Brasil

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia (15001016074P6)
O MST NOS DISCURSOS DA MÍDIA IMPRESSA MARABAENSE Um olhar a partir dos jornais Correio do Tocantins e opinião, no ano 1996
LAECIO ROCHA DE SENA
DISSERTAÇÃO
10/04/2014

O presente trabalho tem como objetivo analisar o processo de representação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra/MST nos discursos da imprensa escrita marabaense, no ano de 1996, mais especificamente nos jornais Correio do Tocantins e Opinião. Assim, nosso interesse se volta à compreensão de como o discurso da mídia se organiza em sua materialidade e coloca em funcionamento suas posições ideológicas, em diálogo com outros setores da sociedade que também elaboram seus discursos em embate com o MST. Para o alcance do objetivo apresentado, identificamos diferentes estratégias discursivas na construção de uma heterogeneidade de sentidos acerca do MST. Como referencial teórico e metodológico que serviu de base para a pesquisa, no campo da Análise de Discurso francesa (AD), recorremos a Pêcheux (2009; 2010), Foucault (2004; 2007) e Maingueneau (1997; 2001), lançando mão ainda de fundamentos teóricos situados na perspectiva dialógica de Bakhtin (1997; 2006) e Authier-Revuz (1990; 2011). As análises indiciam que os discursos produzidos pelos jornais acerca do MST se constituem numa relação polêmica com outras formações discursivas, como por exemplo, a do MST e dos fazendeiros; esses discursos, muito embora busquem legitimar-se enquanto imparciais, se constituem a partir de uma instauração de regimes de memória, e nesse processo o jornal enquanto esfera social produz sentidos a partir de uma determinada formação ideológica que se manifesta a partir de representações negativas acerca das ações desse movimento social.

MST. Territorialização. Representação na Mídia. Discurso.
This study aims to analyze the process of representation of the Landless Rural Workers Movement / MST in speeches of the written press of Marabá, in 1996, more specifically in the newspapers of Correio do Tocantins and Opinião. To achieve this goal, we'll scan the different discursive strategies in building a diversity of meanings about the MST. Thus, our interest turns to understanding how media discourse is organized in its materiality and puts into operation its ideological positions, in dialogue with other sectors of society that also prepare their speeches in combat with MST. As a theoretical and methodological framework for this study, we'll resort of Discourse Analysis French (DA) from Pecheux (2009; 2010; 2012), Foucault (1999; 2004; 2007) and Maingueneau ( 1997; 2001) , besides the perspective dialogic discourse in Bakhtin (1997; 2006) and Authier - Revuz (2011). The analysis indicates that the discourses produced by newspapers (in their discursive formation) on the MST is constituted in a controversial relationship with other discursive formations, such as the MST and farmers; these discourses, although seek to legitimize themselves as unbiased, they are constituted from an memory regimes introduction and in the process, the newspaper as a subjectproduces senses from a certain ideological formation, resulting in a negative about the actions of this social movement.
MST. Territorialization. Representation in the Media. Discourse
1
148
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Contexto

DINÂMICAS TERRITORIAIS E SOCIEDADE NA AMAZÔNIA
PRODUÇÃO DISCURSIVA E DINÂMICAS TERRITORIAIS E SOCIEDADE NA AMAZÔNIA
OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO DO CAMPO E EDUCAÇÃO SUPERIOR: UMA ANÁLISE DE PRÁTICAS CONTRA-HEGEMÔNICAS NA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO E DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS NAS REGIÕES CENTRO-OESTE, NORDESTE E NORTE.

Banca Examinadora

NILSA BRITO RIBEIRO
Sim
Nome Categoria
HILDETE PEREIRA DOS ANJOS Docente
DERNIVAL VENANCIO RAMOS JUNIOR Participante Externo

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim