Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
MEDICINA (RADIOLOGIA CLÍNICA) (33009015029P2)
ROTAÇÃO AXIAL DO COMPONENTE FEMORAL DA ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO REALIZADA PELA TÉCNICA DE BALANCEAMENTO DOS GAPS: MENSURAÇÃO POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
ANDRE YUI AIHARA
TESE
11/11/2015

Objetivos: 1: Definir o valor dos ângulos de rotação do componente femoral da artroplastia total de joelho (ângulos condilar posterior e de torção condilar) por meio da Tomografia Computadorizada. 2. Avaliar a inter-relação entre esses ângulos. 3. Avaliar a concordância e confiança intra e interobservador das medidas de rotação do componente femoral. 4. Avaliar a frequência de identificação do sulco do epicôndilo medial e o grau de confiança na identificação desse. Métodos: Foram analisados, de forma retrospectiva, 50 exames de Tomografia Computadorizada de pacientes submetidos a artroplastia total de joelho por meio da técnica de balanceamento dos gaps. Os ângulos condilar posterior e de torção condilar foram calculados por 2 radiologistas (A e F). Foram utilizados o coeficiente de correlação intraclasse (CCI) assim como intervalo de confiança de 95% para a avaliação da confiança intra e interobservador das medidas angulares. O teste de Bland-Altmann foi usado para a análise da diferença média e inter-relação entre os ângulos. Utilizou-se o teste Kappa para a avaliação da concordância na identificação do sulco do epicôndilo medial. Resultados: A rotação média do componente femoral avaliada por meio do ângulo condilar posterior (ACP) e ângulo de torção condilar (ATC) foi de -2,56/-2,26 e -5,54/-6,28 respectivamente para os observadores A e F. O CCI intra e interobservador foi de 0,95 e 0,9 para o ACP, e 0,85 e 0,89 para o ATC. A diferença média entre o ACP e o ATC foi de 3,3 e 4,0 graus, de acordo com as medidas dos observadores. A diferença nas medidas tanto do ACP quanto do ATC, para um mesmo paciente, foi menor ou igual a 2 graus em 90% ou mais dos casos, tanto para as medidas intra quanto interobservador. O CCI sempre foi maior para as medidas do ACP do que para o ATC. O sulco do epicôndilo medial não foi identificado em 22 a 36% dos casos (primeiro e segundo observadores), havendo apenas concordância inter-observador regular na sua identificação. Conclusões: A rotação média do componente femoral avaliada por meio do ACP e ATC foi de -2,56/-2,26 e -5,54/-6,28 respectivamente para os observadores A e F. As medidas por TC do ACP e ATC se mostraram confiáveis com precisão de 2 graus em mais de 90% dos casos. Quando possível, o uso do ACP é preferível devido aos maiores índices de confiança na sua identificação. O ACP pode ser inferido pela subtração de 3 a 4 graus do valor do ATC. O sulco do epicôndilo medial não foi identificado em 22/36% dos pacientes, havendo apenas concordância interobservador regular na sua identificação.

1. Prótese de Joelho;2. Tomografia Computadorizada por Raio X;3. Mau Alinhamento Ósseo;4. Cirurgia Ortopédica
Background: 1. Define femoral component rotation by computed tomography (CT) as follows: posterior condylar angle (PCA) and condylar twist angle (CTA). 2. Determine the reliability of these measurements by CT. 3. Evaluate the inter-relationship between PCA and CTA. 4. Evaluate the frequency and agreement for the identification of the medial epicondyle sulcus (MES). Methods: Fifty CT knee scans from patients with gap-technique total knee arthroplasty were retrospectively reviewed. The PCA and CTA were calculated by 2 radiologists. The intraclass correlation coefficient (ICC) and 95% confidence interval were used to assess inter/intraobserver reliability. The Bland-Altmann test was used to analyze the mean difference between PCA and CTA. The Kappa test was used to determine the agreement for the identification of the MES. Results: The mean femoral component rotation values, as evaluated by PCA and CTA, were −2.26°/−2.56° and −5.54°/−6.28°, respectively, for the first and second observers. The respective intra- and interobserver ICC values were 0.95 and 0.9 for PCA and 0.85 and 0.89 for CTA. The mean differences between these readings were 3.3° and 4.0°. The ICC was 0.954-0.949 for the PCA and 0.859-0.898 for the CTA. The PCA and CTA measurement differences were no greater than 2° at least 90% of the time. The MES was identified in 64–78% of patients, with a Kappa of 0.448-0.519. Conclusions: The mean femoral component rotation values, as evaluated by PCA and CTA, were −2.26°/−2.56° and −5.54°/−6.28°. PCA and CTA measurement by CT is reliable. The use of PCA is preferable because of the higher observer concordance. PCA can be inferred by subtracting 3-4° from the CTA. The MES was identified in 64–78% of patients, with only moderate interobserver agreement. Keywords: Knee Prosthesis, Tomography, X-Ray Computed, Bone Malalignment, Orthopedic Surgery, Gap-balancing approach, Femoral component rotation
1.Knee Prosthesis;2. Tomography, X-Ray Computed;3.Bone Malalignment;4.Orthopedic Surgery
0
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho não possui divulgação autorizada

Contexto

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM E TERAPIA DO SISTEMA MUSCULOESQUELÉTICO
Diagnóstico por imagem e terapia do sistema musculoesquelético

Banca Examinadora

ARTUR DA ROCHA CORREA FERNANDES
Sim
Nome Categoria
RENATO ANTONIO SERNIK Participante Externo
SONIA DE AGUIAR VILELA MITRAUD Participante Externo
MARCELLO HENRIQUE NOGUEIRA BARBOSA Participante Externo
MARIO CARNEIRO FILHO Participante Externo
ROBERTO FREIRE DA MOTA E ALBUQUERQUE Participante Externo
GUSTAVO GONCALVES ARLIANI Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
CONS NAC DE DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO E TECNOLOGICO - Bolsa pós-graduação 27

Vínculo

Colaborador
Empresa Pública ou Estatal
Ensino e Pesquisa
Sim