Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE
Geografia (40014010005P6)
ILHÉUS DO RIO CAVERNOSO: CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS EM ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP)
CRISTIANE APARECIDA DA SILVA FREITAS
DISSERTAÇÃO
06/03/2015

Nesta pesquisa, nossa atenção está voltada para os conflitos socioambientais em áreas protegidas, a saber, a Área de Preservação Permanente, APP. Ela foi criada por meio do Código Florestal instituído pela Lei 4771 de 15 de setembro de 1965. A APP tem a função de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica, a biodiversidade, o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas. No entanto, quando ela se sobrepõe aos territórios ocupados, têm-se os conflitos entre o cumprimento da lei, o direito ao território e ao ambiente. Neste contexto, apresentamos a situação vivenciada pelos Ilhéus do Rio Cavernoso, no município do Candói-Pr. Estes foram assentados na área, no ano de 1984, por meio do projeto de colonização do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Parte deles são famílias expropriadas do seu território, na Ilha Grande no Rio Paraná, por ocasião das enchentes decorrentes da construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu. Não bastasse todo o processo de expropriação e fragilidades sofridas pelos sujeitos naquela ocasião, novamente, mas sob outras bases, os mesmos estão sujeitos à perda do seu território. Buscando elucidar a complexidade da questão, optamos por nos apoiar nos conceitos de território, ambiente e injustiça ambiental, e adotamos a metodologia qualitativa na coleta de dados empíricos, integrando entrevistas semi - estruturadas, questionários, e o mapeamento do uso da terra. Como resultado, verificamos que na área de abrangência da APP há vários usos da terra, floresta nativa (45%); cultura permanente (4%); pastagem (47%) e solo exposto (4%). O fato é que, para os ilhéus, qualquer pedaço do seu território é importante para sua reprodução social e econômica, uma vez que a área da propriedade é pequena e, nem toda ela, é passível de ser apropriada.

Áreas protegidas, APP; Conflitos Socioambientais; Ilhéus do Rio Cavernoso
In this research, our attention is focused on environmental conflicts in protected areas, namely the Permanent Preservation Area, APP. It was created by the Forest Code established by Law 4771 of September 15, 1965. The APP has the function of preserving water resources, landscape, geological stability, biodiversity, gene flow of fauna and flora, soil protection and ensure the well-being of human populations. However, when it overlaps the occupied territories, there have conflicts between the rule of law, territorial rights and the environment. We present the situation experienced by islanders of Cavernoso River, in the city of Candói-Pr. These were settled in the area in 1984, through the colonization project of the National Institute of Colonization and Agrarian Reform (INCRA). Some of them are families expropriated from its territory, on the Big Island in the Paraná River, on the occasion of flooding resulting from the construction of the Itaipu Hydroelectric Plant. Not only the whole process of expropriation and weaknesses suffered by the subjects that time again, but on other grounds, they are subject to loss of its territory. To elucidate the complexity of the issue, we decided to support us in the territory of concepts, environmental and environmental injustice, and we adopted a qualitative methodology in collecting empirical data, integrating semi - structured interviews, questionnaires, and the mapping of land use. It was observed that in the catchment area of the JPA for several land uses, native forest (45%); permanent crops (4%); pasture (47%) and above ground (4%). The fact is that for the islanders, any piece of its territory is important for their social and economic reproduction, since the area of the property is small, and not all of it, is likely to be appropriate.
Protected areas, APP; Socio-environmental conflicts; Islanders of River Cavernoso.
1
134
PORTUGUES
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

DINÂMICA DA PAISAGEM E DOS ESPAÇOS RURAIS E URBANOS
DINÂMICA DOS ESPAÇOS RURAIS E URBANOS
-

Banca Examinadora

MARQUIANA DE FREITAS VILAS BOAS GOMES
Não
Nome Categoria
SERGIO FAJARDO Docente
LISANDRA PEREIRA LAMOSO Participante Externo

Vínculo

Servidor Público
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Sim