Dados do Trabalhos de Conclusão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
CIÊNCIAS DA SAÚDE APLICADAS À REUMATOLOGIA (33009015031P7)
NÍVEIS SÉRICOS DA 25-HIDROXI-VITAMINA D, E NÃO DA VITAMINA D LIVRE OU BIODISPONÍVEL, ESTÃO ASSOCIADOS COM ATIVIDADE DE DOENÇA EM PACIENTES COM LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
MARINA ELOI
DISSERTAÇÃO
16/03/2016

Introdução: O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune com apresentação pleomórfica e manifestação em vários órgãos e tecidos. Além dos efeitos clássicos sobre a homeostase do cálcio, a vitamina D tem sido recentemente associada a uma função imunomoduladora. Objetivo: No presente estudo avaliamos a prevalência de deficiência de vitamina D em pacientes com LES e investigamos a associação entre a vitamina D e suas frações livre e biodisponível com a atividade de doença nesses indivíduos. Métodos: Pacientes com diagnóstico de LES de acordo com os critérios de classificação do ACR foram convidados a participar do estudo. A atividade de doença foi mensurada após avaliação clínica e laboratorial de acordo com o SLEDAI (Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity Index). As concentrações séricas da 25-hidroxi-vitamina D (25(OH)D) foram mensuradas por quimiluminescência e a da proteína ligadora da vitamina D (DBP), por ELISA, enquanto os demais dados foram obtidos por cálculo e das informações clínicas obtidas na consulta. Resultados: Os pacientes foram divididos de acordo com o SLEDAI, inicialmente em dois grupos: Doença Ativa (SLEDAI≥6) e Doença Inativa (SLEDAI<6). Não houve diferença entre os grupos quanto a etnia, peso, IMC, valores séricos da vitamina D, DBP e frações livre e biodisponível da vitamina D. Cerca de 71,4% dos pacientes apresentavam valores séricos de 25(OH)D inferiores a 30 ng/m Utilizando uma divisão em 5 faixas contínuas de atividade da doença, encontramos diferença estatisticamente significativa entre os valores da 25(OH)D entre os grupos atividade leve (SLEDAI 1-5) e grave (SLEDAI≥20) (p<0,05). Da mesma forma, observamos no grupo atividade leve (SLEDAI 1-5) uma maior proporção de pacientes com 25(OH)D superior a 30ng/mL, enquanto no grupo atividade grave (SLEDAI≥20), encontramos maior proporção de pacientes com valores insuficientes ou deficientes da vitamina D. Por outro lado, nenhuma diferença estatisticamente significativa foi observada para os valores de DBP, vitamina D Livre e Biodisponível nos subgrupos de atividade de doença avaliados. Conclusão: A deficiência de vitamina D foi altamente prevalente entre pacientes com LES e esteve associada com a atividade de doença. A dosagem da DBP e as frações livre e biodisponível da vitamina D não diferiram entre as diversas categorias de atividade de doença do LES.

vitamina D, 25-hidroxi-vitamina D, vitamina D livre, vitamina D biodisponível, Lúpus Eritematoso Sistêmico
-
-
1
59
PORTUGUES
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
O trabalho possui divulgação autorizada

Contexto

FISIOPATOLOGIA DAS DOENÇAS REUMÁTICAS
BIOLOGIA MOLECULAR E CELULAR APLICADA A REUMATOLOGIA
AÇÃO DOS INIBIDORES SELETIVOS DA CICLOOXIGENASE II NA OSTEOPOROSE INDUZIDA POR GLICOCORTICÓIDE EM CAMUNDONGOS.

Banca Examinadora

CHARLLES HELDAN DE MOURA CASTRO
DOCENTE - PERMANENTE
Não
Nome Categoria
EDUARDO FERREIRA BORBA NETO Participante Externo
LIGIA ARAUJO MARTINI Participante Externo
EDGARD TORRES DOS REIS NETO Participante Externo

Financiadores

Financiador - Programa Fomento Número de Meses
FUND COORD DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUP - Programa de Demanda Social 24

Vínculo

Colaborador
Instituição de Ensino e Pesquisa
Ensino e Pesquisa
Não