Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
CIÊNCIAS DA SAÚDE APLICADAS À REUMATOLOGIA (33009015031P7)
NÍVEIS SÉRICOS DA 25-HIDROXI-VITAMINA D, E NÃO DA VITAMINA D LIVRE OU BIODISPONÍVEL, ESTÃO ASSOCIADOS COM ATIVIDADE DE DOENÇA EM PACIENTES COM LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
MARINA ELOI
DISSERTAÇÃO
16/03/2016

Introdução: O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune com apresentação pleomórfica e manifestação em vários órgãos e tecidos. Além dos efeitos clássicos sobre a homeostase do cálcio, a vitamina D tem sido recentemente associada a uma função imunomoduladora. Objetivo: No presente estudo avaliamos a prevalência de deficiência de vitamina D em pacientes com LES e investigamos a associação entre a vitamina D e suas frações livre e biodisponível com a atividade de doença nesses indivíduos. Métodos: Pacientes com diagnóstico de LES de acordo com os critérios de classificação do ACR foram convidados a participar do estudo. A atividade de doença foi mensurada após avaliação clínica e laboratorial de acordo com o SLEDAI (Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity Index). As concentrações séricas da 25-hidroxi-vitamina D (25(OH)D) foram mensuradas por quimiluminescência e a da proteína ligadora da vitamina D (DBP), por ELISA, enquanto os demais dados foram obtidos por cálculo e das informações clínicas obtidas na consulta. Resultados: Os pacientes foram divididos de acordo com o SLEDAI, inicialmente em dois grupos: Doença Ativa (SLEDAI≥6) e Doença Inativa (SLEDAI<6). Não houve diferença entre os grupos quanto a etnia, peso, IMC, valores séricos da vitamina D, DBP e frações livre e biodisponível da vitamina D. Cerca de 71,4% dos pacientes apresentavam valores séricos de 25(OH)D inferiores a 30 ng/m Utilizando uma divisão em 5 faixas contínuas de atividade da doença, encontramos diferença estatisticamente significativa entre os valores da 25(OH)D entre os grupos atividade leve (SLEDAI 1-5) e grave (SLEDAI≥20) (p<0,05). Da mesma forma, observamos no grupo atividade leve (SLEDAI 1-5) uma maior proporção de pacientes com 25(OH)D superior a 30ng/mL, enquanto no grupo atividade grave (SLEDAI≥20), encontramos maior proporção de pacientes com valores insuficientes ou deficientes da vitamina D. Por outro lado, nenhuma diferença estatisticamente significativa foi observada para os valores de DBP, vitamina D Livre e Biodisponível nos subgrupos de atividade de doença avaliados. Conclusão: A deficiência de vitamina D foi altamente prevalente entre pacientes com LES e esteve associada com a atividade de doença. A dosagem da DBP e as frações livre e biodisponível da vitamina D não diferiram entre as diversas categorias de atividade de doença do LES.

vitamina D, 25-hidroxi-vitamina D, vitamina D livre, vitamina D biodisponível, Lúpus Eritematoso Sistêmico
-
-
1
59
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

FISIOPATOLOGIA DAS DOENÇAS REUMÁTICAS
BIOLOGIA MOLECULAR E CELULAR APLICADA A REUMATOLOGIA
AÇÃO DOS INIBIDORES SELETIVOS DA CICLOOXIGENASE II NA OSTEOPOROSE INDUZIDA POR GLICOCORTICÓIDE EM CAMUNDONGOS.

Banca Examinadora

CHARLLES HELDAN DE MOURA CASTRO
Não
Nome Categoria
LIGIA ARAUJO MARTINI Participante Externo
EDGARD TORRES DOS REIS NETO Participante Externo
EDUARDO FERREIRA BORBA NETO Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não