Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO HUMANA (FONOAUDIOLOGIA) (33009015026P3)
ESCALA DE AVALIAÇÃO CLÍNICA DA DEGLUTIÇÃO NA PARALISIA CEREBRAL
CAROLINA CASTELLI SILVERIO
TESE
16/02/2016

Objetivo: desenvolver e validar uma escala de avaliação clínica da deglutição de crianças com paralisia cerebral (PC). Métodos: a escala proposta foi desenvolvida baseando-se no protocolo de avaliação utilizado por um grupo especializado no atendimento de crianças com PC e disfagia. Após sua elaboração, a escala teve relevância e clareza dos seus itens analisadas por dez juízes especialistas. Na verificação da reprodutibilidade, inicialmente a avaliação clínica da deglutição foi realizada por um fonoaudiólogo especialista (Avaliador A), em 70 crianças com PC, com diferentes níveis de comprometimento motor, com média de idade de 4 anos e oito meses, por meio da observação da oferta de alimentos nas consistências pastosa e líquida. A deglutição foi classificada em normal, funcional, disfagia leve, moderada ou grave. No mesmo momento, a escala proposta foi aplicada independentemente por dois outros fonoaudiólogos especialistas (Avaliadores B e C). Após duas semanas, todo o processo de avaliação foi novamente realizado. Resultados: houve diferença significante entre a classificação da deglutição e o nível de comprometimento motor, com piora da disfagia de acordo com a piora do comprometimento motor. A escala apresentou valores de consistência interna e de reprodutibilidade eficientes. Foi possível estabelecer valores de notas de corte significantes para as classificações da deglutição estabelecidas pelo Avaliador A, com exceção das classificações deglutição normal e funcional, que apresentaram os mesmos valores. A sensibilidade apresentou bom resultado para a classificação deglutição normal/funcional, tendência a bom resultado para as classificações disfagia moderada e grave, e resultado ruim para disfagia leve. Sem estabelecer notas de corte, observou-se diferença significante entre as médias de escores das classificações da deglutição. Conclusões: a escala proposta apresentou valores de consistência interna e de reprodutibilidade elevados, com satisfatório grau de reprodutibilidade; demonstrou ser um instrumento eficiente em diferenciar crianças com PC com ou sem a disfagia; apresentou tendência em estabelecer, de forma eficiente, a classificação de disfagias moderada e grave, porém de forma menos eficiente na disfagia leve; mostrou-se um possível indicador de evolução eficiente para a atuação na disfagia na PC.

1- Paralisia Cerebral 2- Transtornos da Deglutição 3- Avaliação 4- Escalas
Purpose: develop and validate a clinical assessment scale of swallowing in children with cerebral palsy (CP). Methods: the proposed scale was developed based on the assessment scale used by a specialized group in the care of children with CP and dysphagia. After its elaboration the scale had the relevancy and clearness of its items examined for ten expert judges. To verify the reproducibility, the clinical assessment of swallowing was first performed by a expert speech pathologist (Rate A), in 70 children with CP, with varying motor impairment levels, mean age of 4 years and 8 months, through the observation offer of food in paste and liquid consistencies. Swallowing was classified as normal, functional, mild dysphagia, moderate or severe. At the same time, the proposed scale was applied independently by two other expert speech pathologists (Raters B and C). After two weeks, the whole evaluation was performed again. Results: there was a significant difference between swallowing classification and motor impairment level, with worsening dysphagia as there was a worse motor impairment. The scale had consistency and reproducibility efficient. It was possible to make significant cut scores for swallowing classifications set by Rate A, with the exception of normal and functional swallowing classifications that showed the same values. The sensitivity showed great results for the classification normal/functional swallowing, tend to good results for the classifications moderate and severe dysphagia, and poor results for mild dysphagia. Without checking cut scores, it was observed significant difference between mean scores of the classifications of swallowing. Conclusion: the proposed scale showed great rates of consistency and reproducibility, having satisfactory reproducibility; proved to be an efficient tool to differentiate children with CP who presented or not, the dysphagia; tended to establish efficiently the diagnosis of moderate and severe dysphagia, but in a less efficient manner in the establishment of mild dysphagia; proved to be a possible and efficient indicator evolution for the clinical practice of dysphagia in the CP.
-
01
83
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

FONOAUDIOLOGIA
DIAGNÓSTICO, PREVENÇÃO E TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS DA DEGLUTIÇÃO E SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO
DIAGNÓSTICO, PREVENÇÃO E TRATAMENTO DOS TRANSTORNOS FUNCIONAIS DA DEGLUTIÇÃO

Banca Examinadora

MARIA INES REBELO GONCALVES
Sim
Nome Categoria
NAIR KATIA NEMR Participante Externo
SILVANA BOMMARITO MONTEIRO Docente
NOEMI GRIGOLETTO DE BIASE Participante Externo

Vínculo

CLT
Empresa Privada
Empresas
Não