Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO ( BOTUCATU )
ZOOTECNIA (33004064048P2)
AMINAS BIOGÊNICAS E POLIFENÓIS NO LEITE E QUEIJO DE OVELHAS DA RAÇA BERGAMÁCIA SUPLEMENTADAS COM ÓLEO OU FARELO DE LINHAÇA (Linum usitassimum L.)
ALINE APARECIDA DE OLIVEIRA
TESE
14/03/2016

Aminas biogênicas e polifenóis no leite de ovelhas da raça Bergamácia suplementadas com óleo ou farelo de linhaça (Linum usitatissimum L.) Resumo: O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito da adição de óleo de linhaça (OL) ou farelo de linhaça (FL) na dieta de ovelhas da raça Bergamácia em lactação, sobre o teor de aminas biogênicas e polifenóis no leite. Foram utilizadas 70 ovelhas distribuídas aleatoriamente entre os tratamentos. As dietas experimentais foram: Controle (CT) – concentrado sem adição de suplementação lipídica; Óleo de linhaça (OL) – concentrado com adição de 3% de OL (%MS); e Farelo de linhaça (FL) – concentrado com adição de 15% de FL (%MS). Durante todo o período experimental, os animais foram mantidos confinados em baias coletivas e recebiam dieta composta por 60% de silagem de milho e 40% de concentrado referente a cada tratamento. As ovelhas foram ordenhadas uma vez ao dia, no período da manhã, e tiveram suas produções controladas diariamente. As amostras de leite para a avaliação das aminas biogênicas foram colhidas a cada 14 dias a partir do primeiro dia de ordenha e as amostras de leite para análise dos polifenóis foram colhidas a cada 14 dias a partir do quinto dia pós-parto. O experimento foi conduzido no delineamento inteiramente casualizado e os dados avaliados por análise de variância (P< 0,05). Não foi encontrada a presença de cadaverina no leite e a serotonina foi a amina predominante no leite de ovelhas em todos os tratamentos. O tratamento controle apresentou maiores teores de espermina (0,300 mg/100g) entretanto, o tratamento com óleo de linhaça apresentou menores teores de histamina (0,0049 mg/100g). A espermidina foi a amina biogênica que mais se correlacionou com maior número de aminas. Não houve diferença entre os tratamentos para o teor de polifenóis, porém o tratamento com óleo de linhaça mostrou-se mais eficiente. Teores de aminas biogênicas e polifenóis no queijo curado elaborado com leite de ovelhas da raça Bergamácia suplementadas com óleo ou farelo de linhaça (Linum usitatissimum L.) Resumo: O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito da adição de óleo de linhaça ou farelo de linhaça na dieta de ovelhas da raça Bergamácia em lactação, sobre o teor de aminas biogênicas e polifenóis no leite e queijo tipo minas curado. Foram utilizadas 70 ovelhas distribuídas aleatoriamente entre os tratamentos. As dietas experimentais foram: Controle – concentrado sem adição de suplementação lipídica; Óleo de linhaça – concentrado com adição de 3% de OL (%MS); e Farelo de linhaça – concentrado com adição de 15% de FL (%MS). Durante todo o período experimental, os animais foram mantidos confinados em baias coletivas e recebiam dieta composta por 60% de silagem de milho e 40% de concentrado referente a cada tratamento. As ovelhas foram ordenhadas uma vez ao dia, no período da manhã, e tiveram suas produções controladas diariamente. Para a fabricação dos queijos curados foram utilizados 90 litros de leite pasteurizado de cada tratamento e os queijos foram maturados por 20 dias. O experimento foi conduzido no delineamento inteiramente casualizado. As aminas biogênicas predominantes no período de maturação de 20 dias foram a cadaverina, putrescina e serotonina, sendo a histamina a amina com menor representatividade nos três tratamentos. Observou-se menores valores de putrescina, tiramina e histamina no tratamento com óleo de linhaça. Até o 10° dia de maturação os teores de polifenóis foram maiores no tratamento com óleo de linhaça. A utilização de óleo de linhaça mostrou-se eficiente favorecendo um maior tempo de vida de prateleira para os queijos curados.

Fenóis;ovinos;poliaminas;putrescina.;cadaverina;maturação, ovinos;polifenóis, putrescina.
Biogenic amines and polyphenols in milk from Bergamasca ewes supplemented with linseed oil or flaxseed meal (Linum usitatissimum L.) Abstract: The aim in this study was to determine the effects of feeding diets with linseed oil (OL) or flaxseed meal (FM) of Bergamasca ewes on to the content of biogenic amines and phenols in milk.Seventy ewes were distributed in three groups: Control (CT) - no lipids; Linseed (L) – with addition of 3% of OL (DM basis); and Flaxseed meal (F) – with addition of 15% of FM (DM basis). Throughout the experiment, the ewes remained confined in collective pens and were fed a diet containing 60% corn silage and 40% concentrate according to each treatment. They were mechanically milked once a day and had their productions controlled. The milk samples for biogenic amines analysis were collected every 14 days from the first milking day and the milk samples for phenols analysis were collected every 14 days from the 5th day postpartum until de end of the lactation. The experiment was conducted in a random customized design and the data evaluated by analysis of variance (P< 0,05). Cadaverine was not found and the serotonine was the predominant amine in the milk from ewes in all treatments. The control treatment showed high contents of espermine (0,300 mg/100g), however the OL had lower contents of histamine (0,0049 mg/100g). The espermidine was the biogenic amine more correlated with greater numbers of amines. There was no difference between treatments for polyphenols contents in milk, however the treatment with oil it was more efficient. Biogenic amines and polyphenols in ripened cheese made with milk from Bergamasca ewes supplemented with linseed oil or flaxseed meal (Linum usitatissimum L.) Abstract: The aim in this study was to determine the effects of feeding diets with linseed oil or flaxseed meal to Bergamasca ewes related to the content of biogenic amines and phenols in cheese. Seventy ewes were distributed in three groups: Control - no lipids; Linseed – with addition of 3% of L (DM basis); and Flaxseed – with addition of 15% of F (DM basis). Throughout the experiment, the ewes remained confined in collective pens and were fed a diet containing 60% corn silage and 40% concentrate according to each treatment. They were mechanically milked once a day and had their productions controlled. For the manufacture of ripened cheese, 90 liters of pasteurized milk from each treatment were used and the maturation period was of 20 days. The experiment was conducted in a random customized design. The predominant biogenic amine during twenty days of ripened were cadaverine, putrescine and serotonine and the histamine was the amine with lower content in the three treatments . Observed lower content of putrescine, tiramine and histamine for the treatment with linseed oil. By the ten day of ripened the content of polyphenols were higher for linseed oil. The use of linseed oil was efficient and improvement a longer shelf life for the cheeses.
ovine;phenols;polyamines;putrescine.cadaverine;polyphenols;putrescine;ripened.
01
68
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO ( BOTUCATU )
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

NUTRICAO E PRODUCAO ANIMAL
DESEMPENHO ANIMAL E SUSTENTABILIDADE
SISTEMA DE PRODUÇÃO DE LEITE OVINO E BOVINO EM PASTAGEM E CONFINAMENTO

Banca Examinadora

ANA SILVIA ALVES MEIRA TAVARES MOURA
DOCENTE - PERMANENTE
Sim
Nome Categoria
PAULO ROBERTO DE LIMA MEIRELLES Participante Externo
PRICILA VEIGA DOS SANTOS Participante Externo
SARITA BONAGURIO GALLO Participante Externo
GIUSEPPINA PACE PEREIRA LIMA Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 36

Vínculo

CLT
Empresa Privada
Empresas
Sim