta-carotene, zinc and iron serum levels at the beginning of the study (May 2010) and one year later (May 2011). Children were followed in between using passive surveillance for detection of symptomatic malaria. Those living in the study area at the completion of the observation period were reassessed for micronutrient levels. Univariate Cox-proportional Hazards models were used to assess whether micronutrient deficiencies had an impact on time to first P. vivax malaria episode. We included 95 children median age 4.8 years (interquartile range [IQR]: 2.3–6.6), mostly males (60.0%) and with high maternal illiteracy (72.6%). Vitamin A deficiencies were found in 36% of children, beta-carotene deficiency in 63%, zinc deficiency in 61% and iron deficiency in 51%. Most children (80%) had at least one intestinal parasite. During follow-up, 16 cases of vivax malaria were diagnosed amongst 13 individuals. Micronutrient deficiencies were not associated with increased malaria incidence: vitamin A deficiency [Hazard ratio (HR): 1.51; P-value: 0.45]; beta-carotene [HR: 0.47; P-value: 0.19]; zinc [HR: 1.41; P-value: 0.57] and iron [HR: 2.31; P-value: 0.16]). Upon reevaluation, children with al least one episode of malaria did not present significant changes in micronutrient levels. Conclusion. Micronutrient serum levels were not associated with a higher malaria incidence nor the malaria episode influenced micronutrient levels. Future studies targeting larger populations to assess micronutrients levels in P. vivax endemic areas are warranted in order to validate these results. Keywords: Malaria. Plasmodium vivax. Nutritional status. Micronutrients. Cohort studies. Amazon.
malaria;Plasmodium vivax;nutritional status;micronutrients;cohort studies;Amazon
01
179
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

Contexto

PEDIATRIA E CIÊNCIAS APLICADAS À PEDIATRIA
FISIOLOGIA E EPIDEMIOLOGIA DE DISTÚRBIOS NUTRICIONAIS, HORMONAIS E DO METABOLISMO
ESTADO NUTRICIONAL EM MACRO E MICRONUTRIENTES

Banca Examinadora

HEITOR PONS LEITE
Sim
Nome Categoria
FERNANDA COBAYASHI Participante Externo
ROSELI OSELKA SACCARDO SARNI Docente
ANDRE MACHADO DE SIQUEIRA Participante Externo
VICENTE JOSE SALLES DE ABREU Participante Externo

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim