Brasil

Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
Ciências e Biotecnologia (31003010079P0)
INTERAÇÃO DE Staphylococcus aureus E Mycobacterium leprae COM MACRÓFAGOS, CÉLULAS DENDRÍTICAS E QUERATINÓCITOS HUMANOS
LUIZ CEZAR DIAS CORREA
DISSERTAÇÃO
28/02/2013

Biopatógenos como Staphylococcus aureus e Mycobacterium leprae são agentes etiológicos de doenças infecciosas de pele, incluindo desde lesões superficiais até as lesões mais profundas que podem se disseminar e acarretar choque séptico e diversas formas clínicas de hanseníase, respectivamente. A literatura descreve o S. aureus como agente causador de ruptura da barreira epidérmica e causador de disseminação de infecção enquanto a hanseníase, uma doença granulomatosa crônica, é causada pelo M. leprae, uma bactéria intracelular que afeta a pele e nervos periféricos. Apesar dos avanços na terapia, a hanseníase ainda tem uma alta taxa endêmica em alguns países, como o Brasil, Índia e África. A hanseníase é uma doença antiga e deformante, que precisa de vigilância constante, especialmente para a detecção e tratamento de casos não diagnosticados. Esse trabalho compreende estudos de interações celulares, visando analisar a fagocitose de biopatógenos, expressão de moléculas de superfície como DC-SIGN e B7-1, bem como a expressão intracelular do peptídeo antimicrobiano catelicidina e secreção de TNF-α. Portanto, o presente trabalho tem como objetivos estudar a interação de: (1) S. aureus com macrófagos e células dendríticas, ambos derivados de monócitos isolados de sangue periférico humano, e (2) M. leprae com queratinócitos humanos. Após análise dos ensaios experimentais realizados utilizando Microscopia Óptica, Citometria de Fluxo e ELISA, verificamos que, em relação ao S. aureus, este foi fagocitado tanto por macrófagos como por células dendríticas humanas; com aumento de expressão de CD14 e redução da expressão de B7-1 em ambas as células estudadas enquanto se observou uma pequena expressão de DC-SIGN em células dendríticas. Em relação ao M. leprae, observou-se que este foi capaz de infectar queratinócitos humanos, bem como reduzir a expressão de DC-SIGN e aumentar a expressão de catelicidina e, ainda, aumentar intensamente a secreção de TNF α. Os resultados referentes tanto a fagocitose de S. aureus por células dendríticas quanto a fagocitose de M. leprae por queratinócitos levantam questões relevantes para o desenvolvimento de novos protocolos experimentais, a fim de descobrir o papel de células dendríticas e queratinócitos na promoção de benefícios para a saúde da pele humana, tornando-a mais resistente a infecções microbianas.

S. aureus; M. leprae; Macrófagos Humanos; Células Dendríticas Humanas e Queratinócitos Humanos.
-
-
1
59
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Contexto

CIÊNCIAS E BIOTECNOLOGIA - INTERAÇÕES MOLECULARES, CELULARES E SISTÊMICAS
A IDENTIFICAÇÃO DE PROTÓTIPOS BIOATIVOS E MOLÉCULAS DE IMPORTÂNCIA EM SISTEMAS BIOLÓGICOS E BIOTECNOLÓGICOS
ESTUDO DA ATIVIDADE BIOLÓGICA DE PRODUTOS SINTÉTICOS E NATURAIS EM LEISHMANIA

Banca Examinadora

DILVANI OLIVEIRA SANTOS
Sim
Nome Categoria
MARCELO SALABERT GONZALEZ Docente
IZABEL CHRISTINA NUNES DE PALMER PAIXAO Docente
VIVIANE DE OLIVEIRA FREITAS LIONE Participante Externo
CARLOS RANGEL RODRIGUES Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - BOLSA de Iniciação Científica - PIBIC 24

Vínculo

-
-
-
Não