Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
MEDICINA (UROLOGIA) (33009015021P1)
Avaliação da resposta ao bacilo de Calmette-Guérin no câncer de bexiga utilizando a hibridização in situ com fluorescência (FISH).
FABRIZIO MAGALDI MESSETTI
TESE
28/06/2016

Objetivo: Na literatura médica não existem métodos confiáveis para a previsão da resposta à utilização da BCG intravesical após a ressecção dos tumores vesicais de alto risco não músculo invasivo. Neste estudo avaliamos a capacidade do teste FISH prever a falha terapêutica do BCG. Pacientes e Métodos: cem pacientes com tumores vesicais de alto risco, com indicação de terapia intravesical com BCG, foram prospectivamente incluídos neste estudo. O teste FISH foi realizado previamente ao início da terapia, após 6 semanas, 3 e 6 meses. A regressão logística foi usada para se desenvolver o modelo de recorrência e progressão. A regressão univariável proporcional de risco de Cox foi usada para o modelo de associação entre o resultado do teste FISH e o tempo para recorrência. O método limite de Kaplan-Meier foi usado para estimar a média de tempo livre de recorrência. Resultados: Dos 100 pacientes que participaram do estudo, com uma média de acompanhamento de 19 meses, 39% dos pacientes apresentaram recidiva tumoral e 18% apresentaram progressão para doença músculo invasiva. Pacientes com teste FISH positivo durante o tratamento com BCG tiveram de 3 a 5 vezes maior probabilidade de apresentar recidiva comparando aos pacientes com todos FISH negativos (p<0,01). O momento em que o teste FISH se tornou positivo também apresentou diferença no resultado durante o tratamento, sendo que aqueles com o teste positivo tardio apresentaram uma tendência à recidiva maior comparando a aqueles que apresentaram teste positivo durante o estudo e negativo no final. Conclusão: A Hibridização in situ com fluorescência (FISH) pode identificar pacientes com maior risco de recidiva e progressão de doença durante o tratamento com bacillus Calmette-Guérin. Essa informação pode ser útil na orientação de pacientes quanto às alternativas terapêuticas.

Câncer de bexiga;BCG;FISH;Recidiva
Objective: To verify, in patients after transurethral resection for high-risk nonmuscle invasive bladder cancer the power of fluorescence in situ hybridization test on predicting bacillus Calmette-guérin immmunotherapy failure. Methods: This was a prospective clinical trial where 100 patients with indication of adjuvant therapy with BCG after TURB for bladder cancer. Four Fluorescence in situ hybridization tests were performed. FISH tests were performed before bacillus Calmette-Guérin, and at 6 weeks, 3 months and 6 months during bacillus Calmette-Guérin therapy with maintenance. Results A total of 100 patients participated in the study. At a median follow-up of 19 months 39% of patients had recurrent tumors and 18% experienced disease progression. Patients who had positive fluorescence in situ hybridization results during bacillus Calmette-Guérin therapy were 3 to 5 times more likely than those who had negative fluorescence in situ hybridization results to experience recurrent tumors (p <0.01). The timing of positive fluorescence in situ hybridization results also affected outcomes. Conclusions: Fluorescence in situ hybridization results can identify patients at risk for tumor recurrence and progression during bacillus Calmette-Guérin immunotherapy. This information may be used to counsel patients about alternative treatment strategies.
Bladder cancer;BCG;FISH;Relapse
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

ONCOGENESE E MARCADORES TUMORAIS
INOVAÇÕES TÉCNICAS E TERAPÊUTICAS E ASPECTOS PROGNÓSTICOS EM CIRURGIA UROLÓGICA ONCOLÓGICA.
-

Banca Examinadora

FERNANDO GONCALVES DE ALMEIDA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
PIERRE DAMIAO GONCALVES Participante Externo
ADRIANO JOAO NESRALLAH Participante Externo
DAHER CEZAR CHADE Participante Externo
MILTON SKAFF JUNIOR Participante Externo

Vínculo

-
-
-
Sim